Olhar + – A Escola em Flor

Jardim Usera

    Olhar + pede também para sairmos até ao “lá fora” da Escola, o pequeno éden que ilumina a  ala  esquerda do Colégio, a mais misteriosa e a menos percorrida, onde se abrem o silêncio divino da capela, os gabinetes das Diretoras que velam pelos destinos da Escola, as salinhas onde os pais têm conversas secretas, o ginásio antigo que conserva a memória das festas passadas e  o refeitório onde as Irmãs partilham, ao jantar, os pequenos milagres de cada dia. 

Jardim Usera

     Acede-se ao Jardim por uma longa passadeira de madeira, como quem sobe a bordo de uma nave,  embarcando para longe das rotinas seguras e vai parar à ilha onde a Natureza vive em espontânea liberdade e, por isso, acolhedoramente, nos recria.

Jardim Usera

     Olhar + pede-nos também para nos demorarmos na filigrana irisada das flores,  tentando soletrar as tonalidades inesperadas das suas pétalas e adivinhar a vida das seivas invisíveis que percorrem a  estreiteza impensável das nervuras para nutrir as promessas de flor em botão.

      

Jardim Usera

      Olhar + leva-nos a reparar na regalada ocupação dos insetos que buscam pólen no ouro dos estigmas fecundados, enquanto o sol  desenha as longas sombras dos estames na doce curva das pétalas brancas. 

Jardim Usera

     Olhar + é também abrir-se à luz que vivifica e atrai, à imagem das flores que se inclinam para beber o  licor embriagante do Sol: ao derramar-se, acarinha e destaca as diferenças, ao mesmo tempo que a todas ilumina por igual.

Olhar +Com Jardim UseraPartilha de InspiraçõesOE

Olhar +: Apreciar

     

cadescrita.org

    Apreciar o que é mais simples na vida, o que nos é oferecido sem condições:

      • um sorriso de alguém que interagiu connosco apenas ao de leve (quem poderá contar todos os sorrisos que trocou e recebeu ao longo do seu percurso?);
      • o abraço de um amigo, que diz a comunhão sem condições (quantos abraços nos arquivos da alma?);
      • um pôr do sol ao fim de um dia intenso e esforçado, como súbito silêncio capaz de desarmar a inquietação, porque murmura o infinito aos ouvidos do coração;
      • o milagre de uma flor, no mistério que une a fragilidade extrema com a confiança máxima.

      Apercebermo-nos desta dimensão escondida no que há de mais simples na vida, pode acordar em nós as emoções nutritivas que expandem o ser.

     Assim é a gratidão que nos abre aos outros, a paz que nos torna livres e a felicidade que nos sintoniza com a celebração silenciosa, mas intensa, da própria realidade à nossa volta, que cresce  para o infinito.

Agenda 20024 – Olhar+ – Maio – Apreciar – com OE