Do Trabalho e Da Arte

love em pintura de várias cores

PixaBay PixaBay License

     O meu objetivo para o 3º período é melhorar a Ciências. Estou contente com as minhas notas: Mat – 88, 81, 82; HGP – 81; Port – 75; Ingl – 71,5; CN – 70.

     No Projeto de EV fiz um Boneco com arame e espuma e fita cola; a minha amiga ainda não definiu bem o nome dele, mas chamamos-lhe José boca de banana.

     No Projeto de ET fizemos Ulisses em Ítaca feliz, com a Família.

     Como estratégia de estudo, já que tenho uma irmã pequenina, sinto que preciso de barulho, preciso de sentir que tenho gente ao meu lado, que não estou sozinha, senão fico desesperada.

    Adoro desenhar – Tenho um desenho que vou trazer para publicar: é um coração como o do livro de ciências. A minha bisavó pintava quadros. Eu tenho lápis de pastel de óleo e lápis Caran d’ Ache que se molham e fazem efeito de aguarela.

     O que me inspira para pintar é a minha vida, a vida de quem está perto de mim, e os meus sonhos.

      Tenho um caderno onde ficam as minhas pinturas, outras colo na minha parede, outras guardo numa gaveta.

LM6A

Ponderando o Trimestre

livros abertos na relva

        PixaBay License Image parcongerdesign de Pixabay

     A minha evolução nas notas tem sido razoável.  Uma estratégia que resulta bem é que estudo só aquilo em que tenho dificuldade. Estou muito atento nas aulas.

     Depois, ao chegar a casa, tenho tempo para o Surf, pois faço treinos 3 dias por semana. 

     Estudo revendo, faço perguntas, tapo as respostas e depois vejo; ou peço ao meu Pai que faça as perguntas.

     Estudei Matemática com outro truque: vejo em cada página, a teoria; não costumo fazer exercícios, só no apoio de Matemática.

     Estudei o sistema cárdio-vascular alterando as posições: face direita mais magra, para saber qual dos lados do coração se tratava.

    As catástrofes naturais, como os furacões, com os quilómetros que vão percorrendo, vão ganhando volume e vão ficando mais fortes. Devemos socorrer Moçambique ajudando todos nas dificuldades pelas quais as pessoas estão a passar.

Conversas na Oficina SCB6C

Ponderando o Trimestre

 

batalha de aljubarrota

     Wikipedia.org Atribution: Creative Commons:Public domain

      Um bom momento deste período foi a Visita de Estudo ao Mosteiro da Batalha e ao Centro Ciba. Gostei de ver o filme do Ciba. Abriu-se o chão do palco e surgiu um livro com um filme.

     Os estudos vão otimamente bem. Os próximos objetivos são manter as notas. A estratégia de estudo que deu mais resultado foi fazer muitos exercícios.

     Para orientar o quotidiano em tempos de trabalho, ao fim do dia: primeiro, chego a casa, vou lanchar, a seguir vou trabalhar. Depois tomo duche, ponho a mesa, arrumo a mochila e vou jantar. Lavo os dentes, vou fazer xixi, e vou para a cama.

     Tenho o sono muito leve e se a minha Mãe faz um passinho que seja, mesmo no corredor, eu acordo logo. Tenho de ficar 15 minutos com os olhos fechados, sem fazer nada, para adormecer.

    No trabalho de EV escolhi um leopardo, com o meu corpo, com as mãos a segurar um carrinho do Harry Potter.

    No projeto “Divertidamente”, criamos o “Raiva”como emoção. Fizemos um polícia – está mesmo parecido, até tem umas botinhas de polícia. Quando ele fica irritado tem de ter ali os seguranças.

     Em Música estamos a fazer um grupo e temos de criar uma letra e de compor uma música. Somos 4  e letra é sobre: ”Escutar”:

letra da musica para a festa

     A melodia é em flauta tocada por um flautistas enquanto os outros cantam.

     Para o Sarau, eu sou um dos oito vocalistas, vamos cantar “The Best Day of My Life” com outras pessoas a fazer o piano, o xilofone, o metalofone, outros com bongos e a bateria (NB 5C)!

     Na Páscoa, gostava de ir fazer a caça aos ovos!

Conversas na Oficina – MI5C

A Catedral e a Pessoa Humana

Pieta de Notre Dame de ParisCommons Wikimedia.org  CC- Attribution Share Alike 3.0

     Palavras do Arcebispo de Paris, na Eucaristia Vespertina de Quinta-Feira Santa, Monsenhor Michel Aupetit:

     “A nossa catedral amada está de joelhos. Sabemos que ela é mais que um monte de pedras. Todas as reações do mundo inteiro o provam.

     Qual é a diferença entre um monte de pedras e uma catedral? É a mesma diferença entre um conjunto de células e uma pessoa humana.

    Um monte de pedras e um conjunto de células constituem um amontoado informe. Numa catedral ou numa pessoa humana existe um princípio de organização, um princípio de unidade, uma inteligência criadora.

     A outra coisa que une a catedral e a pessoa humana é a unção que podem receber para manifestar uma transcendência, uma presença divina que lhes confere um caráter sagrado.

    Esta catedral é habitada por um povo. Mas não apenas por aqueles que rezam ou que a visitam. Ela é portadora de uma presença. Ela é a casa de Deus e por isso é a casa de todos.

      Vamos reconstruir a catedral. A emoção mundial, o extraordinário impulso de generosidade suscitada pelo incêndio que a destruiu em parte, vai permitir que consideremos reerguê-la. […]

     Mas também temos de reerguer a Igreja: que todos os batizados que receberam a unção de Cristo, sacerdote, profeta e rei, reencontrem o fervor do seu início, revivam a extraordinária graça que um dia receberam, ao tornar-se filhos de Deus.” 

(Este excerto aguarda permissão para ser publicado – Cet extrait attend la permission due pour être publié ici.)

Fonte: https://www.paris.catholique.fr/homelie-de-mgr-michel-aupetit-49988.html

O Amigo Imaginário

janela de fantasia e personagem minúscula empunhando uma espadaPixaBay License Image parStefan Keller dPixabay

        – Filho, Filho, estás a brincar com quem? – perguntou o Pai assustado.

        Pai, eu estou a brincar com o meu Amigo Imaginário – respondeu-lhe o Filho.

     – Como é que ele é?  – Perguntou o Pai muito curioso.

     Ele explicou:

     – Pai, ele é verde, com o cabelo vermelho, com uma coroa bem dourada, cheia de pedras preciosas.

     O seu rosto tem um olho azul e o outro dourado alaranjado. Tem o nariz pequeno e uma boca sorridente.

     Dentro da sua casa tudo é estranho, as portas estão sempre a mudar de sítio e as escadas também.  Cada porta é diferente.

     No terraço, há uma piscina de águas muito azuis e uma cascata. Também tem uma macieira dourada que, quando há maçãs, consegues obter um poder ao acaso.

      Por exemplo: Voar, dar saltos gigantes, conseguir ter a força de mil milhões de pessoas, conseguir correr super rapidamente, falar com os animais e – o meu favorito – conseguir parar o tempo!

      Ao ouvi-lo, o Pai exclamou:

      – Filho, também posso brincar?

TF5B 

Mensagem da Natureza

calêndula que abre coberta de orvalhoPixaBay License Image parStefan Keller de Pixabay

O nascer de uma Flor transmite uma mensagem preciosa.

     Para mim a Natureza é vida, cores, perfeição, amizade… Todas estas qualidades são só palavras, mas não se pode dizer o mesmo da Natureza, porque ela é tudo, é complexa.

     Se tentarmos procurar uma resposta para nós, para a vida, a resposta está na Natureza, pois lá há uma resposta para tudo.

    Mesmo se não percebermos, a Natureza tenta-nos dizer muitas coisas pela maneira como os animais vivem ou como as plantas nascem.

     Para mim, o nascer de uma flor, enterrar a semente e regá-la até ficar grande e forte, é muito bonito, porque me transmite uma mensagem preciosa:

    Todos chegamos ao mundo pequeninos, mas com o “regar” que é o esforço e a dedicação, ficamos fortes.

