CAD em Isolamento – O Gato Luminoso


     Image par Screamenteagle de Pixabay    

     Era uma vez um gato muito preguiçoso: estava sempre enrolado ao pé da dona, a receber festinhas. Essa sim, essa vida é vida de reis!

    O gato chamava-se Yoda e a dona chamava-se Benedita. Todas as noites o gato Yoda ia para a cama da Benedita fazer-lhe companhia.

     Uma tarde, o gato Yoda viu uma bolacha e ficou curioso. Foi lá cheirá-la para ver o que era. Quando a cheirou, reparou que levava manteiga e começou a comer a bolacha. 

     Nessa noite, quando a Benedita foi dormir, o gato Yoda foi para a cama dela. Ao acordar de repente, a meio da noite, viu o seu gato a brilhar! O brilho era tão forte, como se estivessem 20 lanternas ligadas e de um verde meio azulado.

     Começou a pensar: ” – O que se passa com ele? Será da bolacha que ele comeu?” 

    Ao pequeno almoço, a Benedita experimentou uma bolacha para ver se era a causa.

     No quarto, pôs-se às escuras, e…começou a brilhar! 

BB5C

Festa das Mães 2020 – História para a Mãe, Antes de Adormecer

Image par Margitta Wünsche de Pixabay 

     A Constança preparou uma surpresa para a Mãe.

   Foi contar-lhe uma história para adormecer, pois era uma daquelas Mães que não conseguem dormir, preocupadas com o comportamento das filhas.

    A Constança queria dar-lhe um presente muito bom, no Dia da Mãe, de que ela nunca se iria esquecer, um presente magnífico, mágico, cheio de purpurinas!

   Então, Constança andava pelo quarto, à procura de objetos inspiradores, quando, ouviu um som que vinha do sótão.

   Ela estava a tremer de medo, a pensar se seria um ladrão, como qualquer criança que estivesse sozinha em casa, e ouvisse um som.  

   Abriu as escadas do sótão, deu dois passos e o som vinha cada vez mais perto.

   Quando chegou ao fim do passo, viu uma sombra com orelhas a andar pelo chão do sótão. Viu uma panela e agarrou nela; foi avançando devagarinho, enquanto a sombra se aproximava cada vez mais, até que apareceu à frente dela e foi de repente apanhada pela panela.

   Constança reparou então que a sombra era a de um gato, mas não era um gato normal: tinhas patas com garras compridas, pelo escuro, usava uma máscara branca a tapar a maior parte da cara, orelhas muito compridas, que pareciam as de um coelho , mas eram diferentes, e uma cauda comprida que terminava em carapaça de caracol.

   Constança foi buscar uma cadeira e uma corda de brincar e amarrou-o à cadeira.

    Constança perguntou:

   – Quem és tu e o que fazes aqui? Precisas de alguma coisa? Eu não tenho dinheiro!

     O Gato respondeu:

     – Não te quero fazer mal, não quero dinheiro nenhum, só quero ver a Patrícia.

     – Para que é que queres ver a minha Mãe?

      O Gato, que era muito matreiro, estava sempre a sorrir e tinha ar de ser mágico, respondeu:

       – O meu nome é Dusckit, vim ajudar a tua Mãe a ter bons sonhos, sonhinhos mágicos! Com aquelas coisas que as meninas gostam de sonhar…

    – E como vais fazer isso?

          (Fim da I Parte)

 Festa das Mães 2020 – Criação Oral de Texto – CR7A

CAD em Isolamento – O Rapto do Dono do Panqueca II

cão e gato

Flickr.com   IgRVV

     O Panqueca foi à delegacia mais próxima e começou a latir para os polícias e a apontar com a cabeça na direção do Armazém.  

    O polícia percebeu que o Panqueca queria dizer algo, o Panqueca começou a correr para o Armazém e o Polícia foi atrás dele.

   Quando o Panqueca e o Polícia chegaram ao Armazém, estava em chamas e dava para ouvir miados fracos que vinham do Armazém 21.

    O Panqueca foi com o Polícia atrás dos miados; quando chegaram a Batatinha desmaiou com a fumaça tóxica. O Polícia chamou os bombeiros e mais reforço.

       Conseguiram salvar a Batatinha e apagaram o incêndio.

     O Panqueca foi às cegas farejar os três meliantes, que estavam a ser comandados pela Milk, e os reforços chegaram!

