Natureza no Outono

   

Gentilmente oferecido por IA Co-Pilot

     Numa bela manhã de Outono, levantei-me da cama e fui vestir-me para ir brincar com os meus Amigos. Lá fora, eles já estavam à minha espera; fomos subir uma montanha até ao topo.

     A paisagem era tão linda, havia árvores com folhas levezinhas, de cores de Outono,  e também com flores brancas  como neve, a caírem da árvore para o chão.

     Quando olhei para a minha direita, vi um lago com uma cor clara, verde-água; na margem, crescia uma árvore, com um bando de passarinhos a cantarem com uma bela voz fininha.

   – “Bora” ir para o lago!  – exclamou um dos Amigos.

   – Sim, “bora” ir!  – respondemos todos ao mesmo tempo.

    Quando chegamos ao lago, um dos passarinhos subiu para o meu braço; depois todos os outros passarinhos vieram para mim, e eu até caí ao chão!

Escrita Livre – Olhar+: Descobrir – AP5A23-24

As Folhas de Outono

     Gentilmente Oferecido por IA Co-Pilot

     Numa manhã de Outono, uma folhinha de Outono apareceu; logo a seguir apareceu um monte de folhas de Outono a voar, parecia um cardume de peixes.

     – Tão bonito! – Dizia a Menina que olhava para as folhas.

    A Menina olhava para as folhas como se fosse a vida dela a passar a cada momento. A Menina adorava olhar para as folhas de Outono; ela olhava com um rosto milagroso.

      E foi assim que a Menina nunca se esqueceu daquele momento.

Escrita livre – Olhar+: Descobrir MCA5A23-24

Voando com o Tempo

Image par Alem Coksa de Pixabay

      Como andar de mota foi a melhor coisa que descobri e que nunca esquecerei. Via tudo à minha volta a ir muito rápido, ouvia só o som da mota. 

    Parece que voas com o tempo quando estás em cima da máquina e sentes uma liberdade que achas que estás no topo do mundo e que ninguém te conseguirá parar.

     Ficas livre de tudo, leve como uma pena e tão feliz quanto a própria Felicidade.

    Porém, infelizmente, tudo tem um fim e, quando sais da moto, só pensas em acelerar outra vez!

Escrita Livre – escrita autobiográfica – MC8C23-24

Eu Hoje e Amanhã

   

Image par Vilius Kukanauskas de Pixabay

       Olá, sou a LR, uma menina alegre e divertida.

     Gosto de fazer novas amizades e de escrever textos – como agora – comer coisas novas e cozinhar.

     Mas é óbvio que também há coisas de que não gosto, como por exemplo: de legumes, de estudar, de ficar de castigo e de…

     No futuro, estou a pensar em ser veterinária, ainda tenho medo que os animais me façam mal, mas confio que tudo vai correr bem.

     Posso ter dois ou 3 filhos e um marido simpático e divertido com quem os meus filhos gostem de estudar.

Escrita Livre – Memórias e Projetos – LR6C23-24

O Mistério da Pessoa – 4

Image par Merlin Lightpainting de Pixabay

     O ser humano  relaciona-se com os sentimentos; precisa da Família em qualquer momento; precisa de desenvolver o seu corpo para poder dar vida a outros seres; o  ser humano é agradecido a tudo isto. 

   Temos uma dimensão biológica: Sem os nossos antepassados, não estaríamos aqui a fazer os nossos trabalhos e a relacionar-nos.

    Temos uma dimensão social: Ao estarmos com as outras pessoas, sentimos que temos alguém com quem falar, brincar…

    Temos uma dimensão espiritual: Na parte interna de nós próprios, muitas vezes perguntamo-nos sobre o que fizemos,  e até falamos connosco próprios.

Reflexão para o Teste de MoralFV6C23-24

A Vida Interior

     Image par Guilherme Gomes de Pixabay

     A dimensão espiritual é a vida interior do ser humano, a sua capacidade de pensar, a sua vontade livre…

    O ser humano, para conseguir viver, desenvolve-se na Famìlia, com os Amigos, na Escola…

     Nós afirmamo-nos através dos nossos pensamentos e sentimentos que comunicamos aos outros através da linguagem.