    Mas se pararmos de regar, a planta morre. No nosso caso, perdemos essa força, por causa da preguiça ou da falta de esforço para chegarmos aos nossos objectivos.

     Por isso, temos de continuar a batalhar, a “regar”, para atingirmos as nossas metas. Mas sem magoar ninguém, nem derrubar alguém.

    E isto é só uma das mensagens que a Natureza nos passa.

CC8B

Que Rica Vida!

arranha céus fantasiaPixaBay PixaBay License

     Era uma vez uma menina chamada Maria, que era órfã, que vivia na parte mais pobre do Brasil. Um dia, ela e uns amigos foram dar um passeio pelas redondezas, mas Maria perdeu-se já numa zona que não conhecia.

     Reparou que ali só havia mansões grandiosas. Subitamente, do nada, abriu-se uma janela, ouviu-se um tiro. Ela sentiu uma dor aguda no pé direito e perdeu os sentidos.

     Algum tempo depois, acordou numa cama confortável. Abriu-se a porta do quarto: entrou um homem vestido a rigor que lhe disse que ela iria viajar, para um sítio espantoso, e que a partir de agora, ela iria ter dignidade humana perante a sua própria pessoa, iria ter uma vida melhor.

    Maria escutou e adormeceu novamente.

    Passado um dia, vestiu-se, e foi a caminho do Aeroporto, numa Limusina, a caminho da grande cidade que o homem tinha referido.

     Passadas quatro horas, olhou pela janela do Avião e logo viu que se tratava de Dubai. Mal saiu do jato privado, viu 12 seguranças e dois carros do Exército, um à frente e outro atrás, a Limusine no meio. Foi para um hotel de 7 estrelas, para descansar um pouco e para melhorar o pé que ainda estava ferido, embora já tratado.

    Do terraço do Hotel, embarcou para uma viagem deslumbrante, contornando os píncaros dos arranha-céus.

    Passadas algumas horas, voltou para o seu hotel. De seguida, pediu aos guardas que ligassem ao seu patrão, porque queria ter uma conversa a sós com ele.

     Depois da conversa, Maria ficou uns dias, a conhecer esta nova cidade.

     Numa bela tarde, recebeu uma chamada inesperada, para se dirigir ao Quartel General do Exército de Dubai.

(Continua)

SG5B

Ce que J’Aime Bien

adro da Igreja onde o Alex brinca com os amigos em frança

     Google Maps – photos Baptiste Dailhé Atribution: Conditions de Google Maps

       Gosto de imensas coisas! Por exemplo:

    Jogar futebol com o meu irmão, jogar pingue pongue, jogar videojogos, como Fortnite.

    Dou passeios com o meu avô pelos olivais no Alentejo. Passeio os cãe: um é branco com pintas castanhas, o outro é um bulldog francês e ainda há um beagle muito maluco que cada vez que sai, foge. Já ficou desaparecido 3 dias.

    O meu bulldog francês sabe sentar-se, fazer de morto, e até se deixa revistar, com as patas da frente apoiadas na parede.

    As minhas impressões de Portugal são boas, gosto de viver aqui. As pessoas são simpáticas. Cá descobri novas coisas, como por exemplo, novas refeições, novas terras…

    Para o 3º período gostava de ter melhores notas a Português, sobretudo em gramática, educação literária e escrita.

    Nas férias grandes penso ir a França  – no Domingo, ao fim da tarde, os meus amigos e eu jogávamos futebol, andávamos de bicicleta, de trotineta e de patins, no adro da Igreja. Eu morava na rua Gbh la Folie. Quero voltar a vê-los e voltar a fazer isso.

      Na Páscoa vou para o Alentejo e Açores ou Algarve.

AS5C

Os Quatro Amigos – III

 os quatro elementos do Universo
   V
    Um aluno bem conhecido de todos,  mas que tinha uma espécie de identidade falsa, mostrou ao Rodrigo e ao Salvador um compartimento que ficava num café abandonado ao pé da escola. Era acessível a partir de uma conduta. 
 
     Esse aluno confidenciou-lhes que queria conquistar o Mundo e fazer deles os seus companheiros e, do resto do Mundo, os seus escravos. 
    
     Mas tinha um inimigo e precisava deles para o derrotar. 
 
    Explicou-lhes como se tinham tornado possuidores dos seus poderes.
     
      O Salvador, quando tocou naquela bola, ganhou o poder do fogo. Ela tinha sido criada por uma ancião sábio. Depois, ele escondeu-a na sua própria casa que,  a partir da sua morte , ficou abandonada, para não se tornar perigosa.
   
     Passados anos, foi encontrada por acaso, por um explorador que a considerou como uma relíquia de família ou um objeto decorativo. Decidiu levá-la ao mercado para a vender. 
     
     Foi no mercado que o Salvador a tocou, e, nesse momento, o espírito de fogo que lá estava contido, entrou dentro dele, tirando o poder à bola. 
    O pai do Rodrigo, antes de se casar, tinha colocado no dedo um anel poderoso que transformou o seu poder de procriar: assim, o filho nasceu com o poder do Vento.
(Continua)
MM7A

HUMANIDADE EM AUTODESTRUIÇÃO

I

Podemos Ter Noção da Beleza que é o Mundo


o mundo numa mão aberta
Image by Okan Caliskan from Pixabay

      Alô! Está aí alguém?

      Amigos, colegas, pais, irmãos, família e restantes seres humanos:

     Realmente acho que não há esperança. Custa me ver os meus amigos tão pouco interessados com este problema da Humanidade.
Neste momento, estou na janela do meu quarto a olhar para uma paisagem tão verde e cheia de vida e fico triste por saber que daqui a uns anos tudo vai acabar, apenas porque o ser humano não sabe dar valor ao que tem.

    A maior parte sente-se superior, por serem ricos ou por terem carros de luxo, mas poucos percebem que a maior riqueza é estar em interação com a natureza e acima de tudo protegê-la.

     Somos uns sortudos por sermos seres vivos com consciência, pois de facto é uma sorte podermos ter noção da beleza que é o mundo à nossa volta. Contudo, com esta indiferença toda, assinamos a nossa sentença de morte e a de tantos outros animais que nem culpa têm.

    É impressionante como o ser humano é o ser mais inteligente mas ao mesmo tempo o ser mais burro.

    Como foi possível chegarmos a este ponto? Pondo em causa até a nossa existência? Será que somos tão egoístas ao ponto de acabar com a nossa própria espécie?

    Será que com o pouco tempo que resta não vamos fazer nada para tentar evitar essa extinção? Vamos apenas dizer “não vale a pena, já estamos mortos”?

II

BEM, EU AINDA RESPIRO, E VOCÊS?

natureza conservada entre duas mãos em conchaImage by Mystic Art Design from Pixabay

    Até ao dia em que deixarmos de sentir o coração a bater, haverá sempre algo que podemos fazer e, cabe a cada um fazer, não apenas dizer que a responsabilidade não é nossa e por isso os outros que façam.

     O que se passa no mundo é responsabilidade de todos, pois os problemas existem e a responsabilidade não é apenas de quem os criou, mas sim de todos pois deixamos que eles o fizessem.

     Como é possível que em pleno século XXI consigamos ser tão retrógrados? Ser mesmo tão burros? Com o ritmo atual da evolução da ciência e da tecnologia em vez de as usarmos para salvar a humanidade, usamo-las preocupados apenas em melhorar os poucos anos que ainda nos restam.

     Não sei quanto a vocês, mas eu quero que os meus filhos saibam o que é plantar uma planta na terra e vê-la crescer, reconheçam os animais, saibam o seu valor e o seu papel. Basicamente, perceber, proteger a natureza e aprender com ela.

III

Aprender com  a Naturezacabeça jovem de ficção, prateadaImage by DrSJS from Pixabay

     Sim, aprender com ela, porque o futuro que estamos a criar é para que os nossos filhos nasçam, vão para a escola, para serem injetados com coisas que pouco interessam e quando dão por isso, pelo menos 20 anos da vida deles já passaram.

    Depois vão para o mercado de trabalho onde passam 40 anos a correrem atrás de dinheiro; pelo meio, embora tardiamente, lá arranjam tempo e constituem família e um ou outro lá dão ao mundo novos escravos da sociedade.

