Oração da Manhã

18 de Janeiro

rosto de Martin Luther King sobre fundo de palavras chave da sua epopeia
                                                           Max Pixel Atribuição: CC0 Public domain

       Pensa nisto…

 Sonho que um dia todo o vale será elevado e toda a colina e montanha serão abaixados, os lugares escarpados tornar-se-ão planos e os lugares tortuosos serão endireitados e a glória do Senhor se mostrará e unirá a si todo o género humano.

     Esta é a nossa Esperança. Esta é a nossa fé. Com esta fé seremos capazes de talhar, da montanha do desespero, uma pedra de esperança. Com esta fé seremos, capazes de transformar o som discordante numa bela sinfonia de fraternidade. Com esta fé seremos capazes de trabalhar juntos, de rezar juntos, de lutar juntos (…).

     Quando soar a liberdade e a deixarmos soar em cada povo e em cada aldeia, em cada país e em cada cidade, poderemos acelerar a chegada daquele dia em que todos os filhos de Deus, homens brancos e homens negros, judeus e pagãos, protestantes e católicos, possam juntar as suas mãos e cantar as palavras do velho espiritual negro:

     ”Livres por fim! Por fim, livres! Graças a Deus Todo Poderoso, somos livres no fim!”.

Matin Luther King

17 de Janeiro

ramos de buganvília em flor sobre fundo brancoPhoto by Artiom Vallat on Unsplash

     Vive mais feliz quem acredita que nada na vida acontece por acaso. que nenhuma volta do mundo é à toa. que nenhum sofrimento é em vão. que as quedas que damos são do tamanho da força que temos para nos levantarmos. que somos muito mais fortes do que pensamos, mesmo quando só o percebemos quando a vida não nos mostra outra saída.

     Vive mais feliz quem acredita que para cada um de nós há [algures e à nossa espera] um amor-para-sempre; que o tempo da vida é o certo, mesmo quando parece demorar tanto. e que tudo o que nos acontece vem para nos tornar pessoas melhores.

Pastoral CAD (http://www.asnovenomeublog.com/)

16 de Janeiro

homem recostado numa espreguiçadeira contemplando o céu estrelado ao amanhecer

Photo by Brantley Neal on Unsplash

      Hoje existem edifícios mais altos e estradas mais largas, porém temperamentos pequenos e pontos de vista mais estreitos.
       Gastamos mais, mas aproveitamos menos.
       Temos mais compromissos, mas menos tempo.
    Temos mais conhecimentos, mas, às vezes, parece faltar o discernimento.
        Falamos muito, acertamos pouco.
      Chegamos à Lua, mas temos dificuldade em atravessar a rua e conhecer o nosso vizinho.
       Conquistamos o espaço exterior, porém não o interior.
     Por tudo isso, não deixes nada “para uma ocasião especial”. Hoje é o dia especial.
   Lê mais, senta-te na varanda e admira a paisagem sem te importares com as tempestades.
      Passa mais tempo com a tua família e com teus amigos, come a tua comida preferida, visita os lugares que amas. A vida é muito mais que sobreviver.
    Não guardes o melhor perfume, é bom usá-lo cada vez que sentires vontade.
    Elimina-as do teu vocabulário frases como…“Um destes dias”, “Algum dia”… Faz aquele telefonema que pensavas fazer “Um destes dias”.
     Diz aos teus familiares e amigos o quanto os amas.
     Cada dia, hora e minuto são especiais…

Pastoral CAD

15 de Janeiro

     jovens na praia à noite, em volta de uma fogueira, sob estrelas

     Photo by Tanner Larson on Unsplash

     Um homem da aldeia decidiu subir às alturas do céu. Quando, lá de cima, contemplou a vida humana, disse que os humanos parecíamos pequeninos fogos.

      – Um montão de gente, um mar de fogos.                            

      Cada pessoa brilha com luz própria entre todas as outras. Não há dois fogos iguais. Há fogos grandes, fogos pequenos e fogos de todas as cores. Há gente de fogo sereno, que nem se apercebe do vento; e gente de fogo enlouquecido, que enche o ar de faíscas.

    Alguns fogos, fogos tolos, não iluminam nem queimam; mas outros ardem a vida com tal vontade, que não se podem olhar sem pestanejar, e quem se aproxima arde.