    Prenderam os três meliantes e a Milk foi para um veterinário. O Dono, que tinha estado amarrado a uma cadeira, foi solto pela Polícia e  foi ao encontro do Panqueca e abraçou-o!

     A Batatinha recuperou-se rapidamente. O Dono regressou à sua Família com o Panqueca.

     Com a colaboração do Panqueca conseguiram encontrar os 3 meliantes, o Dono e a Milk! 

    O Panqueca agradeceu muito a ajuda da Batatinha. O Panqueca entrou para o corpo da Polícia.

    Todos os amigos celebraram o grande final desta Aventura!

ZH6D

Enquanto Nado, Penso no Futuro

   quando nado penso no futuro

   Imagem de David Mark por Pixabay 

     Em EV participei num Projeto de um Animal: Era um gato – como a gata Ticha,  preta. Tem de se pôr a cabeça do animal ligada com o nosso corpo. Eu pus-me numa pose de Judo, embora eu não goste muito de Judo.

     Gosto muito de Natação, porque nos tornamos mais rápidos e porque gosto de mudar de elemento. 

       Estava a fazer uma prova de costas, cheguei em primeiro lugar, mas não sei se toquei numa corda;  alguns começaram a fazer “Buuu” e o Professor disse que ia reiniciar a contagem do tempo.

       Enquanto nado, penso no Futuro.

     Espero que no Futuro haja uns carros e umas motas menos poluentes, ou que andem sozinhos, sem o condutor.

    Espero que não haja guerras. A Paz é um processo difícil: obriga a que as pessoas não morram, a que os animais não se extingam. 

     A minha Bisavó e o meu Bisavô morreram, mas a Páscoa, que é quando Jesus morreu – significa que eles estão lá no Céu. Creio que nos acompanham e inspiram.

     Eu acho maravilhoso as plantas, as nuvens e o Sol…

Conversas na Oficina – DR5C

O Gato Desaparecido

     cão e gato em carinho mútuo

     PixaBay PixaBay License

     Era uma vez uma menina chamada Matilde que tinha recebido, há algum tempo, um gato . O seu pelo era tão branco que parecia ser de neve. O gato chamava-se Pluffi; era muito brincalhão e adorava dormir :passava pelo menos algum do seu tempo a dormir.

     Matilde adorava brincar com o Pluffi, só que, uma tarde de inverno, quando estava a brincar com ele, no jardim nevado,  a mãe chamou-a.

      Ela foi ter com a mãe e ajudou-a a faze um lanche delicioso. Mas quando voltou, viu que o gato já não estava  no seu jardim. Perguntou a toda a gente da vizinhança  se tinham visto un gato branco e grande. Ninguém tinha visto!

      No meio da sua tristeza,  Matilde lembrou-se de um sítio. Ela foi ter com o seu vizinho Max e perguntou se tinha visto a sua gata. Max respondeu que sim,  que estava a brincar com o seu cão Pantufa na sala do vizinho.

     Matilde ficou muito contente, pulou de alegria e disse que nunca ia deixar o seu gato desaparecer.

     Pantufa e Pluffi brincaram e divertiram-se muito com bolinhas de neve a atirarem uns aos outros.

MC8C

A Mana, a Flee e a Suki

cão e gato minúsculos a cair em copo de gelado

     Photo by Bundo Kim on Unsplash

     Os meus animais favoritos são o gato e o cão, porque são os animais  que eu tenho em casa.

      A minha gata chama-se Flee, tem 11 anos, o seu pelo é cinzento e branco, ela está sempre a olhar alegremente e gosta muito de brincar.

       A minha cadela chama-se Suki; ela está sempre com um olhar assustado; o seu pelo é branco e um bocadinho áspero, tem os olhos castanhos e tem, 11 anos também.

       Elas brincam à apanhada, às escondidas, gostam muito de se esconderem na cozinha.

     A minha cadela e a minha gata fazem muita diferença na minha vida, porque, sem elas, muitas vezes não teria nada para fazer.

     Sem os meus animais estaria sempre só a brincar com a minha irmã e estar sempre a brincar com a mesma pessoa não é assim tão giro.

      Com ela brinco às professoras, às aulas de dança, às vezes uma inventa uma história e a outra escreve!

     Com a Flee e a Suki eu brinco com o Laser, com bolas e muito mais jogos, como ao dos biscoitos, que inventei com a minha Mana.

CT5A