    Assim funciona a vida humana neste momento, uma vida sem “dar ouvidos” ao nosso interior e sem ouvir os sons que existem à nossa volta.

     Temos tanto a aprender com os nossos animais, esses que achamos serem meros seres que não pensam e que achamos que estamos no direito de acabar com as vidas deles sem qualquer justificação, apenas para proveito próprio.

     Esses animais nascem crescem aprendem a amar a natureza…aprendem a dar lhe valor…quando constituem família apenas se dedicam a família e mais nada interessa.

     E agora quem é o animal irracional? Seremos nós ou eles? Pois eu olho para a minha espécie e só vejo indiferença pelo próximo.

     Vejo que a mente das pessoas apenas se foca no dinheiro e como ganhar mais e mais. Vejo que não têm tempo nem para eles, quanto mais para a família. Vejo escravos da sociedade que apenas nascem para dar vida a outros.

    É isto que queremos para os nossos filhos? Sim refiro-me a minha geração, pois a geração dos nossos pais já não conseguirá mudar, mas, e nós?

    Temos o exemplo deles! É isto que queremos? É isto que queremos que seja a vida dos nossos filhos?

     Perguntar a uma criança de onde vem o leite e ela responder “do supermercado”?!! Vê-la crescer apenas para ser mais uma?!

    Ou queremos ensinar-lhe o valor da vida e o respeito! Ensinar-lhe que temos que alimentar a vaca, tratá-la bem para que ela nos possa fornecer leite! Ou vamos querer mostrar-lhe o sofrimento que os animais passam nos matadouros!? É essa crueldade que lhe queremos mostrar?

     Mas a desculpa é sempre a mesma: “nada podemos fazer, isto é assim e pronto”.

IV

Unidos,  Iremos Conseguir

ajuda a subir rochedo contra fundo de poente

     Image by Sasin Tipchai from Pixabay

      Pois bem, então eu sinto-me diferente, pois eu olho para isto como algo que pode ser resolvido! Temos ideias, temos meios! Só não as pomos em prática porque achamos sempre que não vale a pena! Lamento, mas eu prefiro morrer e saber que tentei dar um futuro aos meus filhos, aos meus netos do que morrer e saber que nada fiz para o mudar.

    Olho para trás e os problemas sempre foram raciais ou religiosos… mas, pessoal, abram os olhos! Os problemas atuais não tratam de se és branco ou preto! Se és islão ou cristão! Trata-se de um problema da Humanidade!

      E estamos mais preocupados se o Benfica ganhou ontem ou não? Muitos irão ler este texto e dizer: “Sim Madalicas, ok, isto é um problema claro, preocupa-nos a todos, mas de que serve eu mudar se há 7 milhões que não irão mudar?”

     E eu respondo: se o pensamento é sempre esse,  é óbvio que nunca se vai mudar,  mas se cada um fizer um mínimo esforço! Unidos iremos conseguir.

    Os povos sempre estiveram em guerra uns contra os outros, mas talvez este fosse o momento de percebermos que não serão só os brancos a morrer ou só os do Islão a morrer! Trata-se de uma extinção em massa, em que brancos, pretos, amarelos, às bolinhas! Seja o que for!

     Todos temos que nos unir e mudar os nossos comportamentos! Ou é isto que queremos? É este o mundo que queremos deixar para os nossos filhos? Criá-los para morrerem? Podem achar isto um exagero, mas já pensaram em informar se um pouco mais e ver como está o mundo? O mundo não é o nosso umbigo!

V

O Ser Humano é Mais…

globo no mar rodeado de chamasImage by Gerd Altmann from Pixabay 

    Há tanta coisa que se está a passar e ninguém sabe! Acham que isto é um exagero? Então as demais espécies que extinguimos! Então e estas tempestades todas! Então e toda esta alteração do clima que já nem estações existem, é normal? Que todo este desgelo é normal?

    Ah, espera, já sei, a desculpa: “- Ah e tal, isto a vida passa por vários ciclos e neste momento está a mudar!”

      Ok, então esses ciclos surgem passados milhões de anos, mas é normal mudanças tão grandes em apenas 20 anos? Que tal deixarmos de arranjar desculpas e perceber que há um problema que precisa de ser resolvido com atitudes e não com desculpas!

     Ok, já sei:”E tu, Madalicas, que esforço tens feito?” Ok, não tenho feito muito. No que posso tento sempre ajudar o ambiente! Mas este texto não serve para acusar ninguém! Serve para tentar mudar mentalidades e uma sociedade que nos acabará por exterminar ou por não garantir um futuro para as novas gerações.

    E em vez de nos culpar uns aos outros devíamos unir-nos e provar que o ser humano é mais do que tem demonstrado ser estes anos!

    O mundo já está cá há muito tempo. E muitas extinções existiram. E nós, parvos , ainda achamos que conseguimos lutar contra a Mãe Natureza! Pois bem, agora estamos a levar com as consequências desses pensamentos

     Agora cabe a cada um pensar…

     Eu ainda respiro, e vocês!?!?!?!

    Lutarei até ao dia em que o meu Coração parar, pois aí morrerei de consciência tranquila, por ter tentado tudo para que os meus filhos pudessem ter um mundo melhor…

                                                                                             Madalicas 24/3/19,

Uma Jovem ainda com Esperança na Humanidade

O Poder Secreto

porta secreta rodeada de estantes de livrosImage parReinhardi de Pixabay PixaBay License

      Era uma vez um rapaz de 10 anos chamado Jack. Tinha os olhos castanhos, cabelo preto e peso normal para a sua idade.

      O seu irmão mais velho irritava-o constantemente.

      Numa tarde solarenga, o seu irmão começou a desafiá-lo: pôs-se a partir os jogos e brinquedos que ele mais gostava.

      Jack passou-se completamente e, de repente, para espanto dos dois, os objetos preferidos do irmão começaram a rebentar.

     Jack começou a sentir-se diferente: o seu olho direito começou a brilhar e a mudar de cor. Imediatamente, o seu irmão exclamou:

     – O que está a acontecer? Porquê?

    – Chama-se “karma”, meu irmão. – Respondeu Jack com uma voz severa e irritada. 

      – Pai, Mãe! – Gritou o irmão, muito assustado.

     Quando os Pais  chegaram, também ficaram surpreendidos. Jack parou a sua transformação e voltou à normalidade.

     A Mãe foi ao escritório, trouxe de lá o seu Diário antigo e mostrou a Jack um código que permitia abrir uma porta escondida por baixo da sua Escola.

(Continua)

TF5B

Um Jovem Convidado

bola de ´tenis contra fundo de terra vermelhaPhoto by Siamak Mokhtari on Unsplash

 Poesia e Ténis: Fontes de Inspiração

      O que mais gosto de escrever é poesia. Fazer poemas é um dos meus talentos; sigo-os até ao fim, tal como o ténis.

     Nas férias posso jogar mais jogos do que habitualmente. No treino habitual tem-se mais trabalho; joga-se muito menos; fica-se mais cansado. Temos de fazer os gestos até nos cansarmos. Há serviços que saem bem, outros mal.

rosas sobre livro de poesiaPhoto by Thought Catalog on Unsplash

A Escrita como Herança

    A minha Mãe gosta de escrever; foi professora de Francês. Ela nasceu na Roménia e estudou na Moldávia.

Passatempos

     Gosto muito de jogar xadrez com o meu irmão de 7 anos.

Sobre o nosso Mundo

     O maior problema parece-me ser a poluição. Consigo colaborar reciclando; posso ser ainda mais voluntário; participar nos Ateliers de Limpeza; aproveitando: o suporte da minha mesa de pingue pongue é uma tábua velha.

Em Viagem

     Já fiz tantas viagens… fui a bordo de um barco de Cruzeiro, passando por Espanha, França, Itália e atraquei em Malta. Também gostei do Arquipélago da Madeira. Uma vez as ondas ficaram muito fortes.

Conversas na Oficina

AV5D – Aluno Convidado

A Invasão dos Aliens

invasão de naves espaciaisXavier Rodriguez Pixabay – PixaBay License

     Um dia de semana, numa quinta-feira, estava eu na Escola a brincar com o meu amigo Tiago, quando começou a ficar tudo escuro.