Pastoral CAD (adpt. Eduardo Galeano)

14 de Janeiro

jovem exultante entre dunas no deserto sob um céu azul

 Photo by Hudson Hintze on Unsplash

     Gosto muito de uma luz bonita que, de manhã, me chama para mais um recomeço, de uma cumplicidade única que solidifica o amor e o amacia, do som inofensivo do silêncio, do que me é essencial e tão invisível aos olhos, de um céu estrelado, de uma aurora boreal, de muita água, de rio e de mar, de um sul só meu, de branco e de sol, de rir, de música, de trilhos nas serras, de chá quente, de mãos dadas, de amores que perduram, de escrever muito, do assombro e da admiração pelas coisas simples, da emoção sem filtros, da conexão com os outros, da alegria, do entusiasmo, da empatia, dos lugares de dentro, de respirar fundo, (…) da força para subir a montanha da vida, da resiliência como balão de ar quente, da quietude essencial, do ato de pensar, da minha equação religiosa, da transcendência da
Fé que me envolve, de celebrar a vida para mim e em conjunto com as minhas pessoas, de não desperdiçar nada, de partilhar o que tenho, de aproveitar a dose certa de ar puro para ganhar espaço e crescer, de nunca deixar de fazer aquilo que tem de ser feito.

Pastoral CAD (http://www.asnovenomeublog.com/)

11 de Janeiro

pedras sob água

     Flickr.com Atribuição: CC No Derivs 2.0

     Num dia muito quente, um corvo sedento, voou à procura de água. Durante muito tempo, não conseguiu encontrar uma gota. Sentia-se muito fraco e quase desistiu.

      De repente, viu um jarro de água mesmo por debaixo dele e percebeu que havia alguma água no interior. Sim, conseguia ver um pouco de água no interior do jarro!

        Depois de várias tentativas percebeu que o pescoço do jarro era muito estreito. Mais uma vez, prestes a desistir, olhou à sua volta e viu umas pedrinhas.

      Pegou nelas, uma a uma, e foi-as deitando dentro do jarro. À medida que as pedras enchiam o jarro, o nível da água subia.

      Depois de muito trabalho o corvo pode deliciar-se com a água que tanto precisava.

Pastoral CAD

10 de Janeiro

olhar azul de criança

PixaBay Atribuição: CC0

Senhor, eu quero ver com os vossos olhos
aqueles que são deixados de lado na escola por serem diferentes.
Quero ver com os vossos olhos, os sem abrigo dos bancos do jardim.
Quero ver com os vossos olhos, as pessoas de raça e cultura diferentes.
Quero ver para além dos que pensam, que ser mais magro ou mais forte, torna as pessoas mais atraentes.
Quero ver mais que as pessoas que olham para a riqueza como se ela fosse a essência da vida.
Ajudai-me a ver com os vossos olhos, Senhor!
Acautelai os meus olhos: 
Procura que eu não ceda ao julgamento das pessoas pelas aparências, pela cor, pelo que possuem, pela personalidade.
Ajudai-me a ver e a amar como Vós amais, Senhor:
cm olhos tão abertos que consigam ver para além do exterior
e diretamente no coração das pessoas.

Pastoral CAD

9 de Janeiro

presente com papel de corações e laço vermelhoPixaBay Atribuição CC0

     O dinheiro era pouco naqueles dias, por isso, o pai ficou furioso ao ver a filha a embrulhar uma caixinha com aquele papel dourado e colocá-la debaixo da árvore de Natal.

      Apesar de tudo, na manhã seguinte, a menina levou o presente ao pai e disse: “Isto é para ti, Papá!” Ele sentiu-se envergonhado da sua reação, mas voltou a explodir” quando viu que a caixa estava vazia.

     Gritou e disse: “Tu não sabes que quando se dá um presente a alguém, coloca-se alguma coisa dentro da caixa?” 

         A menina olhou para cima, com lágrimas nos olhos, e disse:    “Oh Papá, não está vazia. Eu soprei beijinhos para dentro da caixa. Todos para ti, Papá”. 

      O pai quase morreu de vergonha, abraçou a menina e suplicou-lhe que lhe perdoasse.

     Dizem que o homem guardou a caixa dourada ao lado da sua cama muitos anos e, sempre que se sentia triste, chateado, deprimido, pegava na caixa e tirava um beijo imaginário, recordando o amor que a sua filha ali tinha colocado.

