A Internet em Perigo

hacker da netImage parPete Linforth de Pixabay 

     A internet pode acabar qualquer dia, porque se os hackers fizerem dinheiro com os seus vírus, podem depois vir a acabar com os jogos e até com a própria internet.

       Se o fizerem, ficam cada vez mais fortes e ninguém os consegue parar; eles tornariam a internet insegura. As pessoas poderiam recomeçar a escrever em papéis e haveria mais roubos com chantagem como há agora online. As pessoas teriam de comprar alarmes e cofres para esconderem os seus documentos.

      Se acabarem com a segurança na internet, vão começar a haver mas roubos, até pessoas que se matam – por estarem sob chantagem.

     A internet é importante porque os ficheiros guardados nos bancos valem alguns milhares de euros. Se forem roubados, os ladrões ficam mais fortes, e o mundo entra em loucura, começa a haver mais suicídios.

     Já houve aviões que chocaram:  um bateu numa asa do outro e caiu em parafuso, até ao mar, e todos morreram.

    Desde quando caíram as torres que a Casa Branca está em perigo.

     Gostava de ser “ácaro” de uma empresa, como a GNR – tentar entrar em ficheiros que não se podem ler, mas se trabalhamos para a NASA ou para a Polícia Judiciária, ou para o Exército, não é crime.

     Os EUA foram atacados por um hacker; onde a minha mãe trabalha, parece-me que foram atacados; a minha mãe desconfiava que um ácaro entrou nos ficheiros da Central de Táxi.

Conversas na Oficina –  LJ6A

És a Arte do Amor

   Mulher parando os mundos

     Image parcocoparisienne de Pixabay

     Querida Mãe,

     O teu rosto oval tem um tom de pele como o início do pôr-do-sol.

     Costuma-se dizer que os olhos são a janela da alma; sempre que tenho medo, a tua alma transmite-me coragem, através dos teus olhos vivos.

    És uma Mãe muito simpática, és querida, estás sempre presente para mim.

   Também me compras brinquedos e outras coisas. Fazes-me Carinho. Algum dia destes podemos andar de bicicleta até ao Guincho e depois podemos ir à praia?

     Tu paras tudo para me agradar.

     Pões-me sempre em primeiro lugar, arriscas a tua vida por     mim.

     Tu és a Mãe mais fabulosa e incrível, tu és a melhor Mãe do mundo.

      Mãe, és a Arte do Amor, és uma Arte que não cabe no quadro porque o teu Amor é tão grande por mim que não consegue caber em nada.

     Eu gostava de te agradecer o Amor e o Carinho que tu me dás.

   Quando tu fores velhinha, eu vou cuidar de ti como cuidavas de mim: vamos fazer viagens, vamos ao cinema, podemos fazer o que quiseres, como tu fazes comigo.

      Mãe, agora vou-te pôr um desafio: numa página branca, vais escrever o que pensas de mim.

TF5B

Entre Estrelas Cintilantes

   astronauta flutuando frente a planeta

    Image parpizar almaulidina de Pixabay 

     Era uma vez uma astronauta que se chamava Kai. Ela era muito criativa. Tinha estudado os astros e queria conhecer outro planeta.

    Certo dia, ela foi para a NASA.

     Quando chegou, tinha um foguetão enorme, pintado de azul escuro, decorado com estrelas amarelas.

     Entrou e, por dentro, era moderno e rosa,com os motores já a funcionar.

      Quando descolou, foi tão rápido, que caiu de pernas para o ar. Durante o voo, ela comia pão, gelatina e salada de alface.

      Na sua equipa, iam a Matilda, Karina, Lua e o Céu. Eles gostavam muito de contar tudo o que passava por eles; enquanto contavam, escreviam os nomes dos planetas, dos asteroides e estrelas.

     Eles atravessaram uma chuva de estrelas cadentes muito luminosas e cintilantes.

     Viram um extraterrestre que tinha os olhos muito pequeninos, a boca muito grande, não tinha nariz; era verde, muito magro e comprido, com umas mãos médias e brilhantes.

      Estes seres foram vistos em Júpiter e a flutuar ao pé de Urano.

CT5A

A Menina que Comia Bolachas

cookies de amêndoaPhoto by Olenka Kotyk on Unsplash

     Era uma vez uma menina chamada Cláudia; tinha  o cabelo castanho e ondulado, os olhos cor de mel e usava sempre um vestido de fundo azul com bolachas desenhadas.