     Se não tivéssemos corpo, não exprimíamos as mensagens do nosso espírito.

Reflexão escrita para o Teste de Moral – FV6C23-24

A Noite

Image par 愚木混株 Cdd20 de Pixabay

      A Noite pode ser estranha e escura; quando não estás em casa, podes ter medo.

     Mas a noite é incrível, tu não vivias sem a Noite.

    Tu podes não saber os mistérios, mas a Noite é um manto e um abrigo que pode ser o causador do silêncio, onde se pode ouvir o nosso interior.

    Podes refletir o teu dia, porque, de dia, é como se estivesses a dormir, mas de Noite, os teus olhos brilham como se não quisesses dormir, como se quisesses ficar acordado a olhar para as estrelas.

    As estrelas, ainda que não estejam a brilhar, nós queremos, mesmo assim, olhar para o céu.

  O céu brilha, mas nós também. Tu e a Noite podem ser amigas, podem ser como o Sol e a Lua: não se tocam, mas se guiam um ao outro.

   Tu és mais, não tenhas medo de que gozem contigo; tu és especial, tal como a Noite.

    És único. Não tenhas medo de seres quem és.

   Escrita livre – Prosa Poética – MC7D23-24

A Amiga L

Image par Brigitte Werner de Pixabay

    A minha amiga L é muito gira e eu adoro-a! É cheia de personalidade e é das minhas melhores amigas. Sempre que choro ela está lá e, quando rio, também; ela é muito divertida e adora inventar brincadeiras para nós nos divertirmos. 

    Ela é de tamanho médio, um pouco mais alta do que eu, um rosto suave salpicado de sardas, e cabelo preto e liso; gosta de ser um pouco competitiva, mas eu adoro. É muito empenhada, não consegue tirar uma nota abaixo de noventa, que começa logo a estudar até ter um cem.

    É muito simpática, sinto-me bem quando estou  com ela, e não conseguiria estar pouco tempo, porque a minha amiga L é atenta com todos e muito risonha. 

  Gosta muito de brincar com os amigos; é uma pessoa interessada por saber e estas são algumas razões para se gostar dela, mas ainda há muito mais para dizer, como, por exemplo, o modo como ela gosta de desenhar, conversar e brincar. Creio que a sua comida favorita é Suschi, adora Goldens e Border Collies, vai receber em breve um pássaro, pelo qual está muito ansiosa.

  Escrita AutobiográficaUm Amigo, um rosto único MCC7D23-24

A Pessoa Humana

Image par Merlin Lightpainting de Pixabay

     B: Onde a pessoa se sente em casa é onde costuma estar mais tempo, onde se sente segura; costuma ser em casa, na escola e com os amigos.

   LR:  Recebemos valores através das experiências que fazemos na vida; com os erros, aprendemos.

   Aprendemos também nas comunidades em que vivemos e com quem comunicamos, falando. Às vezes dizemos: “tenho um corpo”, mas talvez seja, antes: “sou um corpo”.

     L S: Nós, naturalmente, voltamo-nos para os outros, vamos até onde somos capazes na vida, temos de viver com Amor, o que permite nós crescermos como boas pessoas.

     Somos ricos de formas diferentes, pelas as nossas famílias que nos ajudam e pela nossa personalidade.

Conversas na Oficina – Partilha para o TS de Moral

 LS6C23-24, LR6C23-24, BR6C23-24

Balanço do Semestre – 8C

     

Image by Gerd Altmann from Pixabay

        2 Pontos fortes que desenvolvi: 

      • Cálculo mental: faço mais depressa contas mais difíceis.
      • Comportamento: tenho 2 amigos ao meu lado e consigo gerir quando e quanto falo.
      • Domino melhor a língua inglesa. 

    2 Objetivos para o semestre de Primavera: 

      • Desenvolver textos de opinião;
      • Falar Francês com mais fluência.
      • Treinar equações de 1º grau e raízes quadradas e cúbicas.
      • Criar apontamentos e esquemas sobre a União Ibérica.

      1 Estratégia de Estudo Eficaz: 

      • Desenhar diagramas e gráficos; 
      • Memorizar usando imagens mentais visuais.
      • Alguém explica, depois faz uma conta ou expressão numérica; então eu explico o que foi feito: assim compreendo melhor quais as regras.