     Cada um de nós tem recebido uma caixinha dourada, cheia de amor incondicional e beijos de tantos quantos gostam de nós e nos amam incondicionalmente.

Pastoral CAD

8 de Janeiro

    folha de exercícios com senos e cosenos

     Oficina de Escrita

      Há privilégios que poucos sabem agradecer. E certezas inegociáveis que nascem do fundo da alma, como a de estarmos dispostos a amar a vida tal como ela se apresenta.

     dias em que estamos demasiado alienados de nós. E é quando finalmente paramos e ouvimos o que nos sopra o coração que percebemos como urge perfurar esse muro até ao fim.

        Estarmos atentos aos detalhes é muito mais do que apenas ver.

(http://www.asnovenomeublog.com/) Pastoral CAD

Seguir A Estrela

os três reis magos seguem a estrelaPixabay  Atribuição CC0

     Tinha Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, quando chegaram a Jerusalém uns Magos vindos do Oriente. «Onde está – perguntaram eles – o rei dos judeus que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O».
Ao ouvir tal notícia, o rei Herodes ficou perturbado e, com ele, toda a cidade de Jerusalém.
 Reuniu todos os príncipes dos sacerdotes e escribas do povo e perguntou-lhes onde devia nascer o Messias. Então Herodes mandou chamar secretamente os Magos e pediu-lhes informações precisas sobre o tempo em que lhes tinha aparecido a estrela. Depois enviou-os a Belém e disse-lhes: «Ide informar-vos cuidadosamente acerca do Menino; e, quando O encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-I’O».

       Ouvido o rei, puseram-se a caminho.
E eis que a estrela que tinham visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o Menino.

      Ao ver a estrela, sentiram grande alegria. Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe, e, prostrando-se diante d’Ele, adoraram-n’O.

     Depois, abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes: ouro, incenso e mirra. 

Evangelho de S. Mateus Pastoral CAD

Os Magos Viajantes

a adoração dos magos num mural desvanecidoHoly Trinity Church Atribuição : CC Share Alike 2.0

     – Não vês que somos viajantes? E tu me perguntas: “O que é viajar? Eu respondo com uma palavra: é avançar! Experimentas isto em ti?

Que nunca te satisfaças com aquilo que és, para que sejas um dia aquilo que ainda não és. Avança sempre! Não fiques parado no caminho. “

Sto. Agostinho, sec V

ADVENTO

14 de Dezembro

porta rosa sob uma trepadeira florida no mesmo tom

Photo by David Clode on Unsplash

Batam-me à porta
os que andam lá por fora, à neve;
batam os que tiverem frio ou sede;
os que sintam saudades de um carinho;
os desprezados;
os que há muito não vêem uma flor
e encontram só poeira no caminho;
os que não amam já nem já os ama ninguém;
os esquecidos de como se sorri;
os que não têm Mãe…

Batam-me à porta os Desgraçados,
os que têm os dedos calejados
dos dedos ásperos da Miséria,
os que travam desordens nas tavernas
e brincam às facadas,
os que não têm abrigo nem Amigo,
os que o Destino escarrou,
os que não foram crianças,
os que nasceram num bordel
e por quem passam todos sem olhar.

Batei à minha porta, Irmãos,
entrai, que eu tenho Amor para vos dar…

Sebastião da Gama

13 de Dezembro

anjo do natal

 Flickr Autor: Swetlana Hasenjager Atribuição: CCNC2.0

     Contemplamos e aprendemos a partir de Nazaré…

    E sucedeu que, enquanto estavam ali Maria e José, chegou o tempo de Ela dar à luz e teve o seu filho primogénito, que envolveu em faixas e recostou numa manjedoura.(…)

   Um anjo apareceu aos pastores e eles foram a correr e encontraram Maria e José e o menino recostado na manjedoura.                                                                             (Evangelho de Lucas 2,40)

    Encontramos tanto carinho e amor nesta cena bíblica. Estes são, verdadeiramente, gestos de Natal, de nascimento, de vida. Pastoral CAD

12 de Dezembro

Cristo do Corcovado abraçando o mundo entre nuvens

    Photo by Robert Nyman on Unsplash 

     O que de mais importante em nós se destina a ser dito soletra-se melhor no silêncio de um abraço, porque aí ocorre isto que é tão precioso: sem defesas, um coração coloca-se à escuta de outro coração.

