As Minhas Férias de Verão Inesquecíveis

     

       Flickr.com Autor: Vítor Oliveira

      Eu, o meu pai, o meu amigo e os dois cães, partimos dia 27 de Junho. 

     Eu e o meu Pai já planeamos algumas atividades: por exemplo, vamos com duas redes apanhar caranguejos, mas bem cedo.

    Depois de os apanharmos, devolvemo-los ao mar, mas antes de os devolvermos à lagoa, nós pegamos no balde onde estão, despejamos na areia, eles começam a correr e nós fazemos apostas a ver quem chega primeiro ao mar, mas os cães acabam por torturar os caranguejos: ou pisam-nos com as patas ou agarram-nos com a boca e atiram-nos para onde eles quiserem.

    Também vai haver Praia, todos os dias, muito cedo de manhã, vamos para a praia; para não apanharmos muita gente, instalamo-nos nas dunas com as nossas coisas: toalhas, guarda-sol, etc.

    O meu Pai vai levar só um dos cães de cada vez para a praia, enquanto eu e o meu amigo vamos apanhar ondas nas nossas pranchas de bodyboard.

   Vão ser momentos muito divertidos e inesquecíveis, porque, quando estamos dentro da onda, não nos apetece sair de lá, pois é calmo.

     Quando acabarmos, vamos relaxar para a piscina com as nossas boias, a apanhar sol; também vamos jogar golfe e vai ser formidável, porque já não jogamos há muito tempo.

     Vamos andar de Buggy pelo jardim inteiro da casa que é enorme, com relva, algumas palmeiras e figueiras; vou apanhar figos para a minha Mãe.

     Mais à noite, cansados, vamos ver filmes na Netflix, de terror, de aventura e ação, de comédia, com os cães deitados ao pé do sofá.

    E o melhor de tudo, vamos dormir com os nossos cães nos nossos quartos! Vamos usá-los como peluches; o Jungle, que é o pastor alemão, tem mais cara de ir dormir ao nosso lado, enquanto o Stark, tem cara de ir refastelar-se em cima de nós e mexe-se imenso até adormecer!

TB6A

CAD em Isolamento – A Verdadeira Vida na Aldeia

   boi com franja

Imagem de Pexels por Pixabay 

     É bom viver na Aldeia, na situação da Covid-19, porque há ar puro e muito espaço livre.

   A Aldeia dá-nos liberdade e alimento. A liberdade de fazer piqueniques no nosso terreno, brincar e correr.

ovelha e cordeiro

   Imagem de 272447 por Pixabay 

     Os animais, no campo, como porcos, coelhos, galinhas, ovelhas, estão ao ar livre, a correr, também podemos caçar javalis, perdizes e lebres;  aquilo que criamos, ou vendemos ou comemos.

  Na Agricultura, tem de se trabalhar no duro para sobreviver; também fazer as nossas próprias cabanas e engenhocas.

cebolasImagem de Couleur por Pixabay 

  Já plantei feijão, tomate, pepino, abóbora, melancia, batata, cenouras, alface  couves e alho.

   No ritmo dos dias na Aldeia, o trabalho é intenso, mas tranquilo porque se ouvem os pássaros a cantar e às vezes, temos que acordar ás sete e despegar às sete da tarde ou oito da noite, já com o sol a pôr-se numas nuvens laranja.

hortaMuséum de Toulouse

  Na Aldeia há muito convívio, como por exemplo, se alguém nos ajudar, nós, em troca, damos almoço, lenha ou outros mantimentos.

   Também se conhecem uns aos outros exceto os mais pequeninos. 

   Por isso é que as Aldeias têm que ser respeitadas e estimadas.

TS6D

70 ANOS CAD – O Concerto dos Queen – (2012)

QueenFlickr. com Evert Kuiken

     Neste dia foi tudo muito giro e barulhento no Concerto dos Queen. Foi um “programa de homens”: só eu e o meu Pai – uma noite de verão na Comporta.

     O meu Pai tem lá uma casa, mas não fomos lá passar o dia; ficamos num motel mais perto do Concerto. Chegámos lá um dia antes; comemos pizza de almoço, fomos ao Supermercado comprar coisinhas boas – uns doces “tipo” bolachas. O jantar foi o resto da Pizza, pois não tinha comido tudo.

