70 Anos CAD – Saudades… (Antiga Aluna e Atual Mãe)

um novo amanhecerPhoto by Sabbir Ahmed on Unsplash
Saudades…
Sentimentos que nos corroem a alma…
A fragilidade e a incerteza de um novo amanhecer… sem saber…
Mas eu digo para ti que estás aflita…
De corpo e alma…
Acalma-te
A distância jamais será esquecida!
E minha Alma…
Será eternamente agradecida!
Saudades de tempos de outrora…
O cheiro do Orvalho-da-aurora…
Invadia-me e propagava-se por todo o meu ser,
E as minhas forças eram a certeza de um novo amanhecer!
Mas agora… embora minha Alma esteja enfraquecida…
sigo confiantePhoto by Sabbir Ahmed on Unsplash
70 Anos CAD – Festa das Mães 2020 –  Joana Ferreira
Inesquecível Aluna e Mãe de 4 Alunos: LR6A e + 3

70 Anos CAD – A VIDA (2015)

o sonho é a chaveImage par S. Hermann & F. Richter de Pixabay 

O mundo é um sonho que varia,
Varia por entre a multidão sombria e obscura,
Que só na noite se encontra.

Varia no arco-íris colorido e no diamante que cintila,
À espera que alguém os encontre.

Varia a indiferença no presente sentimento de dor
Por toda a parte,
Desprezando a felicidade e permanecendo o tormento.

Varia na bondade que é transmitida
Por aqueles que acreditam na mudança,
Têm um coração alegre,
Contentamento e esperança.

A vida depende do sonho que queremos ter.

A.Clara R. – 14 de Maio 2015  

70 Anos CAD – Finalista do 12º em 2020

70 Anos CAD – A Peste do AMOR – 2014

tristeza do amorFlickr.com Patrick Mc Donald

      O que é isto?

     É uma coisa que nos agarra e não nos deixa sair por mais que queiramos.

O que é isto…

 Que sempre que um certa pessoa passa ou fala connosco,

     Faz o nosso coração palpitar com tanta força que parece que vai rebentar.

   O que é isto…

   Que me dá vontade de ficar a dançar com essa pessoa até à madrugada?

O que é isto…

   Que não me quer largar?

     Que vai contagiando cada vez mais e mais pessoas.

     Como pará-lo?

     Simplesmente não dá.

     Acho que faz parte de nós.

   O que é isto… que nos possui?

 

70 Anos CADMM, 7A 2014

No 12º ano em 2020

Os Meus Sapatos

bota relvada

Pixabay License Imagem de Elisabeth Leunert por Pixabay

 

No meu armário

Encontrei uns sapatos,

Eram muito velhos, 

Tinham buracos de ratos.

 

Calcei-os e pensei:

“Vou dar um passeio”

Pus-me na bicicleta

E fui à praia do Sereio.

 

Perguntei a mim mesma:

“O que pensarão estes sapatos?

O que sentirão?

Será que estão gratos?

 

Autora: CM6B

2017/2018

in “Estórias Pintadas – Pequenos Grandes Escritores”

estorias.pt

 

 

Será que têm amigos?

Família também…

Será que gostam de mim?

Ou da loja onde os comprei?

 

O calor das Havaianas no verão.

O frio das botas no inverno.

Os formosos que vão trabalhar.

E os feios que andam de metro.

 

Os bonitos de ballet.

Os fixes de Hip-hop.

Os queimados dos bombeiros.

E os ortopédicos do Sr. Rop

 

Por fim cheguei a casa

Sem saber o que fazer,

Escrevi um Poema

Que agora estiveste a ler.