Projetos para um Verão Vivo

   

Image par Denis Azarenko de Pixabay

    Quero ir à praia do Guincho com a minha família, mas também com os amigos. O Guincho é a praia mais perto de minha casa, às vezes vou lá a pé ou de bicicleta.

    Estou a remodelar o meu quarto; a minha Mãe sugeriu que ficava giro eu fazer umas pinturas de aguarela para colocarmos em quadros e pendurarmos na parede.

   Estou a começar a ler um livro: “1984”. É sobre como era suposto ser o mundo, como o autor imaginava o futuro. A Mãe sugeriu que eu lesse, pois o autor avisou-nos de como  no futuro poderia não haver  liberdade de expressão. 

  Gosto de passar tempo com a minha cadela: deixá-la correr, à volta do jardim, trazer a bolinha na boca; eu tento agarrar a bola, só que ela não deixa. Ela pede festas, deita-se de barriga para cima na relva…

C. A. 9A

Momentos Únicos

Momentos Únicos do 7º ano

Image par peter_pyw de Pixabay     

   Os meus momentos únicos do 7º ano  foram quando, por exemplo, uma colega minha apanhou covid e tivemos de ir para casa. Adorei poder acordar mais tarde, comer mais, não ter de ir a pé para casa e não ter de apanhar confusão para a fila do almoço, embora eu prefira ter as aulas em presença. Mas, por outro lado, também não pude jogar futebol por causa do covid …

    Também  houve notas que subi mais do  que estava à espera. A disciplina que subi foi a matemática. Eu acho que subi –  antes tinha 3 e passei a ter 4 – porque acho que a matéria era mais fácil.

   O estudo mais interessante foi o das Ciências: quase tudo tinha a ver com as rochas, como os fósseis e os vulcões. 

Image par Bruno /Germany de Pixabay

   Em alguns trabalhos do campo aprofundei a minha experiência, como por exemplo, em dar comida ao gado; o gado gosta de comer ração, mas também dou erva e palha; eles bebem uma água normal, num bebedouro em que podem beber sempre e nunca se gasta, só quando se fecha a torneira, pois está ligada a um furo.

   Estive também na vinha da minha Tia, a esparrar…

Mãe do T. – Esparrar é retirar as parras que estão a fazer sombra ao sol; elas estão a mais e não deixam a luz entrar para os cachos.

Image par Dimitris Vetsikas de Pixabay

 Gosto de ir à praia do Guincho, com as suas dunas e as marés. Gosto de nadar nas ondas… houve uma vez em que um Senhor nos deu uma prancha de bodyboard e, agora, espero que venha uma onda e depois lanço-me!

   Gosto de jogar Minecraft; jogo com o Daniel e com um amigo, Niels é o nome dele. No Manycrafts pode-se jogar e construir várias coisas; são “Farms”, uma espécie de coisas automáticas, onde basta carregar num botão e vai dar vários itens; numa “Farm”, é como se estivesse a “dropar”. 

   Há uma “Farm de Ferro” – feita com “carbolands” feitas com ferro para proteger os aldeões. É uma das mais úteis, porque dropa muito ferro; posso fazer blocos, “whikens”, com a estrela de “Whikens”…

(Em parte ditado) T. S. 7A 

Sobre a Essência da Felicidade

Um Ótimo Momento do 7º Ano 

Image par Denis Azarenko de Pixabay

B. F. – Ter amigos e professores simpáticos, pois os amigos são importantes e os professores são carinhosos e amigáveis.   

M. T.  –  Ter a experiência de cair de bicicleta, porque eu gosto de cair, pois assim não tenho medo.

Uma vez estava a andar de mota e em vez de desacelerar, acelerei: parti a mota! 

 A Escola como um lugar de Aventura

Image par asderknaster de Pixabay 

B. F. – Podemos ter uma piscina em vez do campo de cimento, porque já temos um campo exterior, pois a piscina interior é quente.

Podemos utilizar um tablet em vez de cadernos, pois é muito caro comprar cadernos novos, lápis e canetas, e não haver testes a partir da antepenúltima semana de aulas. 

PS: MATEMÁTICA.

M. T. – Podemos retirar o campo de ténis e construir uma pista de motas.

Podemos ter menos dias de aulas e mais dias de férias.