      Ela gostava de ler livros de aventuras e contos de fadas, gostava de desenhar pessoas, animais, mas também adorava desenhar bolachas e cozinhá-las.

     Um dia, a Mãe foi trabalhar e deixou a Cláudia sozinha em casa. Como estava sozinha, a Cláudia aproveitou para fazer as suas bolachas favoritas – as cookies – só que ela não tinha os ingredientes; então começou a inventar umas bolachas novas.

     Pegou em amêndoas e começou a triturá-las; em seguida, pegou em pepitas de chocolate branco, juntou tudo com farinha, açúcar, manteiga e foram para o forno.

     Entretanto, enquanto esperava pelas bolachas, foi ler um livro de aventuras. De repente, ouviu-se um toque: era o forno!

     A Cláudia foi ver: as deliciosas bolachas estavam prontas. Tirou-as do forno e provou uma:

      – Hum, é ótimo! Vou fazer mais.

     Quando abriu o armário, não tinha mais amêndoas nem pepitas de chocolate.

     Então a Cláudia foi para a rua, fazer uma venda de bolachas, a fim de ganhar dinheiro para comprar os ingredientes.

 (Fim da I Parte)

CA7A

Flippy, o Campeão

cão a nadarImagem de Prachya Singhto por Pixabay 

     Era uma vez um cão chamado Flippy, de raça pastor alemão, que era muito fofo e tinha um dono muito simpático.

     O Flippy sofria de uns problemas nos ossos e o dono queria ajudá-lo. 

     Um dia, ele encontrou um lago verde, onde viviam pequenos peixes. Desde esse dia, o dono ajudou sempre o seu cão a ir para a água, para o cão relaxar e os seus problemas passarem.

     Com todo este treino dentro de água, o cão tornou-se um grande nadador.

     Então, quando ele já estava bem, o dono quis inscrever o Flippy na natação.

     Mais tarde, ele chegou a ser chamado para as Aqualimpíadas. E aí, entre os melhores cães nadadores do mundo, ganhou um honroso primeiro lugar!

DJ5D

O Jovem que Ouvia uma Fada

     escutando as fadas

     Image parLarisa Koshkina de Pixabay 

     Era uma vez uma Fada que tinha a missão de proteger os rapazes que andavam no liceu: ajudar nos tpc, a preparar os testes…

     Era loira, com caracóis, tinha os olhos verdes, usava um vestido até aos joelhos, de cor rosa; a sua varinha era um pauzinho com uma estrela pequenina…

     Ela fez amizade com um adolescente de 13 anos, chamado João; ele tinha o cabelo castanho, o tom de pele claro e os olhos castanhos; era magro, pouco musculado e usava óculos.

    Ele gostava imenso de jogar futebol com os amigos.

     Um dia, o João estava com muitas dificuldades a estudar para o teste de Ciências, porque ele ficava, nas aulas, muito distraído  com o som dos pássaros e então não aprendia nada.

    Quando chegou a casa, da escola, a Mãe perguntou como tinha corrido o dia.

– Correu muito mal – queixou-se ele. – Porque não consigo resistir ao canto dos pássaros, eles cantam maravilhosamente e depois acabo por não ouvir os professores.

     Nessa noite, o João estava no seu quarto a estudar, quando começou a escutar um canto irresistível: era como se estivesse a ouvir o céu cheio de estrelas a cantar.

     Levantou-se, vestiu o casaco e as galochas e saiu para o jardim; quanto mais perto estava, melhor ouvia. E começou a escutar uma voz muito fininha que era de uma menina.

     Pôs-se debaixo de uma árvore, na ponta dos pés, para ver, mas não via nada. Entretanto ouviu uma gargalhada suave, e, de repente, ficou sem dúvidas a Ciências.

     Sentiu-se mais aliviado para o teste e teve a certeza que essa sabedoria e esse alívio vinham da voz que estava a escutar.

     – Olá, quem está aí?  – Perguntou o João à Fada.

   – Olá João, já não tens dúvidas?  – respondeu a Fada com ironia.

     – Não, é extraordinário, já não tenho. Mas quem és tu que eu oiço e não vejo? E como é que me encheste com tanta sabedoria? – perguntou novamente o João.

    – Eu sou a tua Fada. Ajudo os rapazes que têm problemas na Escola.

     E ele, espantado:

    – Por que é que eu não te vejo?

  – Tu não me vês porque tu só “abriste mais o ouvido”, graças à tua atitude que te torna capaz de encontrar o desconhecido. – respondeu a Fada com alegria.