    Então, eu e o Tiago escondemo-nos dentro de um carro.                  Passados uns minutos, já não víamos ninguém.

   Decidimos sair e começou a loucura: pegamos em armas para nos defendermos, e eu, de tão entusiasmado, peguei no carro e comecei a atropelar os Aliens.

   Eles tinham 50 olhos, eram alaranjados e com duas bocas que davam um som de duas colunas. Tinham um ar assustador e sombrio e vinham para dominar toda a Galáxia, inclusive a Terra e o Sol. Vinham de outra dimensão desconhecida dos humanos.

     Eu assustei-me quando eles saltaram para a Nave. Corremos para mansões seguras, para nos protegermos. Entramos numa mansão e, logo que pusemos os pés no chão, caímos numa sala secreta cheia de tecnologia de ponta.

     O Tiago entusiasmou-se e clicou num dos botões: surgiu um círculo que nos protegia de tudo à face da Terra.

  (Continua)

SG5B

Forte como a Pedra, Querido como Mel…

silhueta de pai e filho contra o ponetePixaBay License Image parFree-Photos de Pixabay

     Pai, este dia é para te agradecer por tudo…. Espero que gostes desta prendinha e que guardes estas palavras no cofre do teu coração para todo o sempre.

     Adoro como és forte como a pedra e querido como o mel. És divertido e corajoso, como o leão que protege a Família e os Amigos.

      Queria andar de camelo contigo em Marrocos, mas, se não der, posso andar contigo na areia, com os pés firmes no chão e andaremos até os nossos pés saltarem e chegaremos ao Céu.

     Admiro em ti a paciência para me dares Educação e para eu vir a ser um homem corajoso, educado e bondoso como tu e não cometer erros parvos e maus.

      Pai, adorei quando construíste a piscina para nós! Acho que ela é especial, porque, quando nado lá, sinto o amor e o trabalho com que tu te sacrificaste para nós brincarmos e relaxarmos nos momentos difíceis.

      Quando fores velhinho, eu vou-te ajudar e, nos momentos mais duros, eu estarei lá, nem que seja o aniversário de um amigo meu.

      Estarei lá sempre e, quando tu partires, eu sei que estarás comigo e me ajudarás até eu poder ir ter contigo.

     Pai, vais estar a ver-me do Céu e a corrigir-me, mas até lá, mesmo separados, estarei contigo em espírito e em amor.

    Para o resto da tua vida, espero que fiques bem, rodeado de netos, amigos e a Mãe.

     Espero que te orgulhes dos teus filhos e que aches que eu fui bom filho.

     Obrigada por me sustentares e por me teres dado a vida.

      Tenho muita sorte, por ter tido o melhor Pai do mundo!

TF5B

Semba, “o Fofo”

yorkshire terrier numa rede verde

     Photo by Gabriel Yuji on Unsplash

     O meu cão chama-se Semba e é da raça Yorkshire. Tem o pelo loiro na cabeça e nas patas, cinzento no pescoço e é preto no resto do corpo. Tem estatura pequena e pesa dois quilos. Os olhos são pretos e fofos.

     Um dia, ele sofreu muito: engoliu um clip e teve de ser operado à barriga. Ainda hoje, quando se vira para lhe darmos festas – porque é muito fofo – vê-se a cicatriz.

     Tem uma roupinha azul e branca, com desenhos de flocos de neve e fica muito fofo com ela.

     O Semba  tem andado muito cansado. Quando eu vou para o sofá ele salta para o meu colo e adormece.

MI5C

Peter Pan, um Destino Feliz

pintura de rosto de caozinho amareladoPixaBay PixaBay License

     Era uma vez um cãozinho que estava na rua  sem coleira.

    Vieram os homens do Canil e levaram o cãozinho para uma Associação de Animais Abandonados.

    Mais tarde, apareceu uma pessoa que estava hesitante na escolha entre o gato e o cãozinho. Finalmente, a pessoa escolheu o cãozinho para levar para sua casa, pois este era mais meigo e não deitava coisas ao chão.

     Era pequenino, de pelo amarelado, as orelhas caídas e olhar suave. Passou a chamar-lhe Peter Pan. O cãozinho gostou muito da casa nova e da sua Família humana.

    Depois de vários anos, ele chegou a aprender a andar de skate e a fazer de DJ com o dono, nas festas de Cães que davam na garagem!

OUF, OUF!

DS6B

Por Detrás de um Sorriso

jovem mulher num sorriso entre correntesPixaBay PixaBay License

      Quando olhamos para alguém, podemos deduzir incorretamente o seu estado de espírito.

       Para lá de um sorriso pode encontrar-se o seu lado sinistro e indefinido. 

      Quando nos encontramos num dia mais sombrio, os nossos objetivos não são realmente desvendados. Só esperamos uma luz para nos iluminar e dar radiância a mais um dia obscuro.

      Por detrás de um sorriso enganoso, nos deixamos levar, na nossa ignorância; por detrás de um sorriso verdadeiro e honesto, escapa-nos o fio à meada.

       Indefinido permanece o sorriso, por desencobrir.

   Deixamo-nos levar pelas relações amigáveis: sempre que avistamos um sorriso na cara de um íntimo, interpretamos o eventual sorriso sempre como algo positivo.

AVis

Projetos Vivos

           paisagem de ski em Andorra

     PixaBay PixaBay License

     Neste momento, um dos meus Projetos é ter boas notas. Para o atingir, estudo a ler, faço resumos e exercícios.

      Outro Projeto é ser um bom Surfista do Outside Surf Project: ando a treinar o Bottom – em que se desce, sobe-se e desce-se de novo a onda, mas o Bottom é a manobra da subida.

      Finalmente, pretendo ir às Maldivas, porque é lindo, nem tem explicação! Apanha-se um barco e, ao largo, há ondas perfeitas!

      Não há pessoas burras, elas apenas usam a inteligência de forma diferente!

      Em Educação Física, estão-nos a incentivar para fazer alguns desportos, correr, fazer flexões, às vezes, e abdominais.

      Esta temporada de neve, acho que vou esquiar a Andorra, na Serra Nevada. Esquio todos os anos, talvez este ano vá fazer snowboard.  É como se fosse surf,  ou  andar de skate:  Desce-se aos “S” com uma prancha.

    Sei girar no ar, sem perder os skis em rampas. Dou um salto para aí de cinco metros.

     Comecei a aprender aos seis anos. O meu Pai, o meu irmão são os meus grandes companheiros de Sky; a Mãe tem juízo. Não costuma fazer essas pistas perigosas.

(Em parte ditado) PC7B

Os Quatro Amigos – II

os quatro elementos do Universo

Flickr.comAtribution: 2.0Generic

III

      Nicolau era um jovem que sentia medo em muitas situações. Mas quando queria tornava-se um bom conselheiro para os amigos que se sentiam em baixo.

      Estava muito vento e, com um simples gesto, ele parou o vento.

IV

      O Rodrigo era arrogante, tinha o seu Grupinho e achava-se superior a todos. Ainda por cima era bilionário.

     Um dia, ele estava no seu jato particular, e, ao aterrarem, aconteceu um sismo.  Assim que aterrou, o sismo parou.

V

     Por acaso, todos eram da mesma escola. Um dia em que estavam no recreio, um colega desconhecido, surgiu diante do David e do Nicolau e disse:

     – Venham comigo e mostro-vos um segredo.

     Nicolau e David ficaram um bocadinho surpreendidos, mas concordaram.

      Ele levou-os até a uma parte do Colégio em que nunca ninguém tinha reparado.

       Abriu uma porta e os dois amigos ficaram fascinados ao verem a alta tecnologia que enchia a sala.

       Guiou-os para lhes mostrar as outras salas. Apresentou-se e disse que o seu nome era X. Explicou o que tinha acontecido a ambos durante aqueles eventos estranhos.

      A mãe do David pertencia a uma espécie Atlanta, que era meio humana meio peixe; tinha casado com o seu pai e o filho resultou ser um humano com os poderes da água.

      O Nicolau, quando era bebé, tinha caído num balde com uma poção mágica que lhe transmitiu os poderes do ar.

      O  colega desconhecido acrescentou que tinha o poder do Espaço e, juntos, tinham de salvar o Mundo da maior ameaça que o mundo já tinha visto.

