Surfando com Orcas

Flickr.com e Wikimedia.com

     Nas minhas férias, estive em Peniche, com o meu Pai. Ficamos na carrinha, no parque de acampamento; estivemos a surfar em montes de lugares e foi bem BOM!

   E uma vez, quando estava a surfar, na praia da Mota, ao longe, eu vi uma coisa a atirar água para o ar. Mesmo assim, eu fui Surfar e só depois é que reparei que eram ORCAS! E depois disso, “fogo-meu-Deus”!

    E ter surfado por cima de calhaus? A sensação não é tão boa, é como se não pudesse cair e dá medo de fazer uma “batida” ou uma “rasgada”…

Verão 2021 – Momentos Únicos – FT5D

Os Meios da Liberdade

     

Image par Patou Ricard de Pixaba

     Os Tempos livres significam, para mim,  a Liberdade do Galope, a liberdade do Cavalo e só estamos Eu e o Cavalo!

      Jogar Ténis e bater com a máxima força na bola: a prática do ténis ajuda-nos psicologicamente; ganhamos paciência…capacidade de manter a concentração quando se está a perder, treinamos também a boa educação – às vezes há jogadores que se irritam e partem a raquete!

   Na bicicleta, pedalamos com muita velocidade! Estamos ao ar livre, a sentir o  vento quente a bater-nos na cara.

    Na equitação, já estou a saltar no picadeiro grande, com a Quimera, que é uma égua russa e branca,  maior que o XS e muito mansinha.

    Vou começar a montar o Artista, mas também vou continuar com o XS. Vou ter muita adrenalina com o Artista, um cavalo russo, branco, com muitas pintinhas pretas, de estatura média, crinas brancas e curtas de focinho macio.

    Ele é vivo, um pouco assustadiço, mas já melhorou a sua mania de dar coices no volteio e de dar camgochas nos saltos; o Artista é um cavalo forte e encorpado, que salta muito alto.

     O Artista é um cavalo fino, a quem não se pode dar muito com o esporim, senão ele zanga-se connosco. É rápido, tem uns andamentos bonitos, levanta o casco ao andar e galopar. É um cavalo que esconde a verdadeira idade, pois tem muita energia.

CAD – 2º Confinamento – JM5A

Os Desportos Radicais São Aconselháveis Aos Jovens?

     

Image par Rolanas Valionis de Pixaba

     Em relação aos jovens praticarem desportos radicais, eu considero que pode ser muito perigoso.

    Em primeiro lugar, os jovens podem sofrer lesões ou traumatismos graves, como por exemplo, no Parkour, os jovens, quando saltam de um edifício para outro, podem tropeçar e, se falharem um passo, podem até morrer.

    Por outro lado, ganham mais confiança ao fazer algo qe acham que é impossível e ao enfrentararem os seus medos, como vencer as vertigens no Parkour e nas escaladas, e o desequilíbrio nas manobras de skate, ao fazer o Ally.

    Contudo, a auto-confiança e o orgulho da vitória são importantes, mas não valem a pena de se correr o risco de perder a vida.

    Em conclusão, não é aconselhável fazer todo o tipo de desportos radicais e, sempre que se praticar algum tipo de desporto radical, deveremos ter muito cuidado.

BB6C

Surfistas à Conversa

Image par Please do not use my photos show people for commercial use de Pixabay

    FS –  O Surf faz-me sentir calma; ele traz à minha vida coragem e felicidade.

    AM – O que me faz sentir é Liberdade. Faz-me viver uma Aventura.

    FS –  A manobra mais difícil, para mim, são os aéreos.

    AM – Para mim, o mais difícil também é fazer um aéreo.

   FS –  O momento que eu acho mais perigoso é quando as ondas estão enormes e arrebentam em cima de mim.

    AM – O momento mais perigoso no Surf é quando as ondas estão muito grandes, não as consigo passar e enrolo-me toda. Ou então quando estou com o Professor e não consigo passar a onda e tenho de fazer um “Bico de Pato”.

AM5C e FS5C

Nas Ondas da Nazaré

Image par Julian Hacker de Pixaba

    Hoje vou fazer Surf à Nazaré: vão estar ondas de 30 metros; e como 30 metros é isso, é gigante, tive de treinar ontem com as ondas de 15 metros.

      Vou para a praia às duas da tarde. Vai correr bem? Ou vai correr mal?

