Desporto, minha Vida

Image par G.C. de Pixabay

     O Desporto é a minha vida – e a vida de muita gente. Quando estou triste, só me apetece fazer desporto ou estar com os meus cães. O meu bem-estar só funciona quando estou com desporto; gosto de todo o tipo de Desporto: ténis, padel, surf, vólei, basket, baseball, football: o Desporto faz-me feliz! 

     Ténis – é o melhor desporto do mundo! Foi o primeiro que apareceu na minha vida  e já o jogo há nove anos.

     Comecei Padel há dois anos, com amigos; pratico só de vez em quando, ainda não estou inscrita em aulas; estou a achar que é giro e terapêutico. 

    Surf é um desporto que exige muita força e em que eu estou há cerca de 5 anos; a escola chama-se Shorebreak e as minhas praias preferidas são as da Costa, Carcavelos, Torre…

     Só estou há um ano no Vólei, e divirto-me muito porque estou com as minhas amigas, no Estoril-Praia, que joga cá na Escola. 

     Basket é um desporto que só aprecio jogar durante as aulas de EF, porque estou com amigas e me divirto a jogar na equipa delas. 

     Futebol é um jogo em que só participo nas aulas de EF, no qual se corre muito e eu adoro correr. 

    Resumindo: DESPORTO é a MINHA VIDA – e ninguém me pode dizer o contrário .

Escrita Autobiográfica – O que Me Inspira –  MCC7A23-24

Os Meios da Liberdade

     

Image par Patou Ricard de Pixaba

     Os Tempos livres significam, para mim,  a Liberdade do Galope, a liberdade do Cavalo e só estamos Eu e o Cavalo!

      Jogar Ténis e bater com a máxima força na bola: a prática do ténis ajuda-nos psicologicamente; ganhamos paciência…capacidade de manter a concentração quando se está a perder, treinamos também a boa educação – às vezes há jogadores que se irritam e partem a raquete!

   Na bicicleta, pedalamos com muita velocidade! Estamos ao ar livre, a sentir o  vento quente a bater-nos na cara.

    Na equitação, já estou a saltar no picadeiro grande, com a Quimera, que é uma égua russa e branca,  maior que o XS e muito mansinha.

    Vou começar a montar o Artista, mas também vou continuar com o XS. Vou ter muita adrenalina com o Artista, um cavalo russo, branco, com muitas pintinhas pretas, de estatura média, crinas brancas e curtas de focinho macio.

    Ele é vivo, um pouco assustadiço, mas já melhorou a sua mania de dar coices no volteio e de dar camgochas nos saltos; o Artista é um cavalo forte e encorpado, que salta muito alto.

     O Artista é um cavalo fino, a quem não se pode dar muito com o esporim, senão ele zanga-se connosco. É rápido, tem uns andamentos bonitos, levanta o casco ao andar e galopar. É um cavalo que esconde a verdadeira idade, pois tem muita energia.

CAD – 2º Confinamento – JM5A

CAD em Isolamento – “O Que Me Faz Voar”

velocidade furiosaCommons Wikimedia.org     

     Gosto de ver Netflix, fazer desporto e jogar.

    O meu Género de filmes é ação e aventura; às vezes vejo uns de horror, mas prefiro os realistas.

    Filmes que aconselho são os do “Harry Potter” e “Velocidade Furiosa”.

     Uma cena marcante no “Velocidade Furiosa” foi a homenagem ao ator secundário que morreu enquanto acelerava demasiado numa curva e foi contra uma árvore.

   Mostraram imagens dele e do ator principal: como iam por caminhos diferentes, o ator principal ficava no filme e o outro  ia por outro caminho a identificar que esse caminho era o céu e o autor principal disse que nunca se iriam separar, iriam ficar sempre juntos.

sufing

   Image par Free-Photos de Pixabay 

     Os meus desportos favoritos são o Ténis e o Surf .

    Na prática do Ténis, desenvolvo a rapidez ao correr de um lado para o outro do campo; sinto que desenvolvemos os reflexos que nós temos, ao tentar tocar na bola, quando ela vem de repente. Para aquecer corro à volta do campo e, se falho a bola, às vezes a professora manda-me fazer flexões.

     Até agora entrei em torneios pequenos; gostava de entrar em campeonatos maiores como no campeonato mundial. O Guga já vai a Campeonatos Mundiais.