                                                                                                                                                                                  José Tolentino Mendonça,                                                                                                                                                                                                                       in “O pequeno caminho das grandes perguntas”

            Vamos parar. Silenciar. Escutar o próprio silêncio.                   

      Agora, levanta-te e dá uma abraço, silencioso, sem ruído, a quem está perto de ti.

     Num só abraço, a vontade de chegar a todos e, com todos, abraçar o mundo!

Pastoral CAD

11 de Dezembro

Presépio de figuras de barro pintado

     Pixabay  Autor: Alexas_Fotos  CC0

     No ano de 1223, Francisco de Assis encenou, com alguns camponeses, o primeiro presépio da história. Foi numa gruta na vila italiana de Greccio e ainda hoje pelo mundo fora, quase 800 anos depois, milhares de presépios são construídos todos os anos.          

     Olhar e contemplar o presépio pode ser um bom momento para escutar o coração de Deus que se dá a cada um de uma forma tão simples e tão radical.

       Um coração de Deus que bate ao ritmo do coração humano ou um coração humano que deveria aprender o ritmo do coração de Deus. Se assim fosse, ou quando assim é, o Amor torna-se vida!

Pastoral CAD

10 de Dezembro

     por do sol entre nuvens tons suaves: escutar-nos a nós próprios e escutar o Deus Menino...

 Autor: ArtBaggage  Pixabay  CC0

     No início na nossa última semana antes das festividades de Natal, olhemos para o que já partilhamos.

     Olhemos para o nosso cabaz, generosidade transformada em alimentos, brinquedos, em miminhos de Natal para fazer chegar a quem mais precisa.        

     Tenhamos um coração grande para acolher e escutar cada uma das nossas mensagens.

     Procuremos um momento de escuta e interioridade para nos escutarmos a nós próprios e escutar o Deus Menino que celebramos.

     Fazer-se pequenino, fazer-se partilha, fazer-se escuta…para se ser grande!

Pastoral CAD

7 de Dezembroamigos abraçados, vistos de costas, sobre um horizonte abertoPhoto by Duy Pham on Unsplash

Obrigado, Senhor, pelos amigos que nos deste.
Os amigos que nos fazem sentir amados sem porquê.
Que têm o jeito especial de nos fazer sorrir.
Que sabem tudo de nós, perguntando pouco.
Que conhecem o segredo das pequenas coisas que nos deixam felizes.
Obrigado, Senhor, por essas e esses,
sem os quais caminhar pela vida não seria o mesmo.
Os amigos que nos aguentam quando o mundo parece um sítio incerto.
Que nos incitam à coragem só com a sua presença.
Que nos surpreendem, de propósito, porque acham mal tanta rotina.
Que nos dão a ver um outro lado das coisas (…).
Obrigado pelos amigos incondicionais.
Que discordam de nós, permanecendo connosco.
Que esperam o tempo que for preciso.
Que perdoam antes das desculpas.
Os que trazem até nós o imprevisível do teu coração, Senhor.”

Pe. Tolentino de Mendonça (adpt) Pastoral CAD

6 de Dezembro

multidão de velas acesas contra fundo escuroPhoto by Mike Labrum on Unsplash

Senhor, Tu que és a Luz,

Peço-Te que ela não se apague em mim:

O brilho nos olhos;

A claridade da mente;

A iluminação do espírito;

O calor do abraço;

O sorriso que brilha;

O gesto que ilumina;

A fé que encoraja.  Ámen.

Pastoral CAD

5 de Dezembro 

3 figuras abraçadas e de braços abertos: servi uns aos outros

Pixabay CC0

     “Cada um deve estar pronto para ouvir, mas deve ser lento para falar e lento para ficar com raiva, porque a raiva do homem não produz a justiça que Deus quer. Sede praticantes da Palavra e não apenas ouvintes.

    Quem ouve a Palavra e não a pratica é como alguém que observa o seu rosto num espelho: observa-se a si mesmo e depois vai-se embora, esquecendo-se da própria aparência.”


     Faz-me, Senhor, ser pronto para escutar…escuta de silêncios e lamentos, escuta de famintos de pão ou de amor, escuta de homens e mulheres que não são reconhecidos, nem respeitados, na sua dignidade, escuta de migrantes e refugiados em busca de pátria e pão, escuta de crianças e adultos que continuam a viver sem condições.
   Ajuda-me a sair do meu pequeno mundo e a abrir os olhos e o coração à realidade maior que vai girando à minha volta.         