      São duas da tarde, tenho que ir. Cheguei agora, vou para o museu da Nazaré, que, apesar de ser um museu, tem uma parte que é para os Surfistas se equiparem e o equipamento é uma Bomba.

      O que é uma Bomba? É uma máquina que está no corpo dos Surfistas e, quando eles estão a mergulhar nas ondas, à espera da mota de água e têm de passar as ondas, mas como as ondas são muito fortes, eles até ficam sem saber onde é o cimo da água.

(Continua)

AM5C

CAD em Isolamento – “O Que Me Faz Voar”

velocidade furiosaCommons Wikimedia.org     

     Gosto de ver Netflix, fazer desporto e jogar.

    O meu Género de filmes é ação e aventura; às vezes vejo uns de horror, mas prefiro os realistas.

    Filmes que aconselho são os do “Harry Potter” e “Velocidade Furiosa”.

     Uma cena marcante no “Velocidade Furiosa” foi a homenagem ao ator secundário que morreu enquanto acelerava demasiado numa curva e foi contra uma árvore.

   Mostraram imagens dele e do ator principal: como iam por caminhos diferentes, o ator principal ficava no filme e o outro  ia por outro caminho a identificar que esse caminho era o céu e o autor principal disse que nunca se iriam separar, iriam ficar sempre juntos.

sufing

   Image par Free-Photos de Pixabay 

     Os meus desportos favoritos são o Ténis e o Surf .

    Na prática do Ténis, desenvolvo a rapidez ao correr de um lado para o outro do campo; sinto que desenvolvemos os reflexos que nós temos, ao tentar tocar na bola, quando ela vem de repente. Para aquecer corro à volta do campo e, se falho a bola, às vezes a professora manda-me fazer flexões.

     Até agora entrei em torneios pequenos; gostava de entrar em campeonatos maiores como no campeonato mundial. O Guga já vai a Campeonatos Mundiais.

    A minha experiência de Surf é um projeto para o Verão, pois gosto imenso de estar na água; vou à Comporta e ao Algarve.

   Quando apanho umas ondas, deitado na prancha, gosto muito, é bom estar na água, é uma sorte estar na água, tenho uma sensação única.

    Adoro sentir-me bem no Mar e ter aquela sensação de conforto na água.

esquadrõesPexels.com Author: Everson Meyer

   O meu videojogo favorito é o Fortnite. Comunico com os amigos, às vezes conheço amigos dos amigos, que antes não conhecia.

   O mais interessante do jogo é o trabalho em equipa para conseguir vencer. Há vários modos, um dos quais é “Esquadrões”, em que temos de estar a olhar uns para os outros e ver se ninguém é atacado.

   Na prática do Fortnite, desenvolvo reflexos, pois quando dão tiros no jogo, sinto que vem alguém, sinto passos a virem, penso que é alguém e ponho-me sempre em alerta.

Conversas na Oficina – TB6A

As Minhas Férias de Verão Inesquecíveis

     

       Flickr.com Autor: Vítor Oliveira

      Eu, o meu pai, o meu amigo e os dois cães, partimos dia 27 de Junho. 

     Eu e o meu Pai já planeamos algumas atividades: por exemplo, vamos com duas redes apanhar caranguejos, mas bem cedo.

    Depois de os apanharmos, devolvemo-los ao mar, mas antes de os devolvermos à lagoa, nós pegamos no balde onde estão, despejamos na areia, eles começam a correr e nós fazemos apostas a ver quem chega primeiro ao mar, mas os cães acabam por torturar os caranguejos: ou pisam-nos com as patas ou agarram-nos com a boca e atiram-nos para onde eles quiserem.

    Também vai haver Praia, todos os dias, muito cedo de manhã, vamos para a praia; para não apanharmos muita gente, instalamo-nos nas dunas com as nossas coisas: toalhas, guarda-sol, etc.

    O meu Pai vai levar só um dos cães de cada vez para a praia, enquanto eu e o meu amigo vamos apanhar ondas nas nossas pranchas de bodyboard.

   Vão ser momentos muito divertidos e inesquecíveis, porque, quando estamos dentro da onda, não nos apetece sair de lá, pois é calmo.

     Quando acabarmos, vamos relaxar para a piscina com as nossas boias, a apanhar sol; também vamos jogar golfe e vai ser formidável, porque já não jogamos há muito tempo.

     Vamos andar de Buggy pelo jardim inteiro da casa que é enorme, com relva, algumas palmeiras e figueiras; vou apanhar figos para a minha Mãe.