    A minha experiência de Surf é um projeto para o Verão, pois gosto imenso de estar na água; vou à Comporta e ao Algarve.

   Quando apanho umas ondas, deitado na prancha, gosto muito, é bom estar na água, é uma sorte estar na água, tenho uma sensação única.

    Adoro sentir-me bem no Mar e ter aquela sensação de conforto na água.

esquadrõesPexels.com Author: Everson Meyer

   O meu videojogo favorito é o Fortnite. Comunico com os amigos, às vezes conheço amigos dos amigos, que antes não conhecia.

   O mais interessante do jogo é o trabalho em equipa para conseguir vencer. Há vários modos, um dos quais é “Esquadrões”, em que temos de estar a olhar uns para os outros e ver se ninguém é atacado.

   Na prática do Fortnite, desenvolvo reflexos, pois quando dão tiros no jogo, sinto que vem alguém, sinto passos a virem, penso que é alguém e ponho-me sempre em alerta.

Conversas na Oficina – TB6A

A Magia do Ténis

ténisFlickr.com Max Elman

    Se pudesse, eu inventava a magia: isto seria, claro, nos desportos, mais no Ténis. O Ténis é o meu Desporto preferido.

    Se me dissessem para eu escolher uma magia, eu iria escolher a magia do Ténis: no Ténis, jogavam todos muito bem, mas eu ficava com uma magia que ganhava a toda a gente.

     Como eu jogava bem, dava sempre os passos que eram precisos para bater na bola, levava a raquete sempre até onde já não pudesse.

    Tinha muita técnica: amortis, uma bola curta, bola comprida, fazê-la correr, meter sempre a bola onde eu queria e os serviços fabulosos!

     A Portuguesa Michelle Brito ganhou à Maria Sharapova, que é a melhor do mundo! E eu, se lutar, posso ganhar a muita gente!

    Já fui a torneios internacionais e nacionais, A, B e C: o C é torneios nacionais em Lisboa; B – torneios nacionais mais perto de Cascais; A – torneios nacionais longe, como no Porto, por exemplo. Nos Internacionais, ainda só consigo jogar C, como ir a Madrid.

    Há algum tempo, fui a Madrid; perdi na primeira ronda contra uma holandesa; fui depois ao quadro B e perdi com uma espanhola nas meias finais. O quadro B significa que, quando uma pessoa perde a primeira ronda, tem uma segunda oportunidade para jogar e até pode chegar a ganhar taças.

    Lembro-me de uma jogada fabulosa que até me surpreendeu: um smash contra o Francisco B!

Adoro Ténis.

70 Anos CAD – Criação Oral de Texto LR de P, 6B 2013/14

Troféu de Ténis

 

bola de ténis rodando como galáxia
                                                       Atribuição: CC0  Max Pixel  

     No dia 24 de Setembro de 2018, em Lisboa, no Colégio do CIF, (Colégio Internacional de Futebol) tive um torneio. 

   Estava lá a  minha Família toda reunida para me ver jogar! Estávamos a entrar para a corte, onde eu ia jogar, e encontramos o meu amigo Diogo.

      Estava frio, uns dez graus, havia 8 grupos em diferentes cortes, rodeados de familiares.

     O meu amigo ia jogar contra o “Cabeça de Série” número 6.

  Na minha vez de jogar, joguei contra o Tobias – que agora treina aqui no CAD. Foi-se repetindo, até que eu e o Diogo chegamos à final.

Era a melhor de três setes! Eu ganhei o primeiro Tiebreak. Ele ganhou o segundo, até que nós chegamos “a tudo ou nada”, por isso ficamos como se fosse para bater bolas porque nós não queríamos falhar!

Mas até que o Diogo ficou lesionado: fez um serviço e caiu mal. Eu, como reparei nisso, parei o jogo e fui dizer ao Árbitro. O Árbitro, como estava interessado nisso, pediu às  fisioterapeutas para lhe curarem o pé.

   Eu fiquei em primeiro lugar e o Diogo feliz, porque eu parei o jogo e não me aproveitei de ele estar lesionado, deixou-se perder.

A minha Família ficou feliz, porque eu fiquei em primeiro lugar e fizemos uma grande Festa!

FG6B