Pastoral CAD

flocos de nevePixabay  Atribuição CC0

4 de Dezembro

      Dois flocos de neve que voavam perto um do outro começaram a conversar, e para que o vento não os afastasse, agarraram-se um ao outro. Um deles exclamou:
     — Que sensação fantástica de voar! – disse um dos flocos de neve.
     — Não estamos a voar, estamos a cair. – disse o outro floco de neve muito triste.
      — É tão bom saber que, daqui a pouco, ajudaremos a fazer uma linda cobertura branca – disse o primeiro floco de neve.

      — Infelizmente, vamos ao encontro da morte! Vão-nos pisar, destruir em poucos segundos –  insistiu o segundo floco de neve.
      — É mesmo bom ajudar os rios a crescer e, em breve, chegar ao mar. Seremos eternos, – disse o primeiro.
     — Infelizmente vamos derreter e desaparecer para sempre — continuou o segundo.
     No fim, já quase a chegar à terra, soltaram as mãos, e cada um deles voou ao encontro do destino que escolheu!

Pastoral CAD

coração entre luzes esboçoPhoto by Michael Fenton on Unsplash

3 de Dezembro

      Tempo de Advento é sempre tempo de  esperança. A alegria, que surge dentro de nós, começa a fazer-se presente um pouco por todo o lado.

     Durante este tempo, somos desafiados a mergulhar
no essencial e a ousar partilhar os bens, o abraço, o tempo e a vida!

    Ousar deixar nascer o divino em nós.

     O desafio desde Advento é fácil: cada turma tem um coração em formato XXL (coração, o local da escuta, por excelência).

    Vão receber igualmente um pequeno sino, onde cada um é desafiado a escrever uma mensagem de esperança ou um desejo de mudança para o mundo… e a colá-lo no coração.

     Que o desejo da mensagem escrita…nos transforme e transforme o coração do mundo.

Pastoral CAD

30 de Novembro

caminho entre árvores esguias e muito verdejantes

 Unsplash Tree Lined Alley by Studio Dekorasyon

     Fim de mais um mês. Olho para trás. Agradeço os dias e as pessoas. Os silêncios e as gargalhadas. Agradeço a vida e os sacrifícios.

     Sou mais. Escutei. Acolhi. Talvez não tenha sido ainda o que ambicionava ser ou fazer. Mas estou a caminho. Quero levantar o olhar e o coração e continuar a fazer caminho.

    É assim a vida. É assim a minha vida. Sei que não estou sozinho. Por isso agradeço e, com o olhar no horizonte, quero ir!

Pastoral CAD

29 de Novembro

o iceberg do sucesso que esconde a porção maior de esforço e dedicação

Author: Sylvia Duckworth Translation Kindly Allowed by the Author

     O rei gritou bem alto na praça e dirigiu-se à multidão:

     – Ó povo deste lugar! Querem conhecimento sem dificuldade, realização sem esforço, progresso sem sacrifício?

     Juntou-se, de imediato, uma grande multidão que gritava:

     – Queremos, queremos!

     – Excelente! Era só para saber. No dia em que eu descobrir como se consegue isso sereis os primeiros a saber!

Senhor, ajuda-me a perceber a necessidade de trabalhar e fazer o meu melhor todos os dias. Que eu não esteja à espera de milagres…sem trabalho!

Pastoral CAD

28 de Novembro

balões coloridos subindo no céu

Unsplash  CC0

     Quero que saibas que cada vez que me convidas, eu venho sempre, sem falta. Venho em silêncio e de forma invisível, mas com um poder e um amor que não acabam. Não há nada na tua vida que não tenha importância para mim.

     Conheço, sobretudo, a tua necessidade de amor. Nunca duvides da minha misericórdia, do meu desejo de te perdoar, do meu desejo de te bendizer e viver a minha vida em ti, e que te aceito sem me importar com o que tenhas feito.

     A única coisa que te peço é que confies plenamente em mim. 

     É assim que Jesus nos ama!   

Madre Teresa de Calcutá – Pastoral CAD

27 de Novembro

Irmãos, sede prudentes e sóbrios, para vos dedicares à oração.