     Na hora do Concerto, chegou o meu tio  – que tinha organizado o Concerto – e deu-nos bilhetes de graça. Havia uns papelinhos, lá no Concerto, que eram como se fosse dinheiro: um euro verdadeiro por cada bilhetinho. O meu Pai comprou um bloquinho com cem desses bilhetes.

     Quando o concerto começou, tocou logo as músicas que eu mais conhecia: “We are the Champions“, “We will rock you“. A música estava aos berros e eu fiquei com dores de cabeça, mas mesmo assim, gostei de ouvir.

    Estava uma bela lua cheia, mas os efeitos de luz não eram lá grande coisa. Fomos para trás de tudo, só estávamos ao ar livre, foi tudo muito bonito: olhar as estrelas e a lua naquela escuridão.

     Não era a verdadeira banda, eram espanhóis, mas imitaram bem. O ambiente era leve, mas barulhento, as pessoas que estavam à volta faziam parecer que estavam mais de mil pessoas lá.

     Saímos mais cedo e encontrámos dois senhores à porta, sentados à beira da estrada. O meu Pai deu os nossos bilhetes a eles e voltámos para o Motel, que só tinha cinco quartos.

     Escolhi este momento porque foi um momento em Família, a ouvir uma das minhas bandas preferidas.

70 Anos CAD – Miguel F, nº 20 5C – 2012 Atualmente no 12º Ano

70 Anos CAD – Noite Estrelada (2012)

 noite estrelada

  Imagem: Gentileza da Autora

     Eu pintei um quadro chamado “Noite Estrelada”, em que o artista desse quadro chama-se Van Ghog.

      Esse quadro inspirou-me muito, sobretudo a forma como ele fez as combinações de cores no vento.

    Quando pintava o maravilhoso quadro, sentia-me cada vez mais dentro dele e imaginava-me naquela linda paisagem.

      Eu tenho uma grande paixão pela pintura e tenciono não deixar de pintar. Um conselho que vos dou é não deixar de fazer o que gostamos.

70 Anos CAD – ACR 5C –  2012

(Direção de Turma da Prof P.Xavier)

70 Anos CAD – O Que Vejo da Janela Do Meu Quarto (200)

paisagem pinturaFlickr.com Wonderlaine

     Há algum tempo que vivo aqui e só hoje é que reparei na vista que tinha da minha janela. Não é muita, mas é alguma. De repente, veio-me à cabeça a quantidade de vida que existe neste local.

    À minha frente vejo plantas floridas e abelhas a fazer comércio. Vejo também moscas a fazer corridas de um lado para o outro, a ver quem é a mais rápida.

     À minha esquerda, vejo o limoeiro da vizinha e, finalmente, à minha direita, vejo as minhas tartarugas a apanhar banhos de sol.

    Do céu, os raios de Sol entram pelo meu quintal fora e fazem concurso a ver quem consegue iluminar mais coisas.

    Vejo pardalecos a brincar à apanhada. O meu papagaio passa as tardes a ladrar e a miar, a assobiar, a cantar os parabéns e até a chamar-me.  Os meus periquitos estão sempre a namorar, como duas pessoas e a entrar dentro dos seus ninhos e a cuidarem dos seus ovos.

    Quando o meu cão vai ao quintal e as moscas se põem de volta dele, ele tenta trincá-las.

    Nos dias de Sol, o quinta cheira a harmonia e sente-se que os seres vivos falam uns com os outros.

     Quando anoitece, toda esta magia que está no meu quintal desaparece e fica tudo calmo e silencioso.

    Quando o dia nasce, repete-se tudo. E todos os dias isso acontece.

70 Anos CAD – PA6B – 2000

Publicado in “Boletim Informativo Colégio Amor de Deus” – 2000

A Vida de T. em Quarentena

fortnitePexels.com

     As minhas Disciplinas favoritas são EF CN e HGP. Educação Física, por poder divertir-me a correr e a mexer o corpo. Ciências, porque  gosto de estudar os animais e as plantas. HGP, porque acho engraçado estudar o passado, saber sobre as pessoas do passado.