     Mais à noite, cansados, vamos ver filmes na Netflix, de terror, de aventura e ação, de comédia, com os cães deitados ao pé do sofá.

    E o melhor de tudo, vamos dormir com os nossos cães nos nossos quartos! Vamos usá-los como peluches; o Jungle, que é o pastor alemão, tem mais cara de ir dormir ao nosso lado, enquanto o Stark, tem cara de ir refastelar-se em cima de nós e mexe-se imenso até adormecer!

TB6A

CAD em Isolamento – As Maravilhas Únicas do Mar

waveGood Free PHotos Public Domain

     O Mar representa para mim uma experiência única.

    Admiro as ondas, o seu perfume e os seres que lá vivem.

   Gosto de apanhar ondas e de mergulhar no fundo para procurar conchas.

   Um dia, vi uma concha debaixo de água. Mergulhei e logo a seguir fui apanhado e empurrado com força por uma onda. Comecei a ser enrolado, tentei resistir, mas não consegui e vim até à areia.

   O Mar existe porque Jesus pensou que tínhamos de ter água. Daí o nosso Mar.

CAD em Isolamento – TB6A

A Magia do Ténis

ténisFlickr.com Max Elman

    Se pudesse, eu inventava a magia: isto seria, claro, nos desportos, mais no Ténis. O Ténis é o meu Desporto preferido.

    Se me dissessem para eu escolher uma magia, eu iria escolher a magia do Ténis: no Ténis, jogavam todos muito bem, mas eu ficava com uma magia que ganhava a toda a gente.

     Como eu jogava bem, dava sempre os passos que eram precisos para bater na bola, levava a raquete sempre até onde já não pudesse.

    Tinha muita técnica: amortis, uma bola curta, bola comprida, fazê-la correr, meter sempre a bola onde eu queria e os serviços fabulosos!

     A Portuguesa Michelle Brito ganhou à Maria Sharapova, que é a melhor do mundo! E eu, se lutar, posso ganhar a muita gente!

    Já fui a torneios internacionais e nacionais, A, B e C: o C é torneios nacionais em Lisboa; B – torneios nacionais mais perto de Cascais; A – torneios nacionais longe, como no Porto, por exemplo. Nos Internacionais, ainda só consigo jogar C, como ir a Madrid.

    Há algum tempo, fui a Madrid; perdi na primeira ronda contra uma holandesa; fui depois ao quadro B e perdi com uma espanhola nas meias finais. O quadro B significa que, quando uma pessoa perde a primeira ronda, tem uma segunda oportunidade para jogar e até pode chegar a ganhar taças.

    Lembro-me de uma jogada fabulosa que até me surpreendeu: um smash contra o Francisco B!

Adoro Ténis.

70 Anos CAD – Criação Oral de Texto LR de P, 6B 2013/14

O Que Me Faz Voar

   Menino esvoaçando com balões   Image par Silvio Zimmermann de Pixabay 

     O que mais gosto é de jogar futebol, brincar com o meu irmão e fazer aulas de EF.

   O Futebol é um jogo interessante, porque nos divertimos quando fazemos um golo; também podemos correr ao ar livre e corremos em equipa. 
   Eu gosto de brincar com o meu irmão de 4 anos, porue ele é muito engraçado e fala Inglês de uma forma diferente. 
   Jogamos às escondidas e descubro logo onde ele está, mete-se sempre no armário e nos lugares onde eu também me escondo.
 
   As aulas de EF são divertidas, porque jogamos e fazemos desporto. Assim, podemos conviver entre rapazes e raparigas para fazer amigos. 
    Existem ainda muito mais situações e convívios que me fazem voar!
OA5B

Um Conselho de Amigo

   

Image by ArtTower from Pixabay 

       Era uma vez um menino que se chamava Zé e ele gostava de jogar Rugby: um dia gostou desse desporto e começou a jogar  com os seus amigos. 

      Um dia em que foi jogar com os seus amigos, magoou-se, mas levantou-se logo e começou a jogar. 

      Houve um dia em que o Zé foi para a escola e foi ter com um amigo que estava sozinho a treinar Rugby. Depois, esse amigo ficou a olhar para os outros que também estavam a jogar. O Zé foi ter com ele e ficou imenso tempo com ele. 

      No dia seguinte, o Zé estava a jogar com ele e disse-lhe:

     – Tu tens imenso jeito para jogar Rugby! Por que é que não vais para um clube profissional? 