     – Queres ser minha Amiga?  – Perguntou o João com grande desejo.

     Sim! – respondeu a Fada, super alegre.

      Um mês depois, o João e a Fada eram os dois melhores amigos.

      Para a Fada, o João tornou-se o amigo mais especial, que ela nunca tinha tido, e passaram sempre a ajudar-se um ao outro.

CA7A

   

Quem? Como? Porquê?

jovem a saltar na rua com calças encarnadas e segurando um tecido igual sobre a cabeça com os braços estendidosImage parMyriam Zilles de Pixabay 

    Querido Deus, 

     Às vezes fico a pensar em tantas perguntas que tenho para Te fazer…

     Como surgiram as Estrelas? Quando é que a Terra se formou? Por que é que as girafas são assim, com aquele pescoço comprido? Foi um acidente ou não?  Quem criou as cores?  Por que necessitamos de ar, água e comida? Por que é que o Sol traz calor? Quantas pessoas existem em todos os tempos juntos? Quando foi que a Terra se tornou habitável? E por que antes não era? Há vida em Marte? Foi Maria que criou os animais? Por que é que nós somos nós?

     Onde é que estás? Como és? Como celebras o Natal? 

     Por que há pessoas ruivas, brancas, morenas … pessoas altas, médias, baixas… mas, finalmente, por que há pessoas boas e pessoas más?

   Por que nos criaste? Por que temos de morrer e por que têm de nascer novas pessoas? Quando é que vamos descobrir o segredo para a Felicidade?

     Espero que, um dia, leias esta carta.

     Obrigada e Beijinhos

LM6A

PS – Se leres esta carta, escreve-me outra.

O Reino de Edicorax

reino edicoraxImage parDarkWorkX de Pixabay

     Outrora, na época dos Reis e Rainhas, existia um lugar chamado Edicorax onde habitavam as mais diversificadas espécies, desde Humanos, Feiticeiros, Sereias, Tritões, Mestres dos Ferros, Anjos e Dragões, Guardiães das Florestas e Ninfas.

      Feiticeiros: Conhecidos por possuir e comandar os poderes dos demónios, com um áspeto igual aos dos humanos; uma única diferença eram os seus olhos negros como a guerra, com uma estrela roxo-claro no centro das suas retinas, mas eram mais simpáticos do que muitos pensam.

     Tritões e Sereias:  Ao contrário do que se conta, eles não possuíam caudas, mas ainda assim conseguiam respirar debaixo de água e eram mais rápidos dentro do Oceano do que qualquer outro ser; possuíam uma madeixa diferente de cabelo, eram conhecidos por conseguirem controlar a água e, com ela, curar os habitantes de Edicorax inteiro.

     Mestres dos Ferros: eram eles que tinham as construções mais poderosas, incluindo as suas armas; com apenas um movimento eram capazes de erguer inúmeras construções de chumbo, prata, bronze, metano e muitos outros.

(Fim da Parte I)

MS8C

Carta do Responsável da Floresta

florexta encantada

Pxhere Atribuição: CC by 2.0

Responsável pela Floresta, 28 de Agosto de 2086

     Olá, graciosamente, Reino Misterioso,

      Peço desculpa por tudo o que fiz. Neste momento a Floresta está Maravilhosa:

  •      Já tem muitas pessoas a fazerem piqueniques;
  •      Muita gente vem ver os animais;
  •      Agora existe um pequeno comboio que leva as pessoas a atravessar a Floresta toda;
  •          A Floresta cresceu, multiplicaram-se as flores, os arbustos estão cheios de flores.
  •          Curei as feridas dos animais com o suco da melhor flor do jardim: a tulipa.

    Adeus.

    Responsável pela Floresta 

    P.S. Está tudo limpinho.

CG6B

Realidade Virtual e Realidade Real

realidade virtualImage parHarri Vick de Pixabay 

     Qual a diferença entre estas duas circunstâncias: Realidade virtual e realidade real? Para mim, a liberdade na realidade virtual é magnífica, porque, por exemplo, nos jogos, posso partir carros ao meio e na vida real, não.

      Por exemplo, no GTA V, têm lojas de armas como se fossem um supermercado! Quando se vai à frente de um polícia, ele fica logo desesperado e ganha-se. Mas na vida real, se vamos à frente de um polícia, ele não faz nada.