     O meu animal favorito é o cão. Tenho um pastor alemão, e um pastor belga Malinois. Chamam se Jungle e  Stark. Às vezes vamos passear com o meu Pai.

      Durante a Quarentena, normalmente leio um livro, jogo um jogo, almoço, brinco e leio mais. Faço EF em casa, com a minha Mãe.

    Ando a ler BD: Astérix e Obélix, vou começar a ler o Tintin.

   Jogo o Cluedo à noite com o meu Pai e com o meu irmão; jogo vídeo jogos – Fortnite, GTA – com o meu Irmão ou com o meu vizinho.

     O momento que aprecio mais é a manhã. Porque gosto de acordar, jogar um bocadinho de Fortnite como hoje fiz, e fazer Educação Física.

    Às vezes é difícil a situação que vivemos, porque parece que já não aturo ninguém cá em casa. Mas tenho privacidade, posso estar sozinho, tranco o quarto para ninguém entrar, e leio.

    Da janela do quarto vejo os meus vizinhos. Dizemos “Olá” – jogo fortnite com o meu vizinho, às vezes.

   Os meus cães estão no jardim a brincar. Posso ir ao jardim sempre que quero e correr!

    Desejo aos meus amigos em casa que nos devemos manter fortes em relação à Quarentena e espero Abraçá-los em breve!

CAD em Isolamento – Conversas na Oficina – TB6A 

70 Anos do CAD – “A Minha Bisavó” – 2007

bisavóImage by Oberholster Venita from Pixabay 

     A minha Bisavó brincava muito comigo, porque gostava muito de mim e eu dela.

     Eu vi-a muitas vezes, só que, quando chegava a casa dela, estava a dormir, porque ia do Porto para casa dela, mas depois eu acordava.

      Uma vez, fiquei muito contente, porque, no Natal, deu-me muitas prendas e até me deu uma moto-quatro.

      Depois, quando ela morreu, fiquei muito triste, e eu, os meus Pais e os meus Irmãos choramos muito.

    Quando ia dormir, estava sempre a sonhar, quer dizer, a pensar nela. Às vezes os sonhos eram bons, estava-me a lembrar das brincadeiras que fazia com a minha Bisavó. 

    A minha Bisavó foi uma amiga muito especial para mim e para a minha Família. 

    Gosto muito de ti, Bisavó.

70 Anos do CAD FV5C 2007

O Que Me Faz Voar – 3

     guitarra

Image par Daniel Wanke de Pixabay     

     A última vez que joguei ao Cluedo com a minha Família por acaso até estava lá a minha Avó – lembro-me que eu, a minha Mãe e a minha Avó estávamos a beber chá enquanto jogávamos; estávamos a jogar na sala de jantar à volta da mesa e distribuímos as personagens por cada um – eu era a Scarlett.

    Este jogo ajuda o João a ter mais paciência e eu gosto deste jogo porque convivemos e estamos todos juntos.

    Normalmente jogo Minecraft na X-Box: é um jogo giro, que desenvolve a criatividade:  vamos construir casas e temos de ter imaginação para as construir. Eu crio cães, gatos, pássaros, raposas e alimento-os para ficarem comigo.

    Quando acabo de tratar da mochila e de escolher a roupa, vou às escondidas para o meu quarto tocar guitarra. Como toco baixinho, os meus irmãos não ouvem e, por isso, nunca ninguém sabe quando é que eu estou a tocar guitarra.

     Toco com acordes, por exemplo, “O Frango e a Galinha”, que implica mexer mais os dedos; quando toco flauta, como o “Big, Big  World”, sei as notas de cor, não preciso de pauta.

  Normalmente desenho animais – também faço isto às escondidas – porque gosto muito de animais, especialmente gatos. Yoda serve-me de modelo; ele vai sempre ter comigo, então, é mais fácil.

BB5C 

Desporto, História e Xadrez

                              Wikimedia Commons

     Era uma vez um menino chamado LB; ele gostava muito de desporto, como o futebol, o basket e ainda um desporto  – que não se sabe se é mesmo um desporto – o Xadrez. 