Sobretudo, conservai uma caridade intensa uns para com os outros, porque a caridade cobre a multidão dos pecados. Praticai entre vós a hospitalidade, sem murmuração. Cada um de vós ponha ao serviço dos outros os dons que recebeu, como bons administradores da graça de Deus, tão variada nas suas formas.                                (1 Carta de São Pedro 4 )

Senhor, faz-me bom administrador dos dons que me deste e que, como admirador sábio, os multiplique para bem de todos.           Pastoral CAD

 

26 de Novembro


jovem a saltar na rua com calças encarnadas e segurando um tecido igual sobre a cabeça com os braços estendidosCCO GoodFreePhotos   

     Sê feliz por dentro. não precisas de provar nada a ninguém. 

     Guarda só o bem-querer. sabe separar os que sim, os que não e os que nunca.

     Ama e deixa que te amem. Guarda o amor de ti por ti.

     Vive o hoje. Acredita no amanhã. 

     Sê transparente. aceita o que és, tenta corrigir os defeitos, orgulha-te das qualidades. não tenhas medo de cair, depois levantas-te mais forte.

     Guarda da vida as melhores coisas que ela te oferece. aprende com as piores.

     Agradece por tudo, mas acima de tudo pelos que tens ao lado.

     Grava na agenda, na parede e na pele o que importa: s e r . na essência, na verdade, na alegria, no olhar que brilha, na alma tranquila. no coração limpo e aberto ao que de bom está por vir.

www.asnovenomeublog – Pastoral CAD

23 de Novembro

capela contra o infinito estrelado da noitePhoto by Andrew Seaman on Unsplash

A oração é de agradecimento e louvor,
Por isso, oh Pai, tudo Te agradeço!
Céus e terra fizeste com amor,                                                      Em tudo a tua mão eu reconheço!

Toda a natureza manifesta a tua glória,                                Porque tudo fizeste harmoniosamente!
Ao crente que é dedicado dás vitória,
Que te agradecemos sucessivamente!

Oramos por todos os enfermos,
Tanto do corpo como do espírito!
Pois como eles também sofremos,
Porque o nosso amor é requisito!

Dirigimos a Ti oh Pai nossa oração,
Para que estejas com os missionários!
Que saibam cumprir bem a sua ação,
Vencendo os impedimentos diários!

Queremos agradecer humildemente,
As bênçãos de ter saúde e alegria!
Senhor haja pão para toda a gente,
Dá-nos um coração puro e alegria!

Pedimos e agradecemos por Jesus,                                                Que é o nosso Salvador amado!
Fonte de perene e brilhante luz,
Pelos pecados do mundo foi crucificado…

Artur Machado –  Pastoral CAD

22 de Novembro

mãos segurando areia em forma de coração

Flickr CC2.0 John Voo

Mãe e filha caminhavam pela praia. 
A filha perguntou:”Como se faz para manter um grande amor?” 

A mãe respondeu: – “Pega num pouco de areia e fecha a mão com força…”

A menina assim fez e reparou que quanto mais apertava a areia com a mão, mais ela se escapava por entre os dedos.  – “Mãe, mas assim a areia cai!!!”

” – Eu sei, agora abre completamente a mão…”
A menina assim fez, mas veio um vento forte e levou consigo a areia que restava.  “- Assim também não consigo manter a areia na mão!”

A mãe, sempre a sorrir, disse-lhe: “- Agora pega outra vez num pouco de areia e mantém na mão semi-aberta como se fosse uma colher… Um pouco fechada para a proteger e um pouco aberta para lhe dar liberdade.” 

A menina experimenta e vê que a areia não se escapa da mão por entre os dedos e está protegida do vento. 
É assim que se faz durar um amor…

Pastoral CAD

21 de Novembro

mozinhas que acenam adeus

Comemoramos, hoje, o Dia Mundial da Saudação.
Este dia tem como objetivo celebrar a importância de uma saudação na promoção da paz.

O ato de saudar ou cumprimentar outra pessoa tem um forte significado e é capaz de apaziguar conflitos e criar ambientes saudáveis.

20 de Novembro

 MaxPixel.net CC0 

      Não negues um favor a quem o merece, quando estiver na tua mão fazê-lo. Se tens para dar, não digas ao teu próximo: «Vai-te embora e volta depois».

    Não maquines o mal contra o teu próximo, se ele for ao teu lado e confia em ti.

