Um Monstro Positivo

Image par Dmitry Abramov de Pixabay 

     Era uma vez um monstro chamado Duarte que era grande, com dois olhos castanhos e uma grande boca, com dentes muito afiados e a pele às cores.

    Este monstro é único porque tem dois poderes especiais: um deles é pôr toda a gente feliz e ter positividade. Vamos ouvi-lo:

   

    O Hobbie do Duarte é viajar pelo mundo e ir à praia para surfar. A língua que ele fala é o Monstrês, porque é uma língua que todos os monstros falam; a outra língua é Português, para falar com os seus amigos humanos.

    ” Eu gosto de ser um monstro, porque sou grande e gosto de ter poderes.

    Eu inventei um jogo que se chama “Monstrinhos”, com que brinco com os meus amigos humanos: eles fingiam ser monstros com poderes e usavam esses poderes para o bem.”

    “Eu gosto mais dos monstros bons porque eles não assustam os humanos e os monstros maus assustam os humanos sem razão.”

DB5A

A Cidade da Savana – III

      Commons Wikimedia.org Creative Commons 4.0Share Alik

     O fotógrafo encontrou as 10 moedas de ouro e o tigre deixou-o passar. Quando ele chegou ao outro lado do rio, encontrou um castelo feito de pedras cinzentas escuras, que tinha mudas a crescer por todo o lado.

     Ele atravessou a ponte levadiça e, quando entrou no castelo, encontrou um tigre que lhe disse: 

    – Eu sou o mago deste castelo. Para ir ver o rei, tu vais ter de passar por mim e pelos meus truques mágicos!

     E ele fez um feitiço com o seu cajado e fez o fotógrafo voar acima do chão, e depois cair outra vez. 

    – Tu nunca irás conseguir passar por mim! – exclamou o mago e começou a lançar feitiços para parar o fotógrafo.

     Então, o mago lançou um feitiço em si mesmo, que o fez ficar muito grande! 

    – Desiste, fotógrafo! Nunca irás conseguir passar por mim!

     Mas, para a salvação do fotógrafo, apareceu do nada, no castelo, o macaco que lhe tinha dado indicações inicialmente! 

    – Toma isto. – Disse o macaco. E deu-lhe uns sapatos com molas. – Eu sou sapateiro, e estes sapatos são a minha especialidade!

    O fotógrafo deu um salto por cima do mago e foi até à sala do trono falar com o Rei Simba. O Rei foi até ele e disse-lhe: 

    – Parabéns, fotógrafo! A maioria das pessoas que passa por aqui não consegue passar pelo mago! Como foste corajoso, posso fazer-te um favor. 

    – Então, rei Simba, eu gostava de voltar para o meu mundo! – Pediu o fotógrafo. – Tudo bem, se é isso que desejas, esse desejo será concedido! – respondeu o Rei Simba.

    Quando o fotógrafo deu por si, estava outra vez  na savana, ao pé da fonte! Ele resolveu colocar uma placa ao pé da fonte, a dizer:

Image par 8982496 de Pixabay 

 Depois disso, ele voltou para sua casa e ficou em segurança.

LR5B

A Cidade da Savana – II

                             Commons Wikimedia.org Creative Commons 4.0Share Alik

    No caminho, encontrou uma girafa e uma zebra, que lhe disseram que ele tinha de atravessar um rio.

    – E qual é o nome desse rio? – Perguntou o fotógrafo.

    – É o rio das Patas Encantadas. – Disse a girafa. – Tudo bem.  – Respondeu o fotógrafo.

    E continuou o seu caminho, até que encontrou um tigre que estava de guarda ao pé de um barco de madeira branca, cheio de flores a enfeitá-lo, e que tinha uma placa a dizer: 

Image par Sandy Frew de Pixabay 

     O fotógrafo pensou: “- Acho que cheguei ao local que queria.”

    Ele chegou perto do tigre e disse-lhe:

    – Desculpe, senhor Tigre, eu precisava de usar esse barco para atravessar o Rio das Patas Encantadas e ir falar com o Rei Simba para poder sair deste mundo.

    – Desculpe, mas só vai poder passar se resolver um quebra-cabeças. Espalhadas por aqui estão 10 moedas de ouro; se as encontrar a todas, pode passar e pode atravessar o rio.

(Continua)

LR5B