     Quando  estou a fazer vídeos para o grande YouTube, sinto-me bem, mas quando alguém vê os vídeos ao pé de mim, fico envergonhado.

      Às vezes tento ter ideias, mas não consigo pensar, porque, por exemplo, tenho que estudar, fazer tpc, e, com tantas tarefas, a inspiração, num estalo de dedos, vai-se embora.

     Assim, no mundo real, os momentos de liberdade são muito mais difíceis de segurar.

LJ6A

Decisões Difíceis

   prado, casa e cavalo dentro de mala

   Image parDarkWorkX de Pixabay 

     Querido Diário,

      Ontem foi um dia difícil: obrigaram-me a escrever e eu não tinha ideias.

    Sou uma rapariga de 13 anos, o meu sonho é praticar a equitação de uma forma artística.

    Na escola, estava a seguir dois cursos livres de Matemática e de Inglês.

    Não consegui estudar e treinar a arte da equitação ao mesmo tempo; bem tentei, mas, por fim, tive de me dedicar só aos cavalos.

     Por um lado, assim não estava tão atenta à escola: fiquei com imensa pena, porque gostava tanto das duas disciplinas!

     Entretanto, fui ganhando campeonatos de salto, com a minha égua Kiki, de pelo castanho brilhante, testa e patas brancas.

     Escovava-a com uma escova própria; ia andar nela e, quando acabasse, dava-lhe um banho; ela apreciava muito, mas molhava-me tanto que ia sempre de fato de banho. Depois, vestia-me e andava sozinha a passear pela escola.

     Via os outros a andar a cavalo no picadeiro e ficava a passear pelos caminhos da escola. Aprendi a andar lindamente, em três meses. Quando saí, tive pena: havia um cavalo preto, com a boca branca, chamado “Raminhos”, que era enorme: na aula seguinte, eu ia andar nele!

    Mas era preciso terminar os dois cursos. Por isso, em vez de ir várias vezes por semana á Equitação, passei a ir só uma.

(Ditado) – MM5A

Carta à Menina das Estrelas

Image by factory_d from Pixabay    PixBay Atribuição CC0Image by factory_d from Pixabay 

 Planeta Terra, 17 de Dezembro de 2072

     Querida Amiga,

     Estou cheia de saudades tuas! Adorei as pulseiras e o colar feitos de pedrinhas de Estrela que me mandaste. Estou a planear uma visita a tua casa, caso não te importes. Já inventaram carros voadores que conseguem levar-me até aí.

     Cada vez que penso em ver-te, sinto-me cada vez mais feliz, só de pensar que vou conhecer os teus Pais, as tuas Amigas e o teu melhor Amigo, de quem disseste que gostavas muito.

    É que é um mistério tão bonito, a nossa amizade: como há um bilião ou mais de pessoas humanas e isto aconteceu logo comigo! Dá-me tanta alegria!

     Eu sei que todas as pessoas são especiais: tu, eu, a nossa família, todos os outros… E, por pessoas, eu não quero incluir só os humanos, mas também os extraterrestres, os alienígenas, até os anjos e muitos mais.

     Porque a palavra “Pessoa” significa muito mais do que apenas humanos, significa toda diversidade de seres vivos livres e inteligentes, capazes de amar.

     Por isso é que adoro a nossa amizade.

     Beijinhos e Adeus.

     A tua Amiga Humana,

L.

     P.S. Quando aí for, vou-te levar chocolates. Tu vais adorar.

LM6A

Detalhes que Salvam o Planeta

pulseiras ecológicasImagem de Oficina de Escrita

    O Objetivo do nosso Trabalho

CCv O nosso trabalho é para apresentar na disciplina de Tic com Ciências. Vamos vender pulseiras a preços baixos e temos uma placa de cartão com fotos chocantes sobre os efeitos do aquecimento global e da poluição, para consciencializar as pessoas de que podem ajudar a salvar o  planeta.

Talvez tenhamos  uma caixa com papéis onde escrevemos mensagens tais como: “hoje vou apanhar 10 pedaços de lixo que encontro no chão”, “hoje não vou usar o telemóvel durante meia-hora”; “hoje vou reciclar todos os plásticos que vir.”

Maria – É melhor transmitir a mensagem oralmente, ao vender cada pulseira, para não gastarmos papel.

Queremos levar as pessoas a salvar o planeta através de pulseiras que simbolizam mensagens ecológicas.

missangas para as pulseirasImagem: Oficina de Escrita

Vender Quando e Onde?