      Ficaram petrificados de espanto, os amigos, quando se  aperceberam que tinham de salvar o Mundo.

(Continua)

(Em parte ditado) MM7A

O Gato Desaparecido

     cão e gato em carinho mútuo

     PixaBay PixaBay License

     Era uma vez uma menina chamada Matilde que tinha recebido, há algum tempo, um gato . O seu pelo era tão branco que parecia ser de neve. O gato chamava-se Pluffi; era muito brincalhão e adorava dormir :passava pelo menos algum do seu tempo a dormir.

     Matilde adorava brincar com o Pluffi, só que, uma tarde de inverno, quando estava a brincar com ele, no jardim nevado,  a mãe chamou-a.

      Ela foi ter com a mãe e ajudou-a a faze um lanche delicioso. Mas quando voltou, viu que o gato já não estava  no seu jardim. Perguntou a toda a gente da vizinhança  se tinham visto un gato branco e grande. Ninguém tinha visto!

      No meio da sua tristeza,  Matilde lembrou-se de um sítio. Ela foi ter com o seu vizinho Max e perguntou se tinha visto a sua gata. Max respondeu que sim,  que estava a brincar com o seu cão Pantufa na sala do vizinho.

     Matilde ficou muito contente, pulou de alegria e disse que nunca ia deixar o seu gato desaparecer.

     Pantufa e Pluffi brincaram e divertiram-se muito com bolinhas de neve a atirarem uns aos outros.

MC8C

A Estrela que Caiu do Céu – II

    estrelas sugeridas descendo num campo com borboletas

     PixaBay PixaBay License

     Era uma vez, num reino distante, uma linda estrela que era muito bonita, graciosa e muito, muito brilhante.

     Quando ela resplandecia, até explodiam  raios de luz em todas as direções.

     A linda estrela não conseguia descer da sua casinha, até que… uma estrela cadente a empurrou, quando ela ia saltar.

     Do nada,  a estrelinha acordou no meio de um campo de Futebol e veio uma criatura estranha que lhe perguntou:

     – Olá, quem és tu e porque estás aqui tão pálida?

    – Ah… estás a ver as lindas estrelas ali em cima? Eu sou uma delas. E, por acidente, caí aqui. Onde estou e quem és tu? 

 (continua)

CM5C                 

Onde Gostava de ir nas Férias

fogo de artifício na baía de SydneyPhoto by Ray Hennessy on Unsplash

     Eu gostava de ir à Suiça, acho que é o único lugar da Europa onde gostaria de ir, porque é um país pouco poluído e muito montanhoso, puro e cheio de vegetação nas encostas.

     Na América estão sempre a dizer: 

     – Ai, a Europa é linda!

     Gostaria de ir à Austrália na época Natalícia, porque em vez de estar frio, está calor.

     Também gostava de passar a passagem de Ano dentro de água, ou seja, na praia: deve ser lindo apreciar o Fogo de Artifício, deitado na água!

     Eu acho que é importantíssimo viajar, na vida, pois não ficamos isolados.

SG5B

O Mistério da Música

     guitarra composição de fantasia

     PixaBay PixaBay License

     A música não se pode dispensar: assim como o D. e o M. tocam piano, viola e guitarra, eu tenho de escutá-los, pois não toco. As melodias harmonizam as nossas emoções e suscitam também sentimentos novos.

      Para mim, a música é a inspiração porque quando for grande quero ser cantor.

     Ser cantor é deixar cantar a alma mais profunda, aquela parte de nós que consegue comunicar com todos os outros.

     A música é outra forma de linguagem, é uma espécie de escrita.

  Pois é. As músicas nas pautas são em escrita.

    Não só. Também há Matemática na música: para compor é preciso supor números que exprimem as relações entre os sons.

Eu gosto de tocar enquanto canto, pois é muito divertido, as músicas são aventuras, transmitem alegria.

     Ser cantor também é muito difícil, mas é super giro: podemos não saber cantar sozinhos, apenas em grupo: a nossa voz vai à boleia na dos outros – é como voar!

     As músicas fazem com que nós voemos, não é cantar que realiza os desejos, são as músicas que escrevemos.

Texto a 3 Mãos

MI5C, DJ5D e OE

Um Coração Livre

     Pixabay PixaBay License

      Há várias formas de descrever um coração e uma delas é Amor.

      Toda a gente que tem coração tem Amor e também outra forma de descrever o coração é a Vida, porque todo o coração tem vida.

     Como podes fazer com que alguém seja mais ele próprio?

   Inspira e expira: estás a ver todas as pessoas que estão à tua volta? 

     Imagina que vai ser difícil e não vais conseguir à primeira vez, mas quando conseguires, vais ignorar tudo o que as pessoas te chamam de nomes maus, até de mau gosto, vais conseguir ignorar tudo o que tu quiseres, ou não ignorar, se o não quiseres. 

JPA6C

Diário de um Gamer Voador

 avião pequenino e muito antigo sobre as nuvens e as montanhas ao poente

 PixaBay PixaBay License

 Diário – 7 de Janeiro de 2019

     CS:GO – Comprei o cartão da Steam na sexta-feira, quando fui com a minha Mãe ao Shopping.

     Também ganhei uma caixa de “Skins” de CS:GO.

     Quando fui jogar, encontrei uns Hackers que me matavam pelas paredes e eu, com a raiva, parti o rato do computador e tive de colar com fita “Pintor”.

8 de Janeiro de 2019

     No Natal passado, recebi um boneco incrível: uma POP Figura, de Fortnite, com uma picareta de Unicórnio, roupa e ténis.

     O meu Pai, se calhar, para o ano, vai para Bragança de avião e eu vou-lhe pedir se posso ir com ele.

     Já ganhei um bocado de coragem para me arriscar a voar.

LJ6A

Querido Amor Futuro

lua, gelo, par de mãos dadas

     PixaBay PixaBay License

     Eu acho-te amorosa, querida e também gosto muito de ti. És tão bonita!

       Tu ainda não gostas de mim por Amor, mas, no futuro, podes passar a gostar.

     Se tu precisares de ajuda, não hesites, dou-te o meu telefone. Eu sou ótimo a Matemática, desde há pouco tempo.

     Se tu sofreres, eu também sofro, pois os nossos corações estão interligados.

      Admiro-te, quando estás nas aulas. Estou sempre a olhar para ti: tens olhos brilhantes e cabelos lindos a refletir a Luz.

     Eu adoraria entrar nos teus sonhos à noite, quando estás  a dormir profundamente.

LJ6A

A Rapariga que Amava o Mar

     mermaid by the sea

   PixaBay PixaBay License

     Era uma vez uma menina chamada Mafalda: era alta, e os seus olhos eram azuis-porcelana.

      Mafalda era uma jovem que passava o seu tempo no mar, onde sentia paz e tranquilidade. 

      Ela ia sempre para o mar ver o pôr do sol brilhante. Até que um dia, viu um vulto  imóvel na prancha do paredão. Foi espreitar e viu um rapaz todo de preto a fugir.

     Mafalda queria saber quem era e, sempre, todas as noites voltava à  praia para ver se ele aparecia.

     Ficava horas e horas a olhar as estrelas, sentada numa rocha, com os pés mergulhados na água.  O ar do mar enchia-a de Esperança,  mas ele não aparecia.

      Ela ficava horas a pensar quem seria aquela pessoa .

    Mafalda, não desistiu: foi outra vez à praia, para ver se ele aparecia…  começou  a cantar e, a pouco e pouco, o seu corpo de rapariga tomou a forma de uma sereia verde-mar.

      Foi então que o jovem surgiu das profundezas do mar, viu-a, veio ao seu encontro e perguntou-.lhe o nome .

     Ela disse que se chamava  Mafalda e ela perguntou-lhe o nome:  era Manuel.

     Depois disso Manuel perguntou-lhe se ela queria ir numa aventura pelo mar e ela disse que sim.

      Descobriram o Mar em todo o seu esplendor.