E ainda melhorar a comida; para ser melhor, o arroz, que às vezes parece uma pedra ou uma papa, deve ser mais solto e leve. 

 Projetos inventivos para o Verão

Image par renategranade0 de Pixabay

M.T. – Ir para a prainha e ir para o Alentejo andar de mota!

Dois “Obrigados”, como um Brinde

Image par OpenClipart-Vectors de Pixabay

M. T. – Ao meu Tio, por ter ajudado a estudar Matemática e à minha Mãe por ter me oferecido uma bicicleta de campo – azul e laranja fluorescente.

B. F. – Aos Professores e aos Amigos, pela simpatia, amizade, a sabedoria que me ensinaram e o carinho que me deram e a ajuda que me ofereceram.

Uma Felicidade Viva? 

Image par Jill Wellington de Pixabay 

M. T.  – A Felicidade é eu divertir-me; por exemplo, andar de mota, fazer surf, andar de bicicleta…

Também é estar com a família: pais, primos, tios, amigos, estar com a minha prima de 3 anos que está na Austrália e o meu primo de 5 meses que está também na Austrália.

B. F. – Uma pessoa age simpaticamente, alegremente, e demonstra a sua amizade, quando está feliz.  

A Felicidade é muito importante, pois não há vida sem Ela!!!

(Texto a duas mãos) B. F. e M. T. 7C

“A Terra é Tua…” – “Um Respeito Amoroso e Humilde”

love the earthImage by Mystic Art Design from Pixabay 

     “… Esta comunhão sublime inspira-nos um respeito sagrado, amoroso e humilde…”

     Esta citação do texto “Laudato Si” encontra um eco vivo na sensibilidade das novas gerações; na verdade, elas estão “aparelhadas” para fazer desabrochar os infinitos possíveis capazes de elevar a vida de todos a “um máximo expoente de sentido”.

       A nossa aventura humana encontra um caminho amplo quando se deixa orientar pelo sentido desta  “comunhão sublime” entre tudo o que existe, na qual somos abrigados como em berço real e na qual cada um recebe a missão de levar tudo o que existe o mais longe que conseguir.

     Tudo e todos nos pertencem, desde a origem até ao fim dos tempos; assim como nós nos devemos a esta totalidade misteriosa e viva que conta connosco, nos impulsiona para diante, nos desafia secretamente e entrega a cada um o cuidado de todos.

       Tal é a nossa Terra livre, a nossa Casa aberta.

Com Teach Write – Partilha de Inspirações – OE

“A Terra é Tua…” – Uma Comunhão Universal

The Earth is yoursImage by Ajay kumar Singh from Pixabay 

“As criaturas deste mundo não podem ser consideradas um bem sem dono: “Todas são Tuas, ó Criador que amas a vida”.

Se toda a variedade de seres inanimados e vivos que existem no Universo não estão abandonados, a quem pertencem?

  • Pertencem simplesmente a todos?
  • A quem as desenvolve e cuida?
  • A quem vive perto delas?
  • A quem precisa delas para viver?

“Estamos unidos por laços invisíveis e formamos uma espécie de família universal…”

Como poderíamos caracterizar este sentido de “família” entre tudo o que existe?

Como poderíamos cultivar estes laços?

  • Com as Estrelas
  • Com o Alimento
  • Com os Companheiros de Planeta…

 

Sugestões de Escrita – Laudato si – 89 e OE

Cuida a Terra: “Dar Espaço à Natureza”

cuidar a terraImage by Comfreak from Pixabay

    “Dar Espaço à Natureza”

Campanha em curso, promovida pelas “Metas Globais” ao serviço da Meta 15: A VIDA NA TERRA.

 A Biodiversidade é essencial para atingirmos as Metas Globais.

  A perda da biodiversidade constitui uma ameaça para as pessoas e para o planeta. Contudo, nós podemos compreender como agir para parar a perda da diversidade.

      • Como podemos criar um futuro em que tanto as pessoas como a natureza possam desenvolver-se?
      • De que é que todas as pessoas necessitam para sobreviver?
      • Como é que distingues entre necessidades e desejos dos seres humanos?
      • Onde é que vamos buscar esses recursos?
      • Quais são as ameaças atuais para o mundo natural?

    2 – Vê este pequeno Vídeo sobre a Biodiversidade

      • Nos últimos 50 anos, 60% de toda a vida selvagem se perdeu.
      • Como é que isto pode ter acontecido?
      • O que é que esta estatística pode significar para o planeta?

