Carta do Reino Misterioso

árvores fotografadas de baixo para cima fundindo as copasPhoto by kazuend on Unsplash

  Reino Misterioso, 21 de Agosto de 2086

      Excelentíssimo Responsável pela Floresta Encantada,

      Queria informá-lo de que não está a cuidar bem da Floresta Encantada:

  •      Muitos animais estão feridos;
  •      As suas flores estão murchas;
  •      Está tudo arruinado.

     Gostaria que soubesse que, se continuar a tratar mal a maravilhosa Floresta Encantada, vai ser dispensado.

     Adeus.

    Reino Misterioso

    P.S. Espero que volte a cuidar bem da Floresta.

CG6B

 

O Peluche Encantado Que Reviveu

Ursinho de peluche e coraçãoPixaBay PixaBay License

       Era uma vez uma menina que tinha o sonho de ganhar um peluche. Ela viu o Peluche de Toysrus. Ele era brilhante, encantador… Ai, nem sei explicar… era um ursinho com pelo branco, olhos azuis e muito gordinho. Ai, era tão fofinho!

      Ela tinha-o pedido aos pais no Natal e, ainda para mais, o Peluche era maior do que a menina! No dia 24 à meia-noite, com a Família da menina reunida, ela tinha-se sentado no sofá, à espera da sua vez para abrir os presentes.

       Chegou a vez de a menina abrir os presentes. O Pai disse-lhe:

      – Filha, abre o teu presente.

       Ela respondeu:

       – Ah, Pai, isto é tão grande! – Abriu o presente e viu que era o ursinho que tanto queria, e caíram-lhe muitas lágrimas de tanta alegria. Ela só disse “muito obrigado” e só tinha olhado para cima e para baixo, com o espanto: “- Isto é verdade?” 

       No dia seguinte, ela ia passear e não o deixava para lado nenhum que ia.

       Agora que tem onze anos e ainda nunca o deixou, os pais dela a cada dia que passa, ficam ainda mais espantados. E dizem:

     – Como é possível ela ainda não ter deitado fora o ursinho?

CG6B     

A Princesa das 3 Maravilhas

     PixaBay PixaBay License

     Era uma vez um ser imaginário, muito feminino, que voava e só queria ser real. 

     Ela tinha um refúgio secreto dentro de uma nuvem que nunca chovia. Viajava pelo mundo inteiro ao sabor do vento, mas não podia baixar até ao chão da Terra, porque não tinha densidade.

     Conhecia muito bem a linguagem dos pássaros migrantes, como as andorinhas e os gansos selvagens, mas o que lhe interessava acima de tudo era aprender a língua dos humanos.

    Ela pensava: “- Se eu fosse real, eu era como uma Princesa, só gostava de usar acessórios rosa, uma coroa e de viver num castelo. Eu teria uns cabelos loiros compridos e olhos azuis, eu queria ser uma pessoa com muita alegria e muita graça.”

    Nesse castelo, ela plantaria um jardim maravilhoso onde as flores se empurravam para a ver passar. Ela teria aí um banquinho cor de rosa sobre o qual a nuvem amiga viria pairar dando-lhe sombra sem nunca chover.

    Também sonhava em galopar num cavalo branco no bosque do castelo, seguida pelos ventos que antes faziam viajar a sua nuvem.

     No dia do seu aniversário estava muito contente, mas, sem ela saber, houve uma fada que apareceu e disse:   

     – Já ouvi dizer que gostavas de ser uma Princesa. Mas só se fizeres estas três maravilhas:       

      1 – Tens que trazer uma maçã dourada que cresce nas montanhas para curar um menino doente.

      2 – Tens que tirar 3 pétalas de uma flor que só nasce ao pé de uma cascata distante e transmite o dom da Alegria.

     3 – Tens de ouvir as vozes dos ursinhos carinhosos e aprender com eles a falar.

     Depois de muitas tentativas, ela conseguiu fazer tudo. A Fada abriu um portal mágico: ela foi na sua nuvem até ao pé do chão, para ouvir as vozes das pessoas e ver como iria ser na vida da Princesa.

     Passado um tempo, ela transformou-se em Princesa: ela estava como tinha imaginado. Chegou ao castelo e começou a chorar de tanta alegria.

     Entrou num salão e descobriu uma Família muito grande, que não gostava de divertir-se, mas a Princesa pôs o dom da Alegria e ficaram muito contentes. 

Contos de Fantasia – Texto a 2 Mãos CG6B e OE

 

O Dia em que as Cores surgiram nas Flores

flores coloridas de diferentes espécies dispostas em círculo

     Commons Wikimedia Atribuição: CC0 Share Alike 4.0 International

      A Floresta, antes de ser encantada, não era monótona, pois todas as tonalidades de verde e de castanho enfeitavam a espessura dos arbustos e a folhagem dos ramos sussurrantes. Mas faltava-lhe a magia do Arco-Íris, a beleza misteriosa que, com sete cores simples, multiplica os tons da Vida até ao infinito.

     Numa noite com muitas estrelas, nas clareiras junto da Floresta, havia muitas flores, só que as flores eram brancas, não tinham cor. Nessa noite aconteceu um milagre: caiu um pozinho estelar sobre umas flores e, de repente, ficaram todas coloridas.

     Pela noite estrelada, um bando de renas apareceu perto de uma clareira da Floresta, a ver se já tinha brotado algo para comer.

    Quando se aproximaram das flores, um estranho milagre tinha acontecido:

     Algumas flores ficaram com as pétalas enroladas e ganharam uma cor rosa: o nome da flor tornou-se ROSA. Umas ficaram como arco-íris e azul-marinho  em forma de onda e chamou-se MAR. Uma tulipa em forma de sino lilás, tornou-se o SININHO; o malmequer, em forma de abelha amarela, tão gira, tornou-se a ABELHINHA.

     As renas viram, pela primeira vez, as Rosas, que eram cor de rosa, de pétalas enroladas; as Margaridas, que eram brancas e laranja, tinham a forma das saias das bailarinas quando estão a fazer piruetas; as Begónias rosadas, brancas e vermelhas, lindas, com a forma de um coração.

      As renas adoraram o cheiro das flores: as Rosas cheiravam a chupa-chupa; as Margaridas cheiravam a laranja e as Begónias a chocolate.

       As renas ficaram espantadas com todas aquelas cores fantásticas e brilhantes. A partir daí, todos os seres da Floresta Encantada começaram a irradiar alegria.

CG6B, LM6A, OE