    Apesar de ele ser interessado por História, a sua grande paixão é o Xadrez. Neste, o que ele mais apreciava era a concentração: é como se fosse magia, é o silêncio grande para o público e os jogadores. Ele – não num sentido literal – é apaixonado pelo Xadrez. 

     Ele também era muito fã de História, porque os seus familiares eram descendentes dos Reis de Portugal. Um antepassado foi D. João de Castro: na sua crise foi preso para o resto da sua vida.

    Antes de acontecer esta crise, também D. Afonso Henriques conseguiu realizar os desejos de seu Pai, D. Henrique, de tornar o Condado num País. Quando conseguiu, ainda demorou 37 anos, até que o Papa o reconheceu como Rei Cristão. 

LB5A

Projetos de Páscoa

   Em Abril, vou de férias para Madrid. Nesta viagem, vou com o meu Pai e a minha Madrasta.

    Estou muito feliz, pois é a primeira vez que vou lá. Acho que vai ser um lugar lindo! Vamos alugar uma casa, em vez de comprar, pois assim ficava muito cara e a casa alugada é a mais barata.

     Os meus planos para estas Férias da Páscoa são: 

      • Ir às lojas com saldos.

corte inglêsWikimedia Commons

      • Ir ver museus lindos, como o Museu do Prado.

Condessa espanholaFederico de Madrazo – Wikipedia Commons

      • Fazer um passeio nos Jardins de Madrid.

jardins de madridImage par Carabo Spain de Pixabay

      • Tirar fotos nos lugares mais maravilhosos de Madrid.

AlmudenaImage par ddzphoto de Pixabay 

     Estou ansiosa para fazer estas coisas durante estes 4 dias em Madrid! Também gosto de jogar ao Uno, nos tempos livres podia fazer isso…

CM6C

Gratidão pelo Passado, Esperança de Futuro

ponte, estruturaImage by moritz320 from Pixabay

    O meu dia especial é quando faço anos, porque é quando posso começar uma vida nova.  Está sempre calor, pois faço anos a 13 de Junho.

   O ano passado, esse dia foi muito bom, porque pude convidar amigos. Fomos ao Paintball, disparamos bolas de tintas e, ao fim da festa, eu e dois amigos meus ficamos no Playbowling a brincar, enquanto as mães conversavam.

     No meu aniversário, celebro a minha mãe ter-me dado à luz, vivo, há tantos anos. 

    Também celebro a minha história até ao meu dia atual; ela tem sido boa, pois não tive nenhum acidente grave até hoje.

    Além disso, ainda celebro a minha esperança de futuro, que é ser Agricultor ou, mais recentemente, Armador de Ferro.

    O meu tio constrói pilares de prédios e de vivendas.Às vezes vou com ele; tem alguns empregados, como o João, que é pedreiro e cimenta os blocos.

    Primeiro constrói-se o muro, deixa-se um espacinho no meio e na ponta do muro; depois põem-se  tábuas à volta do buraco, enfia-se o pilar de ferro e pomos massa à volta para encher o buraco. As tábuas impedem a massa de sair fora. Uma máquina que vibra ajuda a consolidar a massa. Deixa-se secar e retiram-se as tábuas.

TS6D

Em Festa com os Amigos

balões Image by Prawny from Pixabay 

     Neste fim de semana, quando houver a pausa letiva, vou fazer uma festa em que os meus amigos vêm dormir a minha casa.

     Quando eu fiz anos, tinha já feito uma festa destas, mas agora vai ser mais fixe.

    Na Festa dos meus anos, ficamos toda a noite a ver televisão e a jogar telemóvel no meu quarto!  Divertimo-nos a fazer “pranks” ou “trollagens” a noite inteira…

    Acho que nesta festa de Amigos, vamos dormir para a sala,  nos sofás, e vamos ver toda a noite, Netflix e jogar no telmóvel, sempre às escuras.

    Umas horas antes de os meus amigos chegarem, o meu Pai e eu vamos fazer uns folhados muito bons. 

   O sentido da diversão é fazer-nos felizes. Nesta felicidade é fundamental a presença dos amigos, pois eu não sou totalmente eu sem os meus amigos, porque eles me ajudam em tudo e eu a eles.