Reflexão sobre a Aprendizagem – NS8C23-24 e GC8C23-24

Rituais de Verão

tur4all – Praia da Torreira

    No verão vamos a casa dos avós, onde também estão os tios e primos, e podemos ir à praia duas vezes por dia, que fica em Torreira, a 700 metros da nossa casa; vou sempre a pé, vamos por um atalho, demora poucos minutos.

     A casa deles é perto da praia; os avós paternos têm uma casa no verão que é na Torreira e outra em Estarreja para o resto do ano; os primos vivem em Mafra.

    O avô materno vive em Ceia; a avó morreu há 42 anos. No verão, ouvimos as abelhas; há frutos nas árvores: o avô materno tem um terreno com jardim e acorda de madrugada para ir até lá; fica a 2km de casa, vai buscar água a um poço, mas o balde já caiu.

   Tem figueiras, oliveiras, laranjeiras e um limoeiro; uma vez a minha irmã tinha ido estudar a casa de um amigo a mãe deu-lhe um saco de limões e o saco rasgou-se: foram “os limões em fuga”.

Escrita Autobiográfica – PL5A23-24

O Mistério da Pessoa – 2

Image par Yolanda Díaz Tarragó de Pixabay

   Cada ser humano nasce numa certa comunidade e desenvolve-se na Família e no seu grupo de Amigos.

   Nós, seres humanos, temos emoções nossas; com a linguagem conseguimos comunicar com os outros. 

   O ser humano é muito criativo, é capaz de inventar o que não existe, como nas artes da música, literatura, dança, pintura, teatro e cinema, por exemplo.

Reflexão para o Teste de Moral – MV6B23-24

Adolescentes e Telemóveis

Image par Thomas Grau de Pixabay

      Os telemóveis constituem vícios maus e bons ao mesmo tempo; no entanto, há mais mal no telemóvel do que bem.

      Toda a gente usa o telemóvel, tirando crianças e bebés. Há pessoas com mais vício do que outras; há pessoas que são totalmente vidradas no telemóvel, não conseguem estar sem ele durante um minuto e não os deixam ficar sem bateria. Pelo lado mau, os telemóveis dão acesso a muitas redes sociais, como o tik-tok, o instagram, o youtube, que fazem com que os adolescentes se vidrem no telemóvel, se esqueçam de fazer coisas que são precisas, como, por exemplo, dar comida aos cães, gatos, pássaros, basicamente aos animais; esquecem-se também de algo que tenham combinado ou de fazer atividades para o bem da nossa saúde.

    O que capta a nossa atenção é, por exemplo, o Tik-tok, em que os vídeos têm parte 1 e parte 2, faz com que queiramos ver mais; afinal é como um livro, mas que faz mal aos olhos e à cabeça. Quando digo isto, falo de saúde mental, pois os telemóveis fazem mal à imaginação, às vezes porque participam “haters”, que levam as pessoas a desistir dos seus sonhos; também se espalham mentiras, como, por exemplo, que o mundo vai acabar em 2026, ou que vai haver um Tsunami; ora, há pessoas que não podem ouvir isso, porque acreditam logo.

    Depois ainda há aplicações de filmes como Disney +, Netflix, HBO prime video, Apple TV, que fazem com que as pessoas queiram ver mais filmes, o que pode tornar-se muito prejudicial para a saúde, porque chegam a não querer fazer mais nada, senão ver um filme.

     Pelo lado bom, não tenho muito a dizer, pois os telemóveis não trazem muitas vantagens, uma vez que, mesmo a realizar atividades importantes, faz-nos mal à vista; enfim, os telemóveis são bons para fazer chamadas, enviar mails e mensagens no Whattsup.

Texto de opinião – Olhar +:Descobrir –  MCC7D23-24

Um Dia de Viagem e Muito Mais

Image par jacqueline macou de Pixabay

      Quando vou viajar, costumo ir para Bragança; vou sempre por volta das sete da manhã, no verão, com os meus Avós; fazemos algumas paragens na viagem e dormimos enquanto vamos. 

    Quando chegamos, arrumamos as nossas coisas e logo a seguir vamos ver os nossos primos, que vivem na casa atrás da nossa, passando por um corredor estreitinho.