MC8C

Um Pássaro com um Desejo


pássaros dourado e azul

         PixaBay 1 PixaBay 2 PixaBay License

  Conta a lenda que  outrora existiram dois pássaros:  um azul como o oceano, com pequenos toques de céu e de noite; o outro, com o tronco cor de carvalho e as plumas douradas, esvoaçantes como pétalas ao vento.

       O pássaro azul, com contrastes da noite e do dia, tinha o desejo de transformar-se em humano. Achava que, se fosse humano, seria mais ouvido e livre. Ele era um pássaro com muita imaginação.

     Certo dia, os dois pássaros estavam a voar a favor do vento, quando, de repente, avistaram um pequeno poço de mármore. O pássaro azul, com a sua imensa sede, veio de cabeça até ao poço, mas tão depressa que acabou por cair.

       Quando saiu do poço, não queria acreditar: quando olhou para  baixo teve uma tontura, ao saber que estava tão alto e com pernas e pés a tocar no chão. O amigo olhou para ele e disse:

        – Piu, piu, piu.

     O Azul não compreendia o que o Dourado queria dizer, mas apercebeu-se logo que se tinha transformado num humano!

                                                                             MS8b, CC8b,                             

Ela Traz, à minha Vida, Amor e Felicidade

    golden retrivier

     Photo by Daniel Cano on Unsplash

     A minha cadela é a Xica; é uma Golden Retrivier de tamanho médio, com o pelo dourado e macio. As orelhas são caídas e tem olhos castanhos, brilhantes.

     Quando ela me vê a chegar, à porta de casa, vem a correr, salta de alegria e começa a lamber-me.

     A minha cadela entrou na minha vida quando eu, com sete anos, estava sempre a fazer favores aos meus pais e eles, então, deram-me a Xica: dentro de uma caixinha, veio mesmo bebé para mim.

      Quando a Xica for velhota, eu vou estar sempre ao lado dela, tal como ela, sempre que estive doente, permaneceu ao meu lado.

     A Xica traz à mnha vida Amor e Felicidade.

CR6A

O Grifo Voador na Gruta dos Dinossauros

    gruta de fantasia com lago interior

     PixaBay PixaBay License

     Era uma vez um Grifo,muito colorido, com olhos azuis e rosa, de pelo prateado; as patas de trás eram de leão e as da frente, de ave. Tinha asas de anjo com muitos brilhantes, cauda de leão e cabeça de ave. Era muito querido, amigável e amoroso.

    Ele vivia numa floresta diferente, onde as árvores debruçadas sobre o lago eram mais reais no seu reflexo.

     As cores alternavam nas pétalas das flores conforme a luz do Sol lhes tocava. De noite, eram iridiscentes e podia-se caminhar em segurança pelos estreitos carreirinhos iluminados.

     Os animais partilhavam o mesmo ideal de fantasia e passavam a vida em Festas.

     O lago era miosótis e as águas sempre calmas e quentes: aí se ouviam gritinhos e gargalhadas, logo pela manhã, quando os seres da Floresta tomavam o seu banho matinal.

     O sonho do Grifo era, desde sempre, fazer canoagem, pois uma antiga lenda dizia que ao fundo do Lago existia uma Gruta inundada que guardava um segredo. Mas não havia canoas. E ele não sabia como fazer.

      Até que um dia, teve uma ideia: pedir ajuda à sua amiga Preguiça. Não correu muito bem, pois a Preguiça não conseguiu fazer nada de jeito e ainda para mais deixou cair a madeira e as ferramentas ao chão. 

      A seguir, foi pedir aos Castores. 

        O Grifo, com muita facilidade, chegou ao pé dos amigos e pediu-lhes:

       – Meus Amigos Castores, podem-me fazer uma canoa, por favor? 

       – Sim! – Exclamaram os castores! Nós vamos fazer com todo o carinho e amor.

       O Grifo respondeu:

    – Muito obrigado, malta! Vocês são os maiores.  –  todo feliz, com lágrimas nos olhos, mas estava triste, porque não sabia como usar a canoa. 

        Eles puseram-se logo a trabalhar, cortando, com os seus dentes afiados, as cascas dos troncos mais macios.

       Quando a canoa ficou pronta, ele começou a remar. Ao anoitecer, sentiu-se cansado e, sem querer, foi  parar à Gruta das magias incríveis que tanto procurava!                            

     A Gruta era quentinha, de chão macio e um pouco escorregadio. As estalactites brilhavam no escuro, com aquela luminosidade que tinham as flores da Floresta à noite.

     O Grifo, sem medo, foi explorar a Gruta. Assim que saiu da canoa, encontrou uma arca cheia de poderes, oferecida pelos belos dinossauros voadores. 

     Havia uma lenda sobre a Gruta, de que nela havia um portal que dava para um mundo de Dinossauros, onde ele queria ir, para ver se era verdade ou não. E foi então que:

     – Aaaaaaaaaah!

     Viu que a lenda era verdade! Havia uma passagem que levava aonde milhares de dinossauros de todas as espécies se divertiam a saltar de vulcão em vulcão, como em Jacuzzis. 

     Foi uma Festa incrível! Todos os seres da Floresta se tornaram capazes de voar! Por cima do lago multiplicavam -se as acrobacias: havia castores alados, raposas que davam mortais e caíam para cima, pequenos coelhos que trotavam sobre a água sem se molharem. 

Contos da Floresta, Texto a 3 Mãos – BF6A, CR6A, OE

Os Quatro Amigos

os quatro elementos do UniversoFlickr.com  Atribution: Non-Commercial 2.0 Generic

I

      Era uma vez o David, que era introvertido e tinha poucos amigos. No entanto, era criativo e um prodígio nas notas : só tinha 100 e era cuidadoso.

      O David, antes de nascer, perdera a Mãe, sem conhecer nem um bocadinho da sua vida. Um dia, foi sozinho ao mercado e, quando foi à praia lá perto, mergulhou…e, conseguiu respirar!

      – Como é que eu respiro e falo debaixo de água? É incrível. Oh não, uma onda!
        Mergulhei e não senti a onda. Extraordinário!
       Já que consigo respirar debaixo de água, vou explorar. 

II

      O seu melhor amigo, o Salvador era extrovertido, aventureiro, ágil e astuto. No entanto, não era tão esperto nem tão cuidadoso.

     Salvador foi a uma feira popular, com muitas barraquinhas. Aí viu uma espécie de bola, como há nos filmes, em que têm algo de sombrio, são feitas de vidro, mas dentro algo está a mexer.

    Quando tocou na superfície da bola, lisa, cálida e obscura, sentiu um estranho arrepio e não conseguiu perceber essa reação.

    Assim que se aproximou da lareira de uma barraquinha de pão, sentiu que estava frio, em contraste com a sua proximidade da lareira.

(Continua)

MM7A

A História dos Bombis – II

menina com asas num mundo mágicoPixaBay  PixaBay License

      Na cabeça de Flor só passavam maus pensamentos, não se via a sair daquele sítio misterioso e assustador. 

     Ouviu um barulho estranho e logo depois sentiu uma comichão nos pés. Flor pensou muitas vezes antes de abrir os olhos, mas, cheia de curiosidade, porém a tremer, finalmente abriu-os.

     Devagarinho, abriu os olhos e, muito espantada, deparou-se com imensas, mas muitas pequeninas criaturas, coloridas e nunca antes vistas.

     Esfregou os olhos com a esperança de que fosse um sonho ou alucinação, olhou para baixo e percebeu o que lhe estava a fazer comichão: nada mais era do que mais uma daquelas criaturas místicas coloridas.

     Cheia de medo, aproximou-se e tocou  o seu pelo vermelho e macio. A bolinha de pelo fez um som parecido ao dos gatos quando estão a gostar do carinho.

     Flor perdeu logo o medo e mudou o seu pensamento quanto às criaturas fofinhas e coloridas. Tentou comunicar com elas, mas parecia que tinham um dialecto próprio que mais ninguém percebia.

      As bolinhas explodiram e os seus membros foram para dentro: Flor percebeu que era assim que se movimentavam mais rapidamente. Seguiu-as…

(Continua)

CC8B

Bob, um Roqueiro Tranquilo

     boneco do projeto de ET

       Imagem: Oficina de Escrita

      A Construção da nossa personagem no Projeto “Divertidamente” – trabalho de BL C e B do 5C.