      E o menino respondeu: 

       – Não é preciso, mas obrigada por me elogiares.

       O Zé interrompeu-o: 

     – Mas eu estou a falar a sério.

    O  menino continuou a jogar com o Zé e ficaram  os melhores amigos a partir desse dia.

     15 anos depois, esse menino estava numa Equipa Profissional de Rugby. Chamava-se Salvador. Ele tinha seguido o conselho do Zé. 

      E foram “agressivos” para sempre.

ZG7C

Enquanto Nado, Penso no Futuro

   quando nado penso no futuro

   Imagem de David Mark por Pixabay 

     Em EV participei num Projeto de um Animal: Era um gato – como a gata Ticha,  preta. Tem de se pôr a cabeça do animal ligada com o nosso corpo. Eu pus-me numa pose de Judo, embora eu não goste muito de Judo.

     Gosto muito de Natação, porque nos tornamos mais rápidos e porque gosto de mudar de elemento. 

       Estava a fazer uma prova de costas, cheguei em primeiro lugar, mas não sei se toquei numa corda;  alguns começaram a fazer “Buuu” e o Professor disse que ia reiniciar a contagem do tempo.

       Enquanto nado, penso no Futuro.

     Espero que no Futuro haja uns carros e umas motas menos poluentes, ou que andem sozinhos, sem o condutor.

    Espero que não haja guerras. A Paz é um processo difícil: obriga a que as pessoas não morram, a que os animais não se extingam. 

     A minha Bisavó e o meu Bisavô morreram, mas a Páscoa, que é quando Jesus morreu – significa que eles estão lá no Céu. Creio que nos acompanham e inspiram.

     Eu acho maravilhoso as plantas, as nuvens e o Sol…

Conversas na Oficina – DR5C

Projetos Vivos

           paisagem de ski em Andorra

     PixaBay PixaBay License

     Neste momento, um dos meus Projetos é ter boas notas. Para o atingir, estudo a ler, faço resumos e exercícios.

      Outro Projeto é ser um bom Surfista do Outside Surf Project: ando a treinar o Bottom – em que se desce, sobe-se e desce-se de novo a onda, mas o Bottom é a manobra da subida.

      Finalmente, pretendo ir às Maldivas, porque é lindo, nem tem explicação! Apanha-se um barco e, ao largo, há ondas perfeitas!

      Não há pessoas burras, elas apenas usam a inteligência de forma diferente!

      Em Educação Física, estão-nos a incentivar para fazer alguns desportos, correr, fazer flexões, às vezes, e abdominais.

      Esta temporada de neve, acho que vou esquiar a Andorra, na Serra Nevada. Esquio todos os anos, talvez este ano vá fazer snowboard.  É como se fosse surf,  ou  andar de skate:  Desce-se aos “S” com uma prancha.

    Sei girar no ar, sem perder os skis em rampas. Dou um salto para aí de cinco metros.

     Comecei a aprender aos seis anos. O meu Pai, o meu irmão são os meus grandes companheiros de Sky; a Mãe tem juízo. Não costuma fazer essas pistas perigosas.

(Em parte ditado) PC7B

O Mar Só Para Mim

praia tropical Photo by Derek Thomson on Unsplash

      Há uma praia no Brasil que fica no jardim da casa de uns amigos do meu Pai. O mar era muito azul marinho e manso; a água era quente e profunda. À volta, numa paisagem tropical, saltavam macacos, a vegetação, de um verde claro, ondulava com a brisa, sob o sol intenso.

     Quando o sol nascia, eu acordava às seis da manhã e ia logo a correr para o Mar. Quando o meu Pai olhava pela janela, lá estava eu dentro de água.  Acordava, sem tomar o pequeno almoço, ouvia logo o marulhar das ondas a chamar-me.

     Saía da água às 10h da manhã, quando todos acordavam; então o meu irmão vinha ter comigo. Mais tarde, os vizinhos começaram a aparecer e ficamos amigos.

 Texto em parte Ditado – PC7B

Momentos de Adrenalina

surfista no túnel da onda

     Photo by Jeremy Bishop on Unsplash

      Um momento em que me enchi de Adrenalina foi há três semanas, na Praia de Carcavelos.

     O mar estava de um azul intenso, com ondas perfeitas, de crista branca. O céu limpo e o ar saturado de maresia enchiam-nos os pulmões como uma apelo à aventura. O tamanho e a força massiva das ondas, além de um “agueiro” – corrente em sentido contrário, que nos puxa para trás – eram as três forças adversas.