    Lá, costumo andar de bicicleta, vou às festinhas de Verão, umas vezes na nossa aldeia, outras no Outeiro que é outra aldeia. Também costumo brincar numa árvore que, em frente, tem uma estrada, ladeada de outras árvores onde cresce uma pinha em forma de  flor.

     Todos os dias, passa ali uma manada de vacas, à hora de almoço, com o seu passo calmo e o seu pelo macio; dali parte ainda um caminho que vai dar a um sítio onde eu apanho amoras com  a minha Avó.

    Depois de acabarmos de jantar, passeamos por esse campo de amoras, à luz das estrelas, pisando um chão onde há pedras grandes e pequenas, de feitios diferentes.

  Escrita Autobiográfica – Férias de Verão – MMJ7A23-24  

Image par IA et Gerd Altmann de Pixabay

     O ano que se estreou traz surpresas escondidas, tanto para a nossa esperança como para a nossa preocupação; e tudo isso que não adivinhamos, só podemos pressentir, se estivermos confiantes, com atenção. 

    O que está por descobrir é que se calhar posso vir a ter, na minha sala de aula, um novo colega e que nós talvez possamos tornar-nos amigos.

     Gostaríamos de perceber como se fazem amizades depressa, também como somos inteligentes e meigos. Gostamos de brincar e conviver entre Amigos e  Família.

      Na passagem dos dias, damos mais valor à Vida, porque aprendemos mais coisas com o passar do tempo, tanto em casa como na escola, temos mais felicidade e mais noção do que é preciso para nos desenvolvermos e evoluirmos, por ser tão importante para a Vida!

Exercício de Escrita Criativa – Texto a 4 Mãos –

LR6C23-24, LS6C23-24, BR6C23-24 e OE

 

Image par IA et Gerd Altmann de Pixabay

       O ano que se estreou, por agora, está a ser incrível, estou a ter mais amizades, estou a conviver melhor!

    Gosto muito de brincar com as minhas amizades e adoro as aulas de Matemática, tenho muita criatividade e convivência com a minha Família!

    O que gostaríamos de perceber é se podermos aprender novas coisas, e fazer o que queremos, testar as nossas capacidades de descobrir e aprender o que queremos para nós sermos felizes e termos amor à Vida!

    Na passagem dos dias, damos mais valor ao sol pequenino que pinta o inverno de cores vivas, ao riso dos amigos no recreio, às férias que vêm chegando com pézinhos de lã, ao sonho de Verão que se aproxima, com a promessa da liberdade e o mar ao fundo, horizonte infinito.

Exercício de Escrita Criativa – Texto a 4 Mãos –

LR6C23-24, LS6C23-24, BR6C23-24 e OE

2024: o Livro em Branco

     Image par Gerd Altmann et AI de Pixabay

     Estreamos um ano, com novas ideias e diferentes formas de pensar e de raciocinar; mais tempo para nos conhecermos internamente.     

    Estreamos um ano, começamos de novo a escrever um livro em branco e nele esperamos escrever como alcançamos os nossos objetivos. 

    O que está por descobrir: temos coisas a aprender connosco próprios; devemos criar uma nova mentalidade, como também as nossas amizades devem ser renovadas ou aprimoradas.

      O que está por descobrir é o futuro próximo, o que devemos esperar; porém, agora, é uma prenda, e é por conta disso que se chama “presente”. 

      O que gostaríamos de perceber é o nosso corpo interior, que nos chama para querer ficar com alguém que nos ama profundamente. 

       O que gostaríamos de perceber é se realmente tudo é verdade e se realmente vale a pena viver, sendo que o ano só começou há nove dias e já 20 000 pessoas tentaram tirar a sua própria vida, achando que seria melhor morrer do que ser culpado.

      Damos mais valor, na passagem dos dias, aos nossos pais ou à vida virtual? É uma questão que faz pensar muita gente, pois a internet pode ser suicida, ao contrário da relação com os nossos pais que é revitalizadora.

       Na passagem dos dias, damos mais valor a pequenos detalhes novos, que nos complementam e que queremos espalhar, para fazermos do mundo um lugar melhor.