     Praticar a justiça e o direito vale mais do que o sacrifício aos olhos do Senhor.                                           (livro dos Provérbios)

    Senhor, faz-me uma pessoa atenta a quem está perto de mim. Uma pessoa justa. Alguém que tem um olhar e atitude benevolente. Que me afaste do mal e dos maldosos.

   Que ao longo do dia a minha vida seja para Te bendizer. Para agradecer. Para louvar o muito e de belo que encontro em mim e à minha volta.  

Pastoral CAD

19 de Novembro

menina salpicada de tintas coloridas sorrindo

Photo by Senjuti Kundu on Unsplash

«Perdemos muito tempo, o tempo todo. E diante da fragilidade da vida, ficamos mais interessados em estabelecer regras, seguir padrões, controlar. Há muita vida pra viver!


E todos os dias acontece um milagre. Há milagres grandes, como nascer. Há milagres pequenos, como respirar. Há encontros, lágrimas, há uma música que toca e te leva para um outro tempo ou uma outra energia. Há muita vida pra viver!

Esquece o mapa e confia um pouco mais nos teus sentidos. Permite-te brincar, fazer piada diante do caos. As coisas só melhoram quando têm de melhorar e esperar é uma arte.»

Pastoral CAD (adpt de http://www.asnovenomeublog.com/)

16 de Novembro

crianças à volta do mundo

PixabayCC0

O Dia Internacional da Tolerância é celebrado anualmente a 16 de novembro.
A data foi aprovada pelos estados membros da UNESCO após a celebração, em 1995, do Ano das Nações Unidas para a Tolerância.       A celebração do Dia Internacional da Tolerância visa promover o bem estar, progresso e liberdade de todos os cidadãos, assim como fomentar a tolerância, respeito, diálogo e cooperação entre diferentes culturas, povos e civilizações.
Senhor, neste dia Internacional da Tolerância que eu aprenda não só a respeitar o outro que é diferente de mim…mas que eu aprenda a admirar o outro na sua diferença.

15 de Novembro

duas palmas das mãos onde está pintado o mundo, rodeadas de pombas

PixabayCC0

Na abertura do Sínodos dos Bispos, sobre os jovens, o Papa Francisco dá pequenas orientações aos jovens:
– Encontrar o próprio caminho
  O primeiro deles, a importância de cada um fazer o seu próprio caminho, “sejam jovens em caminho olhando o horizonte, não o espelho” ou sentados no sofá. “Encontrem-se a si próprios fazendo, indo em busca do bem, da verdade e do belo”.
   – Leilão
Francisco recordou à juventude de que ela não tem preço.              – “Vocês não são mercadorias num leilão. Por favor, não se deixem comprar, não se deixem seduzir, não se deixam escravizar pelas colonizações ideológicas. Apaixonem-se pela liberdade de Jesus.”
– Testemunho concreto
  O Papa falou ainda da coragem do acolhimento. “Os populismos estão na moda, que nada têm a ver com o popular. O popular é a cultura do povo. O populismo é o contrário: é o fechamento num único modelo. O amor é a palavra que abre todas as portas.

Pastoral CAD

14 de Novembro

passarinho

Source: PixabeyCC0

 Quanta ciência existe naquele poema de Lao Tsé que diz: “quando os homens ingressam na vida são tenros e frágeis; quando morrem são hirtos e duros.

 Por isso os hirtos e duros são, desde o princípio, mensageiros da morte e os tenros e frágeis são os mais credíveis mensageiros da vida.”

 Senhor, ajuda-nos a reconhecer a nossa fragilidade. Então seremos fortes!

Pastoral CAD

13 de Novembro

mundo azul em forma de coração e como duas mãos em aperto de saudação, com os continentes a verde

CC0    Pixabay

     De que aproveita, irmãos, que alguém diga que tem fé, se não tiver obras de fé? Acaso essa fé poderá salvá-lo?

Se um irmão ou uma irmã estiverem nus e precisarem de alimento quotidiano, e um de vós lhes disser: «Ide em paz, tratai de vos aquecer e de matar a fome», mas não lhes dais o que é necessário ao corpo, de que lhes aproveitará?

Assim também a fé: se ela não tiver obras, está completamente morta.
   (Carta de São Tiago,2)

Senhor, que a minha fé seja confirmada na minha atitude de não ficar indiferente.

  • Um abraço pode fazer a diferença.
  • Um ´obrigado´ ou ´por favor´ pode fazer a diferença!
  • Um silêncio pode fazer a diferença.
  • Um ´como te sentes hoje?´ faz, certamente, a diferença…isto é fé, com obras, com humanidade.