      Neste desafio ultrapassei os meus limites: levei com uma onda gigante com quase dois metros e meio que me enrolou debaixo de água durante muito tempo.

       Ia quase desmaiando. Sentia tristeza e desespero, porque não tinha ninguém que me ajudasse.

      Na praia, já com o meu Instrutor e os amigos á volta, invadiu-me um alívio e a sensação vitoriosa de ter sobrevivido como num milagre!

Texto a duas Mãos, PC7B e OE

Um Surfista Chamado Simas

surfista a descer uma onda

Pixabay Atribuição CC0   

      No mar muito azul, as ondas eram perfeitas e o céu estava limpo.

     Era uma vez um Surfista chamado Simas; um dia ele decidiu ir à Arrifana; então lá foi ele.

     Assim que viu o mar com ondas perfeitas e o céu sem nuvens, sentiu-se cheio de energia.

    Logo de seguida, o Simas entrou com um amigo, isto é, convidou-o  e foram logo para o mar. Surfaram grandes ondas azuis…

     Quando saíram da água, foram para casa brincar, andando de skate.

      Estavam num acampamento, a descida era inclinada, era giríssimo descer a rampa e eles iam muitas vezes a um café muito bom.

       Uns dias depois, foram embora. Quando chegaram a casa, o Simas foi logo ter com o seu cão bebé: o “Bola”, de pelo curto, cinzento e preto, um galgo magrinho que se encolhe todo ao dormir.

     Foram brincar e a brincadeira era correr muito!

SCB6C

Breves Notícias da Vida

silhueta de ciclista que parece voar contra um céu de tempestade
  Bicycle Stunt Bike Sport Biking Jump Action MaxPixel CC0

       Eu sinto-me grato por ter a vida que tenho.

     Às vezes não nos damos conta de que uma garrafa de água é tão importante e nós tornamo-nos dependentes das máquinas.

     Por exemplo: eu fui ao Algarve e fiquei sem televisão durante duas semanas. Quando cheguei a casa fiquei viciado em televisão! Há muitas pessoas que não têm televisão e, às vezes, nós não notamos esses pequenos pormenores.

     Gosto de ver as notícias, porque é interessante saber o que se passa no mundo. Por exemplo: há um Tsunami em França e eu tenho lá família.

     Gostava de fazer Karaté, Ciclismo e Natação. Natação já pratico; desejava treinar Karaté porque queria aprender a defender-me e a defender os outros. Adorava vir de bicicleta para a Escola: era o meu sonho!

      Em casa, estou a organizar-me para ter melhores notas, porque no 1º ciclo tinha notas mais fracas, mas eu sou como a minha irmã: ela começou a estudar no 5º ano!

SG5B

O Mágico Treinador

jovem surfando e a frase"Somos todos iguais diante de uma onda"Matan Vizel  CC0   Pixabay

      O meu treinador de Surf é mágico. Por uma razão (várias): ele é simpático, animado, inspirador e é corajoso.

     Já imaginam porque eu o chamei de “mágico”, não acham?

     Ele sabe quando tenho medo e, quando isso acontece, ele ajuda-me, encorajando-me. Ele consegue tornar-me o melhor a fazer Surf e, saí a ficar mais forte”!

     Ele pode ter muita força, mas também é muito querido e brincalhão.

     Eu gosto de inventar músicas com ele e começamos a cantar na carrinha de Surf.

     Eu acho-o incrível!

SCB6c

Preferências do Coração

jovem ao poente, sobre um rochedo, com o pé parecendo chutar o próprio sol, como uma bola

     Photo by Aziz Acharki on Unsplash

     O “Coração”, para mim, é a melhor coisa do mundo. Como o amor, a felicidade e a raiva: vem tudo do coração.

    O que quero de melhor para ser mais “Eu”: para mim é o Futebol. Quando jogo futebol é como se eu fosse para outra Galáxia!

     Para animar os meus amigos, eu faço piadas e vou ás estradas verdes com eles. Caso não saibam, é um sítio proibido. 

     A pior espécie de silêncio que existe, é nas aulas: é uma “seca” serena.

     Mas também há silêncios bons, como quando o Mister está a falar, toda a gente se cala e ele ensina-nos muito sobre Futebol, e isso é giro.

     Sinto-me bem sempre que jogo futebol, mas agora sinto-me mal: não posso jogar, porque parti o braço.

EM6B