        ( 1m 40 do vídeo) Comenta livremente esta citação de David Attenborough:

     “A biodiversidade do nosso planeta fornece todas as coisas de que precisamos gratuitamente. Mas isto só será possível se houver muita diversidade, e neste momento, ela está sob ataque.”

      • Para ti, que comportamentos e atividades humanas estão a  causar o aumento da perda da diversidade?
      •  No final deste vídeo, aprendeste algo que te tenha surpreendido?

Tradução livre do recurso “Make Space for Nature

oferecido por The Global Goals – Sugestões de Escrita – OE

Setembro – Escolher-se, Ser a Terra.

Image par gdakaska de Pixabay 

Como nos tornamos uma espécie de Terra?  Talvez escolhendo-nos.

Será que escolhemos como queremos ser, no sentido em que o diz o filósofo francês:

Sartre's quoteOficina de Escrita

Assim, preparar a Terra  significaria também ser cada vez mais “eu próprio”. 

Para este novo Ano Letivo, que cuidados posso dar-me?

      • Como me preparo?
      • A que me obrigo?
      • Que espero de mim?
      • Que confiança ponho na tarefa de tornar-me no que sou? 

No limiar de cada questão, desenha-se a silhueta dos OUTROS. Sou Terra, mas não torrão avulso, baldio.

Pertenço a muitos, sou totalmente entrelaçado.

 Que há na TERRA-NÓS?

Organismos invisíveis, fios de raízes, grãos de solo, gotas de água, bolhas de ar… 

Escolho SERMOS

      • Terra revolvida, (Por que meios?)
      • acrescentada de nutrientes, (Quais?)
      • desimpedida de infestantes, (Como?)
      • porosa à água quanto baste, (Quanto?)
      • aberta em sulcos, (Por Quem?)
      • expectante de sementes. (Quem?)

Com a Agenda 2020 – Sugestões de Escrita – OE

Que “Casa” a Terra é?

naturezaImage par kangbch de Pixabay 

    A Terra sustenta-nos como mãe, ninho, lar, lugar de encontro e, ao mesmo tempo, por ela se difunde também o ininterrupto e múltiplo convívio entre os seres que ela permite existir.

   É através deste nosso enraízamento concreto no seu espaço, desta pertença da nossa espessura sensível ao fluxo do seu tempo, que, afinal, podemos comunicar entre nós.

   A Natureza não é, assim, “nossa casa”, num sentido “estático”, mas  antes num sentido dinâmico, de verdadeiro “lar”: é movimento e vida em pérpetuo crescimento, sempre rumo a mais vida; é um dinamismo orientado e protetor, que segue a direção de um misterioso excesso.

   Vivemos intensamente a nossa pertença filial à Terra também em momentos de contemplação tranquila; o magnetismo do por do sol que nos prende o olhar, ao fim de um dia enriquecido de encontros humanos e de trabalho intenso, parece oferecer à humanidade que se abriga na beleza inesperada, uma preciosa consolação.

Com Agenda CAD 2020 – Partilha de Inspirações – OE

Quem Semeia ? Que Sementes? Em Que Terra?

semear

Imagem de congerdesign por Pixabay 

“Quem semeia em nossas Vidas? Que Sementes vamos recebendo? Que Terra vamos preparando?” Agenda CAD 2020-21

  • Uma Sugestão para melhorar o mundo que esteja ao teu alcance.
  • Uma pequena mudança que possas introduzir no nosso colégio.
  • Uma discreta surpresa que possas trazer esta semana à tua família.
  • Um projeto simples mas promissor para fortalecer uma relação que já te é preciosa.
  • Uma frase simples, escrita para ti próprio, que não fará parte deste texto a publicar, que só tu receberás.
  • Pensas que o que fizeres agora -as sementes que lanças numa terra que preparaste – num futuro mais ou menos próximo, dará fruto?

Esta casa comum que habitamos: a nossa Terra, a nossa História, as nossas Relações preciosas, tudo isto depende de nós, de cada um, de mim, de ti também. 

Como vais desenhando o cuidado, a ternura, a coragem que é o vivermos nesta casa comum que habitamos?

Tópicos inspirados no Texto de Setembro –  Agenda CAD e OE