B (convidada) – Vamos vender no Colégio durante os recreios, uma banquinha no recreio. Se sobrarem podemos vender no paredão.

Esta Estratégia será Eficiente? 

MS – As pessoas se estiverem a andar por aí, vão apanhar peças de lixo ou de reciclagem.  As pessoas vão se lembrar, ao ver o lixo, da mensagem que lhes foi transmitida ao comprarem a pulseira.

caixa de recursosImagem: Oficina de Escrita

Como fixar os Preços?

CCv– As pulseiras podem ser vendidas por preços baixos para recompor a nossa poupança; temos dívida para com as Mães; eu usei dinheiro que os avós dão por termos gasto imenso dinheiro a comprar estes materiais.

Imagens que Interpelam

MS – Vamos buscar imagens à net, imprimimos e colamos num cartaz preto; como por exemplo, um urso polar muito magro, imagens do lixo no oceano, um pássaro cheio de petróleo, crianças na lixeira de plástico…

E escrevemos uma frase a dizer:

Tu podes ajudar a salvar o planeta”

fios para as pulseirasImagem de: Oficina de Escrita

Distribuição de Contributos

CCv – Eu comprei fechos, argolinhas para colocar nos fechos e também as medalhas e fios. O fio mais fininho, de nylon, é o melhor. Aproveitei as missangas que já tinha em casa e peças de colares já partidos. 

B (Convidada) – O meu contributo foram todos estes saquinhos de missangas. Os melhores fios são os de elástico ou os de nylon.

Escolho as missangas pela cor e pelo tamanho.

Maria – Combinamos as cores aproximando as missangas para ver se as cores ficam bem juntas.

CCv e B – Nós também combinamos imaginando as combinações de cores, testando mentalmente se ficam bem.

Projetos de Futuras Estudantes

MS e CCv – No Futuro, queremos mostrar às pessoas o que realmente está a acontecer. Há pessoas que não ligam, não sabem o quão grave é.

MS – Pensam que estão a fazer uma diferença enorme, só porque estão a reciclar, mas não é caso para vangloriar-se disso. Por exemplo, no refeitório não compensa: pôr os sacos de reciclagem em todo o lado da Escola, torna-se inútil, mas em casa das pessoas é que é necessário.

No pingo doce dão uns sacos que eu uso para o almoço aqui no colégio, reutilizo tudo o que posso em plástico.

Uma amiga minha do Algarve esteve numa campanha cheia de cartazes a dizer “Salvem o Planeta” para consciencializar as pessoas para o aquecimento global.

Podemos comprar camisolas no Chinês e depois pintá-las e decorá-las: assim temos roupa original e não gastamos muito dinheiro.

Conversas na Oficina – CCv8B, MS8B e B8C – Convidada

Uma Fada Curiosa – I

Reino Mágico    Imagem de cocoparisienne por Pixabay 

     Era uma vez, na colmeia das fadas do Reino do Pó Mágico, uma fadinha chamada Cintila. Era a irmã do meio numa família de sete irmãs.

     Os pais de Cintila eram os Imperadores do Reino do Pó Mágico e tinham muita responsabilidade, pois nos últimos meses tinham ocorrido muitos ataques de humanos.

     A Família de Cintila vivia numa colmeia: é como se fosse o castelo ou fortaleza no Reino das Fadas.

    Cintila ficava a observar da janela do seu quarto, o povo e as casinhas feitas de cogumelos do Reino do Pó Mágico.

     E desejava um dia sair do Reino e conhecer os humanos e novas culturas.

     A Fada já sabia que nunca poderia sair do seu Reino, ainda por cima com os ataques recentes, os seus pais estavam superprotetores e nem a deixavam sair da colmeia.

     Mesmo assim, a Fadinha não parava de sonhar que um dia poderia sair, visitar o mundo e ser livre.

    Contou à sua irmã mais velha, em quem confiava bastante, sobre o seu sonho de conhecer novos reinos; a sua irmã, chamada Pétala, compreendeu-a e apoiou a sua ideia.

     A Pétala contou á Cintila que conhecia uma Feiticeira do Bem, chamada Milana, que a podia ajudar a sair do Reino sem ninguém se aperceber.

    Cintila ficou muito entusiasmada com o que a sua irmã lhe tinha contado; fez uma mala pequena e foi de , madrugada a casa da Milana, com as indicações de Pétala e sem que ninguém soubesse.

     Depois de algum tempo de viagem, finalmente chegou  a uma casinha coberta de trepadeiras com rosas brotadas.