      Fizemos o cabelo com um pincel, à volta pedrinhas pretas coladas na cabeça, que era uma esfera de esferovite. O  Pescoço é de um arame, revestido de fita cola preta. O corpo é um novelo de lã cor de laranja. As pernas são feitas com pequenos rolos de tintas. Os pés, tal como as orelhas, são duas bolas de esferovite cortadas ao meio. O nariz é feito de algo inapropriado que não deve referir-se aqui.

      Chama-se Bob, é um Roqueiro de estilo Punk: compõe as suas músicas e canta-as, tocando guitarra. É muito bonito, um rapaz engraçado.

     Ele representa a emoção da raiva, porque odeia barulho, ele gosta de calma, de estar sem ninguém à volta a importunar.

BL5C e Colega Convidada

Carta do Reino Misterioso

árvores fotografadas de baixo para cima fundindo as copasPhoto by kazuend on Unsplash

  Reino Misterioso, 21 de Agosto de 2086

      Excelentíssimo Responsável pela Floresta Encantada,

      Queria informá-lo de que não está a cuidar bem da Floresta Encantada:

  •      Muitos animais estão feridos;
  •      As suas flores estão murchas;
  •      Está tudo arruinado.

     Gostaria que soubesse que, se continuar a tratar mal a maravilhosa Floresta Encantada, vai ser dispensado.

     Adeus.

    Reino Misterioso

    P.S. Espero que volte a cuidar bem da Floresta.

CG6B

 

A Família é a Maior Maravilha da Vida

mão aberta segurando bola transparente com família dentro

     PixaBay PixaBay License

     Quando for mais velha, o mais importante para mim vão ser os meus filhos e os meus netos.

      Para quem não sabe, a Família é a maior maravilha da vida.

     Quando eles tiverem idade, o que lhes vou dar é um álbum de fotografias: acho que é importante ver o nosso crescimento com os pais, amigos e primos.

     Temos de nos lembrar sempre dos nossos amigos.

     Quando eu era mais nova, achei que os melhores presentes que eu dava eram aqueles que se compravam.

      Mas no Natal, quando eu dei o presente à Mãe, achei até que a Mãe não ia gostar, mas quando a Mãe o abriu começou a chorar de felicidade: o presente era um “Pote dos Desejos”.

     O “Pote dos Desejos” tem tudo o que eu gosto de fazer com a Mãe.

     Agora vou-vos dizer que não sei quantos netos vou ter, mas espero que tenha, no mínimo, quatro.

     Se me perguntarem os seus nomes, vão ser Sofia, Inês, Francisco e Luís. “Sofia”, porque é o nome da melhor Mãe que já existiu, “Inês” porque é o meu nome preferido, “Francisco”, porque é o nome do melhor irmão do mundo. E “Luís” por ser o melhor Pai do mundo.

      Mas pronto, era só para saberem que a vossa Avó vai adorar-vos. 

LP6C

 

O Que Eu Gosto

ciclista erguendo as rodas de trás

   PixaBay PixaBay License

      Olá, eu sou o Lu!

     Gosto muito de bicicleta e de Hoverboard!

     A Família é  muito gira. Temos uma cidade enorme de Lego e tínhamos uma mota. O Pai vendeu-a no dia dos seus anos.

    Este Natal ganhei uma bicicleta cor de laranja fluorescente, desportiva. Costumo andar com os meus amigos da Escola antiga, a levantar as rodas da frente e as de trás.

      Gosto de passear pelo país todo: um dos sítios que mais apreciei foi Bragança: fui a uma Festa de Lego: havia imensas casas e cidades feitas por adultos: vendem-se, compram-se, recebem e gastam…

      Gosto muito de estar na minha escola e de estar com as “Ineses” e os meus amigos, como o C, o Z…

     Uma amizade vale toda a vida, porque toda a vida nunca nos vamos esquecer dos nossos colegas de Escola e ainda vamos poder continuar a tê-los.

     Continuaremos muito tempo juntos e até mesmo para o resto da vida!

LM5B

Querido Eu – V

Querido Eu, 

duas jovens dão as mãos e inclinam-se para trás segurando-se mutuamentePixaBay PixaBay License

          Há tanto tempo que caminhas comigo na Aventura da Vida!

     Mas hoje é diferente, porque queria agradecer-te pela companhia nos momentos mais difíceis, por me pores as ideias mais malucas na cabeça, por passares as maiores vergonhas da minha vida, sempre solidária comigo…

     Obrigada pela companhia, por poder contar contigo para guardares os meus segredos mais profundos e pelas paixões loucas que partilhamos.

     Eu admiro-te por estares presente nos momentos mais difíceis, por estares sempre preocupada comigo…

IM7B

Mapa para um Texto Futuro

astros, planeta, homem sobre fund onegro

PixaBay PixaBay License

Em Busca da Verdade sobre o Mundo

      Os humanos sobrevivem para a morte, mas não vai servir de nada, pois com  certeza irão morrer ao fim de um tempo.

     Um dia, um amigo meu perguntou ao Pai:

     – Porque nascemos para depois morrer?

     E o Pai dele respondeu com uma pergunta:

    – Porque te dou de comer, se vais morrer?

mapa de ideias sobre a origem de todos os serescontnuação  do mapa remontando até antes do bib bangImagens: Oficina de Escrita Autor RF7D

RF7D

Casa-Família e Casa-Escola

casinha de madeira na relva

PixaBay PixBay License

Inspirados no livro “Ecologia Emocional para Crianças” de Mercé Conangla, tentamos relacionar as “4 Casas” que habitamos: a Casa-Família, a Casa-Escola, a Casa-Planeta e a Casa-Invisível, onde se esconde o nosso verdadeiro “Eu”, por todas as outras nutrido e desafiado.

1.   O que aprecias mais na tua Casa primeira?

R – Aqui aprecio os meus Pais me apoiarem: quanto tenho uma nota má, eles dizem que depois consigo melhorar. Os meus Pais alimentam-me, fazem por mim tanto, só que não se consegue descrever ao limite.

Não apenas me apoiam mas também me mostram como vou ser em grande, como a vida é. Eles abrem-me as portas para quando eu for maior poder formar a minha nova “Casa-Família”.

2 – O que Aprecias mais na Casa-Escola?

      MM – Aprecio os professores me ajudarem,  quando necessito. Gosto de Inglês porque os meus Pais, tanto a Mãe como o Pai, me transmitem o que é, e assim aprendo que, quando um dia necessitar do Inglês, aprendi que, se nós soubermos, até é divertido.

     Gosto de Matemática porque gosto de puxar por mim, mas, por outro lado, também é algo que às vezes, se não estou muito concentrada, também não posso ser a melhor, porque leva muito estudo.

     E, às vezes, acontece na Matemática, pode parecer que sei tudo, mas às vezes, nas vésperas dos testes, eu penso que só preciso de estudar aí e então, depois, devia aprender que devia estudar todos os dias.

    Não todos, mas pelo menos alguns dias antes, e por etapas. Ainda por cima tenho uma festa de anos na véspera deste teste!

(Continua)

MM5A – Conversas na Oficina

Família e Fraternidade

menina acolhendo pomba contra fundo azul

PixaBay PixaBay License

Partilha informal sobre os temas para o Teste de EMRC

BL – Família, é uma palavra de origem latina.  Para mim, significa o amor aos Pais, aos Irmãos e, um dia, aos Filhos, quando os tivermos.

CM – Família é a nossa primeira companhia, é onde nasce a vida. Família é mãe que nos dá vida.

BL – Tem a ver com a Arte de Amar, que inclui a confiança, o respeito e a responsabilidade.

CM – Um exemplo de confiança é o facto de podermos contar segredos à Família. Um exemplo de respeito é o facto de falarmos bem com os Pais; um exemplo de responsabilidade é ajudarmos os irmãos mais novos a apertar os sapatos ou a secar o cabelo. Também podemos ajudar os Pais: pomos a mesa, arrumamos o quarto dos Pais quando eles estão doentes…

BL – A Escola é uma segunda casa para nós, onde até passamos mais tempo do que em casa.

CM – A Escola é onde aprendemos factos. Aprendemos a conviver com pessoas que não são da Família e é onde encontramos as grandes Amizades.