DJ6D

Nasci com a Natureza

paisagemImage par Larisa Koshkina de Pixabay 

      A Natureza, para mim, é a nossa Vida, onde temos Paz.

     O mar também é formado pela Natureza: eu gosto tanto do Mar!

     Dá para surfar, mergulhar, nadar e andar de barco. Eu aprendi a andar de Optimist em S. Martinho do Porto, com o meu irmão e a minha prima.

    Posso ajudar a Natureza evitando a poluição e usando os ecopontos. 

     Tenho um quintal enorme, com pinheiros, uma figueira e outras árvores, um relvado e uma piscina com relva á volta, um pátio, uma mata e um terreno.

     Os meus cães, Noite e Vaquinha, passeiam por todo o lado, até entram e saem á vontade. 

      Eu nasci com a Natureza e vivo com ela.

DC5A

O Fogo de 2020

fogo de artificio e 2020Image by Linus Schütz from Pixabay 

     Passei o Ano Novo no barco do meu Tio, no rio Tejo, em Lisboa. No barco, estava muita gente: toda a minha Família, uma Amiga da nossa idade e dois Tios emprestados.

     Fui avisando que horas eram a cada minuto que passava. Sentia como é giro experimentar uma coisa nova e como foi bom voltar a andar de barco.

     Quase à meia-noite, disse para toda a gente, até para as outras pessoas do barco vizinho: “- Já são 23h 59!” E preparei o telemóvel para filmar.

     Quando começou o fogo de artíficio estava um pouco escuro, só se viam as luzes de navegação e das casas.

    O fogo estava cheio de cor e vida; nós estávamos mesmo por baixo: cada forma ia em diferentes cores: às vezes como estrelas brancas, com riscas verdes e azuis. Outras vezes, o fogo parecia dizer “2020” numa explosão de cores!

     Quando acabou o fogo de artifício, estávamos todos contentes por ter começado um Novo Ano, uma Nova Década! Começamos a festejar, demos trocas de Abraços, fizemos votos de Alegria e eu berrei:

“2020” 

BB5C

A Natureza é Vida

por do solImage by kordula vahle from Pixabay 

     Para mim, a Natureza é Vida, que podemos usar para acabar com o Stress, em momentos em que podemos descontrair.

    O meu estudo de Ciências é aplicado em minha casa, a reciclar os quatro materiais: plástico, vidro, papel e metais.

  Posso ajudar a Natureza de maneiras diferentes, como por exemplo: não poluindo, começando a reciclar regularmente, parando a vandalização. 

   Eu vivo mais intensamente a Natureza quando estou no mar. Adoro uma paisagem quando vejo o pôr do sol atrás do mar.

  Quando olhamos para o mar, ao pôr do sol, sentimo-nos maravilhados; quando ficamos com os olhos fitos, às vezes parece que estamos a tirar uma fotografia, de modo que depois, conseguimos lembrar-nos, no futuro.

AB6B

Relações Vivas

bicicleta floridaImage by JL G from Pixabay 

     As minhas Férias de Natal foram mesmo boas! O melhor momento foi quando estive com a Madalena C, que é a minha melhor amiga e vive em Londres.

      Nós estivemos a ver a minha casa nova e demos uma volta de bicicleta e paramos num bar para comer panquecas com Nutella.

      Uma das atitudes que eu apreciei, foi quando eu caí da bicicleta: ela riu-se e eu fiquei espantada porque ela se riu de mim. Mas depois comecei a rir-me com ela.

          Uma situação que valorizei foi durante o jantar de Natal dos Morões e dos Mendonças:  eu corei tanto de Felicidade, eu Adorei!

          Uma das conversas mais interessantes foi quando estávamos a falar dos nossos amigos de Portugal e de Londres.

          Uma questão difícil que coloco a mim própria é: por que sou uma pessoa e não um tigre ou outra coisa?

         Uma pessoa única é a Madalena C: eu adoro-a, ela é leal, posso confiar nela; é uma pessoa desportiva, adora dar passeios de bicicleta a conversar comigo.