     Entrou, depois de bater á porta e Milana apareceu com um traje largo e comprido, e, sem que Cintila dissesse uma palavra, a Feiticeira já sabia o que ela queria e deu-lhe uma capa da invisibilidade, para que, na sua fuga, ninguém a visse.

(Fim da I Parte)

CCv8B

As Minhas Melhores Férias

 

cachorrinhoImage parGerhard Gellinger de Pixabay 

     Na primeira semana, vou ficar cá na Escola ou com o primo do meu Pai, pois o meu irmão tem aulas. Fazem um passeio de finalistas de 1º ciclo, saem a 21.

     No Domingo 16, eu faço a minha Festa com os meus amigos e amigas. Vamos jogar Paint Ball! A seguir da Festa, eu vou com os meus pais e irmão comprar o telefone que eu quero: estou hesitando entre iphone-6 ou o huwawei-Y7- 2019.

    Estou mais inclinado para o modelo chinês porque o iphone baralha-me um pouco. No botão redondo tenho que carregar duas vezes, o que é um pouco estranho. O Huwawei tem 64 Gigas, é melhor para jogos. Gosto de jogar Fortnite, Brawl-Stars e Fut Draft-19.

     Na segunda semana, eu tenciono ir a casa dos meus avós, ver os cãezinhos bebés e ir dar passeios pelo campo com o meu avô. No tanque da rega, podemos nadar e mergulhar, mas vamos mais para a piscina. O meu avô leva um barril gigante no trator e vai buscar água fria ao poço para encher a piscina.

     Para os Amigos e Famílias desejo umas boas Férias, que se divirtam muito. Não façam queimadura por causa do Sol, e não façam coisas arriscadas em que possam partir uma perna, porque isso vai-vos estragar as férias!

(Em parte Ditado) AS5C

Simulator I – As Origens

jedi para representar um superheróiImage parprettysleepy1 de Pixabay 

     Cá estamos em direto do Parque Marechal Carmona, onde vemos o nosso herói a salvar o dia novamente.

    Vamos tentar chamar a sua atenção.

     – Aqui, Aqui!

    Acho que conseguimos que ele ouvisse, porque está a aterrar do seu voo.

    – Olá, Olá a todos! E a vocês que estão aí em casa.

    – Simulator, obrigada por nos dar uma entrevista. Como se tornou um Superherói?

     – Foi uma história engraçada. Estava eu a discutir com o meu irmão, quando, subitamente, veio-me uma força física enorme.

     Fui avisar os meus pais e o meu pai contou-me uma história. Há muito, muito tempo, existia uma cidade que ficava no fim do mundo. Lá, todos tinham poderes diferentes uns dos outros. Como a superforça, supervelocidade, o poder do gelo, o poder do fogo, o dom da invisibilidade, o dom de ler a mente, o dom aquático, o poder de voar…

     O rei desse povo, um dia, teve um filho, mas as outras pessoas não gostaram, porque ele era demasiado poderoso: tinha herdado todos os superpoderes!

     As pessoas pensavam que se podia tornar numa ameaça para o mundo. Houve motins, até que o rei pegou no seu filho e colocou-o numa caixa, a flutuar no mar.

      O rei espalhou a palavra de que o filho tinha desaparecido.

      Entretanto, o bebé foi encontrado e adotado, nos mares Atlânticos, por uma senhora rica. Deram-lhe o nome de “Aquântico”,;foi criado com amor e tornou-se um grande homem.

     Esta história queria dizer que esse senhor era  um antepassado meu.

    – Uau! Que fabulosa história!

Fim da Parte I

TF5B

Um Salto em Motocross

salto de rampa em motocrossImage parRonald Plett de Pixabay

     Havia um menino chamado José que adorava andar de mota. Um dia, foi a uma competição de corrida e, de tão animado e tão empenhado, caiu e magoou-se muito.

     Nunca mais andou de mota, até que um amigo lhe disse:

   – É melhor voltares a andar de mota, porque senão perdes a vontade.

    Aí, o José percebeu que devia tentar e lá foi ele, todo contente, ligar a mota. José voltou às corridas e competições.

    Um conselho: “Sempre que forem dar um salto, nunca comecem por se pôr em pé; vão sempre sentados; quando estiverem na parte superior da rampa, ponham-se em pé e aí é que conseguem dar um salto perfeito. Não façam como eu, que comecei já em pé, porque aí vão dar uma grande queda!”

ZG6B