CM – Os Avós têm um papel importante na Família: primeiro, foram eles que criaram os nossos Pais; segundo, eles dão-nos sempre doces, amor e carinho.

BL – O meu Avô está sempre a ir almoçar fora connosco: leva-nos às Pizzas.

CM – As Avós ensinam-nos a tricotar.

BL – A Avó da Luísa ensinou-a a costurar. Ontem ela comprou um Slime e é alérgica. Perguntei se era mesmo e era, mas ela disse que tinha comprado para dar aos meninos que não têm.  Ela está a fazer pulseiras para angariar dinheiro para os outros que precisam. É só no 5º D.

BL – Somos Irmãos: uma Fraternidade, porque temos uma origem comum – Deus. Eu sempre me perguntei para onde vão as pessoas que morrem.

CM – Como é haver um “Lá”?

BL – Desde que era da Pré, sempre quis ser uma chita quando morresse. Ou então um búfalo: seria o símbolo de estar alerta, sempre pronta para ajudar os outros, mesmo que fosse ameaçada por leões, porque se o meu amigo está a morrer, eu vou sempre ajudar. As chitas não têm família: as mães vão embora muito cedo, as crias ficam sozinhas.  Eu pensava que assim podia mostrar aos outros que elas não têm que ficar sozinhas e também queria ser uma chita porque gosto de correr.

CM – Na Festa do Pijama, em casa da Luísa, a Mãe disse que depois de morrermos, talvez fôssemos para um sítio onde pudéssemos corrigir algo que na nossa vida não estivesse bem, antes de mergulharmos no Amor.

BL – Há o Porco Havaiano da Moana – no filme: a Avó da Moana morreu dizendo que ia ser uma raia e havia de acompanhar a neta até ao mar para salvar o mundo, porque havia alguém mau que ameaçava o mundo. Ela trazia ao pescoço a pedra da Deusa Natureza: sem a pedra, tudo se tornaria escuridão.  A Avó morreu, mas deu a pedra à neta e a neta é que salvou o mundo.

CM – Há o que nos aproxima e o que nos separa. O que nos aproxima é o amor, a amizade, a paz, a alegria, o estudo, o trabalho, termos projetos em comum.

BL – O que nos separa é a falta de camaradagem, porem-nos de parte, quando não servimos, fazerem troça das nossas fraquezas.

CM – A dignidade humana é que todos somos capazes de amar, pensar e ser livres.

Conversas na Oficina  – BL e CM

Aquecimento Global e Alternativas Criativas

gráfico do aumento gradual da temperatura no planetaEarth Observatory NASA

Introdução de CA7A

     Nos últimos cem anos, a média das temperaturas tem sido cada vez mais alta. Como sintoma, as espécies que só sobrevivem em climas mais frios, começam a extinguir-se. Zonas já muito quentes, começam a tornar-se desérticas, com risco para a flora e a fauna.

mapa da vegetação segundo o observatório da Nasa

Earth Observatory NASA

Desenvolvimento de AF7B

     O Aquecimento Global está a causar problemas no dia a dia  de todos nós. Mas se pensarmos bem, porque há estes problemas e por que é que nós sofremos com eles?

     Em primeiro lugar, os problemas acontecem pois o gasóleo, a gasolina, de que os carros fazem a combustão, podem levar à subida do nível da água do mar.

     Como? Estes gases vão destruir parte da camada de ozono permitindo passagem de mais luz solar. Isto, por sua vez, vai levar a derreterem-se os glaciares.

     E quem faz isto e quem é que sofre?

     Somos nós que sofremos e alguns sofrem, mas acham que não acontece nada. E quem faz com que nós soframos? Somos nós que estamos a causar estes problemas e sabemos disso. Mas a questão é que nos estamos “nas tintas” para o assunto, quer dizer, alguns de nós.

     Mas há uma vantagem, e, felizmente, alguns de nós já olham para ela: é que podemos mudar isto. A pergunta é: COMO?

     De várias maneiras: em primeiro lugar, arranjarmos outros modos naturais de pormos carros a andar. Consumimos demasiada carne de vaca e isso dá motivo a haver cada vez mais vacas. Elas também poluem com as emissões de metano que atacam o ozono.

     Por isso devíamos comer mais peixe, embora isso possa levar a um risco de extinção de algumas espécies de peixe.

     Mas estas maneiras de ajudar já são muito boas.

Colaboração da Oficina de Escrita

círculo nos círculos de kandinsky

   Wassily Kandinsky Fonte: Wikipedia Commons Public Domain

     Aproximamo-nos de um momento crucial na vida da Humanidade; melhor dizendo, já o atingimos.

    Segundo os autores do Instituto Momentum alcançamos o fim da “Era do Antropoceno”, isto é, conseguimos sair de uma época em que o ser humano dominou o planeta e o seu ambiente envolvente e vital como se de mero objeto manipulável se tratasse.

     Agora, face ao afundamento das estruturas que suportavam o mundo conhecido, os desafios lancinantes que se colocam às novas gerações pedem a todos nós o melhor da nossa solidariedade e espírito inovador.

Texto de AF7B

com duas colaboradoras

Lutar pela Justiça no Mundo

silhueta de menina e cavalo contra fundo de poentePixaBay PixaBay License

     Margarida era de estatura média, de gestos harmoniosos; os seus cabelos loiros e ondulados caíam pelas costas; os seus lábios eram sorridentes, o nariz fino e direito; os olhos azuis-esverdeados, com uma expressão viva e alegre.

    Ela era corajosa, amável e muito aventureira. A sua actividade favorita era andar de cavalo ao ar livre no prado verde, admirar as nuvens e o céu limpo. Enquanto galopava, sentia-se livre.

     Ela tinha milhares de amigos: uma fada e os seus amigos de escola. Mas os seus amigos não conseguiam ter essa visão. É preciso ter uma fortíssima imaginação para ver esse lado do Universo.

     E quando fosse grande, queria ser cavaleira: lutar pela Justiça no mundo!

MM5A

Viver a Natureza

     rosto de jovem encostado a rosto de cavalo

     Photo by Seth Macey on Unsplash

      Olá,

     Hoje vou falar sobre Animais. Sem eles não haveria companhia nem aquela Felicidade  próprias que eles nos transmitem.

     O meu animal favorito é o cavalo, porque ele é muito bonito e por ter várias espécies: Lusitano, Puro Sangue Inglês, Puro Sangue Árabe, Pusheron, Póney…

     O meu desejo ardente é viver a vida com os cavalos, em comunhão, em paz e, o principal, a treinar com eles, a montar. Galopar livremente pelos campos é viver a VERDADEIRA NATUREZA.

       Eu creio que os cavalos existem para que possamos ser mais humanos.

CM5C

Natureza, que Palavra Linda!

nascente

     Photo by frank mckenna on Unsplash

     A Natureza é um novo mundo para nós, onde podemos escutar os pássaros, ver as árvores a mexer e, por vezes, meninos a brincar. 

     Temos de começar a criar e a desenvolver a Natureza.

     Na minha sala, estão dois sacos, um azul e um amarelo, para colocarmos , no saco azul, o papel e no saco amarelo, o plástico.

     Eu amo ver o sol a nascer, é tão bom… O céu começa a ficar clarinho e as nuvens rosadas e lilases.

     Natureza, que palavra linda!

CM5C

Guigo, um Grande Amigo

ursinho de peluche sentado num banquinho rodeado de relva

      PixaBay PixaBay License

     Eu tenho muitos peluches, mas o meu preferido e um peluche ao qual eu dei o nome de Guigo.  ele é de cor creme, com a barriga acastanhada.

    O Guigo tem as orelhas como dois meios círculos, os olhos redondinhos e o pelo muito macio.

     O peluche foi-me oferecido pelo meu Pai quando eu era bebé. Ele chama-se “Guigo” porque eu chamo ao meu Pai de “Pai-Guigo”; dei esse nome ao peluche para não me esquecer que foi ele que mo deu quando era pequena.

      Quando eu for adulta, eu vou dar o peluche aos meus filhos e espero que eles façam o mesmo.

     O Guigo é o meu melhor amigo, pois posso contar-lhe tudo e eu sei que ele não me vai trair.

BF6A