Pastoral CAD

12 de Novembro

menina deitada entre flores de Lavanda respirando a paz

Photo by Amy Treasure on Unsplash

   Não ter muito mas ter paz, é ter tudo* dos dias em que temos a sorte de poder dar tempo ao tempo. de ter espaço e ar para
respirar fundo.

Inspirar todo o silêncio e o azul de um dos lugares mais bonitos do mundo.

Ter esta doce certeza de que quando aprendemos a dar tempo ao tempo, tudo acaba por passar, serenar e voltar ao devido lugar.

Como diz um dos meus livros favoritos, em vez de desatar a correr à frente do comboio, é melhor sair da linha e deixá-lo passar. há muitos mais comboios do que imaginamos e, por mais longa que seja a espera, algum há-de chegar para nos levar onde precisamos.

Pastoral CAD
(http://www.asnovenomeublog.com/)

11 de Novembro

StencilCC0

                                            Descomplicar  –  em 5 linhas                                           Não precisas de carregar o mundo nos ombros e viver os dias preocupado. Precisas de te abraçar mais, de olhar para cima e de confiar  na vida e em quem te quer bem.

Não precisas de ser o melhor, nem de provar nada a ninguém.

Precisas de querer ser uma melhor pessoa todos os dias e de acreditar, com toda a força que tens, que na vida importa
menos aquilo que te acontece, e muito mais aquilo que és, apesar do que te acontece. 

Pastoral CAD 

http://asnovenomeublog

8 de Novembrojovem e criança construindo o globo como um puzzle

Imagem –  Flickr  Atribuição – CC BY-NC-SA 2.0   Autor –  Jaci X III

Ao iniciar o dia de hoje, o meu pensamento e oração, querem unir-se a todos os que estão tristes ou deprimidos. A todos os que são massacrados com a violência ou com a guerra. A todos os que passam fome e não têm uma família. A todos os que sofrem de solidão e cujas lágrimas já secaram de tanto sofrimento.

 Não consigo resolver os problemas do mundo… mas posso e quero a ser sinal de esperança e de mudança. No que depender de mim permite, Senhor, este momento em que quero fechar os olhos, escutar o coração e comprometer-me em ser sinal de esperança. Que eu cuide as palavras que digo.

 Que me preocupe com as atitudes que possa vir a ter. Que cada aula ou momento de estudo, apesar do trabalho, seja uma oportunidade para aprender e poder ser sinal da esperança e da transformação de que o mundo tanto precisa.

Pastoral CAD

7 de Novembro

 2 rosas alaranjadas

Imagem: Oficina de Escrita

“Senhor, tenho medo da mudança que eu não instiguei.
Por mais desconfortável que a nossa vida possa ser,
por mais dolorosa ou até desesperante que ela seja,
a vida que vivemos é a vida que conhecemos,
e apegamo-nos ao antigo em lugar de tentarmos algo de novo.
É inacreditável quão tenazmente nos apegamos
àquilo que tanto pedimos que se afastasse de nós.”

Marianne Williamson, A Return to Love

Senhor, hoje, e só hoje, quero ser feliz. Olhar ao meu redor e agradecer os que estão aqui comigo. Os que vivem em casa. Os que, mesmo longe e que não conheço, reconheço e chamo de irmãos. A todos me uno, neste momento, e por todos rezo. Como todos agradeço o dom da vida e a oportunidade de ter mais um dia para ser feliz.

Pastoral CAD

6 de NovembroCrianças dançam à volta do mundo

Pixabay CC0

Ainda que eu tenha o dom da profecia
e conheça todos os mistérios e toda a ciência,
ainda que eu tenha tão grande fé que transporte montanhas,
se não tiver amor, nada sou.
Ainda que eu distribua todos os meus bens
e entregue o meu corpo para ser queimado,
se não tiver amor, de nada me aproveita.

O amor é paciente,
o amor é prestável,
não é invejoso,
não é arrogante nem orgulhoso,
nada faz de inconveniente,
não procura o seu próprio interesse,
não se irrita nem guarda ressentimento.
Não se alegra com a injustiça,
mas rejubila com a verdade.
Tudo desculpa, tudo crê,
tudo espera, tudo suporta.

S. Paulo –  Coríntios, 13

Pastoral CAD