MM6D

Um Dia Tão Especial

balões de festaImage par Prawny de Pixabay 

     Fiz anos no dia 7 de Janeiro, terça-feira; estava ansiosa e, ao mesmo tempo, nervosa, mas correu muito bem. O meu bolo estava enfeitado com uma banda coreana chamada Black Pink.

     O presente de que eu mais gostei foi um microfone que , ao mesmo tempo é uma coluna. A minha madrasta deu-me esse microfone porque eu canto muitas vezes.

     Marquei a minha festa no dia 25 de Janeiro, porque estou com gesso na minha mão esquerda e se fizesse no dia 11, não tinha piada. A minha festa vai ser na Micolândia, em Sintra, Têm vários programas e eu decidi fazer aquele em que se dorme lá!

     Agora pergunto…

Porque celebramos este dia tão especial para nós?

CM6C

Alguém Toca um Sino…

sino natalImage par Ольга Бережна de Pixabay 

     Este Natal decorei a minha casa com a árvore de Natal e com luzes à volta da casa.

     Na escola, na minha turma, estamos a fazer um cabaz de Natal, para onde dei muitos alimentos e artigos de higiene.

     Este Natal desejo, para a minha Família, muito amor; para os meus amigos, desejo um Bom Natal. A mensagem que enviaria para o mundo seria: “Sejam Felizes. Tenham Boas Festas”.

     No dia 29 vou jantar a casa dos meus Avós paternos e com os Primos. Primeiro, jantamos e, depois, à meia-noite, levam-nos para o quarto com a minha Avó.

    Ela começa a fazer-nos perguntas sobre o Natal, enquanto os meus Pais e Tios põem as prendas na sala. Depois, alguém toca um sino; então, nós saímos do quarto, começamos a abrir as prendas e a sala fica uma confusão!

     No dia 25, vou almoçar a casa da mnha Avó materna; abrimos as prendas e é sempre muito mágico. Ao jantar, vou para casa do meu Avô materno; depois do jantar, o meu Avô dá um presente a cada um e ficamos muito felizes. 

     Este ano, sou eu que vou fazer algumas perguntas à minha Avó materna, sobre a sua vida no Brasil, as suas grandes recordações, as suas expectativas de futuro.

CA8A

Inspirações de Vida

bailarina e lua cheiaImagem de DarkWorkX por Pixabay 

     Eu adoro escrever. De noite, podia escrever mil textos!

     Além do canto, a escrita, e ainda falta uma: a dança!

   Comecei a cantar desde os meus 3 anos. Não escolho um momento para cantar, eu canto e pronto.

    O meu irmão tem aulas de guitarra, não aqui na escola. Vai aprender a música preferida da minha bisavó. A mãe da minha avó morreu há pouco tempo e nós cantamos a música preferida dela no Natal.

    A dança representa, para mim, a Alegria. Quando estou triste ou contente, faz-me desanuviar e esticar um pouco, faz com que eu me sinta bem.

   O que gosto mais de dançar são dois tipos de dança: HipHop e outro que é mesmo dança clássica, ballet. Danço por instinto. Aos quatro anos inscrevi-me no ballet e saí aos seis anos, então sei os passos.

   Nas outras atividades favoritas, participo no coro do Colégio e escrevo muito.

Conversas na Oficina – LS5B

A Surpresa do Natal

   

Image par Terri Cnudde de Pixabay 

   No Natal,  vou visitar os meus bisavós a Viseu e é sempre um máximo. Todos os Natais há uma experiência diferente, pode haver as mesmas pessoas, as mesmas atividades, mas não os mesmos momentos.

    No momento de abrir os presentes, o que acontece é que toda a Família fica na sala de estar, enquanto duas pessoas vão pôr os presentes na cozinha, dando a volta por fora. A seguir, voltam os dois para a sala e ouve-se um barulho na cozinha: vamos ver e está o chão coberto de presentes!

     Os meus irmãos ficam a discutir acerca do Pai Natal, enquanto eu, a minha Mãe  e a minha Tia Linda vamos levando os presentes para a sala de estar: e aí fazemos a distribuição dos presentes.

     Eu estou ansiosa que esse dia chegue de novo.

IM7A