Ano Novo 2024 – Texto a 2 Mãos – MA8C23-24 e MC8C23-24

2024 – um Ano Novo e Vivo

Image par Nanne Tiggelman de Pixabay

     Estreamos um ano, somos agora mais ricos para inventar a nossa própria vida; é como se desenrolassem uma tela branca diante dos nossos olhos, a perder de vista.

    Estreamos um ano, mal posso esperar pelo verão, porque é a época em que estamos de férias, na praia; depois do verão começamos um novo ano de escolaridade e também esta é a primeira vez, em 2024, em que  estou a escrever neste caderno.

     Quem sabe o que está por descobrir? Nós saímos para o ano que chegou com o entusiasmo das grandes aventuras. Nem tudo é novo, certamente, mas tudo nos parece renovado, irradiando a frescura de um tempo recém-nascido.

      O que poderá ser descoberto em 2024, são os carros voadores e as pessoas robóticas; também pode surgir um novo país no continente Africano.

        O que gostaríamos de perceber ainda? Se os seres humanos já se sentem preparados para partilhar o mundo com as mentes digitais; se as profundas feridas entre nós, que atiraram com tantos guerreiros para a morte poderão ser curadas á luz de um outro mundo. 

    O que gostaríamos de perceber ainda é como os problemas matemáticos se resolvem, especialmente eu, porque tenho dificuldades a Matemática e gostaria de resolver esses problemas.     

      A que damos mais valor na passagem dos dias? Um sorriso inesperado pode encher o coração; alegrias pequeninas de se saber cuidado: ” – Estás quentinho?” “- O teste correu bem?”; e o mistério das horas sempre disponíveis que nos caem no colo como um pãozinho saído do forno.

       A que dou mais valor nesta vida é à oportunidade de acordar todos os dias e agradecer a Deus um novo dia; também agradeço a realidade de haver Natureza, pois se não houvesse Natureza, nós, certamente, não existiríamos.

Ano Novo 2024 – Texto a Duas Mãos – JB7C23-24 e OE

A Vida do Recordar

Image par nini kvaratskhelia de Pixabay

   Recordar é lembrarmo-nos de coisas que aconteceram no passado, por exemplo, recordar aquelas pessoas que partiram, de quem nós gostávamos muito.

   Recordar também aquilo que nos ensinaram e tudo aquilo que fizeram por nós.

   Recordar também pode ser lembrar aquilo que nós fizemos de bem às pessoas de quem nunca nos esquecemos, também o nascimento de uma pessoa da nossa família, e até o nascimento de um filho nosso.

   Recordar é também  pensarmos naquilo de que tínhamos medo e depois conseguimos ultrapassar, momentos difíceis que as pessoas superaram juntas.

Escrita Reflexiva A Vida da Memória – JB7C23-24

“Amora”, a minha Cadelinha

Image par Peter Jones de Pixabay

     No dia 8 de Dezembro de 2023, eu estava a sair de uma festa, pois os meus Pais e eu íamos ver cães à “Quinta da Bicharada”. Depois de chegamos e enquanto eu estava a ver os cães, entrei numa casinha onde estavam os cães que ainda não saíam; aí encontrei uma cadelinha de que gostei muito e tentei convencer os meus Pais para ficar com ela. 

    A senhora tratadora pôs ao meu colo uma cadelinha de tamanho médio, com cinco meses, de pelo macio, curto e castanho.

   Quando ela olhava para mim, tinha um olhar de inocência; a primeira vez que veio para o meu colo, no início, estava assustada, mas depois ficou tranquila.

   Quando eu consegui convencer os meus Pais, fiquei muito feliz. Ela estava ainda medrosa; chamei-lhe “Amora”, uma fruta de queu gosto e tem um som parecido ao da princesa Aurora, a minha segunda personagem favorita.

     A Amora adora que eu me sente para deitar-se em cima de mim, com a barriga para cima. Já foi ao Veterinário levar uma vacina da tosse ou da raiva; ela come ração para bebé e só come perto de nós, gosta de brincar com o seu peluche rosa, com a sua bola e com as suas cordas. Quando ela souber fazer as necessidades onde deve, pode dormir no meu quarto!

Escrita Autobiográfica – Animais de Estimação –  MC6C23-24