70 Anos CAD – Retrato de João Pedro

Image par Joseph Harrison de Pixabay 

     Os olhos de João Pedro eram negros como o carvão. Ele era alto, tinha bigode e usava óculos.

    O seu nariz era direito, arredondado e delicado. A sua boca era delicada, de lábios carnudos. O seu cabelo era negro como os seus olhos e encaracolado. A sua pele era monrena como areia molhada e ele era muito forte.

    O João era simpático, brincalhão e um pouco bruto; era amoroso, mas um pouco atrapalhado. Era bom para as pessoas; por exemplo, emprestava material e defendia os colegas.

   Era muito sincero com os amigos e gostava de jogar matraquilhos, futebol e atirar a bola à parede.

   No fundo, ele tinha  bom coração e uma grande sensibilidade.

(Texto escolhido para o Teste de Outubro de 95)

Zé Pedro, 6ºC –  1995

70 Anos CAD – Noite de Tempestade – (1993)

A Tempestade envolvia o CasteloImage par ArtTower de Pixabay

     Os cortinados erguiam-se à passagem de um vento feroz que se infiltrava pelas frinchas das janelas antigas e despedaçadas. Agora, as rajadas mais fortes arrancavam os quadros das paredes quebrando-os em mil cacos no chão de pedra gasta. Depois, correntes de ar desencontradas redemoinhavam no patamar e a íngreme escada para o piso superior rangia, rangia…

  Entretanto, lá fora, raios ameaçadores incendiavam árvores despidas, enquanto os relâmpagos mais afastados clareavam o céu negro. Logo, bátegas de chuva provocavam um ruído que ensurdecia e até o lago se tornara sombrio e parecia não ter fundo…

     Toda a noite a ventania continuava e provocava uma ligeira mas assustadora ondulação que contribuía com humidade, frio e nevoeiro.

    O nevoeiro movia-se, perseguido por toda a tenebrosa tempestade que parecia envolver o Castelo num ambiente de terror.

Composição escolhida para texto do Teste Final.

Marta Gomes, –  6ºB – Junho de 1993

CAD em Isolamento – Uma Pessoa Que Admiro: Selena Gomez

  selena

   Flickr.com Author: Tatiana T

    Escolhi a Selena Gomez porque algumas das mnhas canções preferidas são dela “ Lose you to love me”, “ Look at her now”, “Wolfs”, “Feel me”, “Back to you”. A minha série preferida é “Os Feiticeiros”. 

    Admiro-a por ser uma pessoa que enfrenta os seus medos, enfrenta as pessoas que não gostam dela, é corajosa.

   Tem uma voz muito boa: já vendeu mais de 128 milhões de discos. É uma jovem muito bonita; é uma pessoa simpática: nos concertos do Youtube, logo no início,  deixa as pessoas cantarem no microfone.

    Selena é uma pessoa solidária: trabalha com a Unicef a favor da infância desde há muitos anos; fundou a associação “Trick or Treat “em que as crianças ajudam outras crianças desfavorecidas; visita hospitais de crianças e é  embaixadora da Unicef. 

    Em 2018 foi nomeada uma das dez maiores artistas femininas da época. Os seus estilos musicais são o pop e o dance-pop. Quando adolescente recebeu o título de “Princesa do Pop Adolescente”

Tarefa de Português: “Uma Pessoa que Admiro” – JV6B

CAD em Isolamento – Um Mundo Azul à Minha Volta

flowers  Photo by Zbynek Burival on Unsplash 

     Nas próximas férias depois desta prisão, eu vou para o Algarve 13 dias, com a Elisa, o Pai e o João Maria, que tem 15 anos.

    Vamos alugar uma casa com piscina num lugar solitário, como “no meio do nada”: à volta só se veem montanhas e árvores.

     Vou fazer churrasco para o almoço e jogar UNO com todos. Depois, vamos à piscina porque deve estar muito calor.

    Quando o meu corpo entra na água, sinto leveza e um mundo azul à minha volta; quando eu regresso à superfície, sinto o calor a dançar sobre mim.

     Quando entro em casa, vejo uma paisagem linda, cheia de flores pelo jardim fora e também muitas laranjeiras e flores cor de rosa.

      Fora de casa, há muitas árvores verdes, cores da Natureza; de manhã, dançam as nuvens perante nós.

   Quando escurece, um mundo escuro aparece, a piscina fica assustadora, mas muito bonita, o jardim fica sombrio e ouvem-se os grilos.

CM6C

CAD em Isolamento – A Amizade Que Nunca Acabará

     jovem á beira-mar

Image par Denis Azarenko de Pixabay 

     A minha Amiga Rita é alta e tem um físico de desportista. Os seus cabelos castanhos claros, ondulados, pelos ombros. O seu rosto é levemente oval, os olhos são brilhantes, de uma cor entre o castanho claro e o escuro. A boca, avermelhada, pequena, com um ar maroto e um sorriso que transmite felicidade. O nariz é arredondado, como o queixo.

     É uma pessoa de confiança pois eu conheço a Rita desde os 5 anos; é corajosa, pois pratica Surf e eu não teria coragem de fazer isso.

     Ela gosta muito de andar de patins, fazer Festas com as amigas e Surfar nas ondas de Carcavelos.

     Desde pequeninas que vamos andar de patins na Declathon e a primeira vez que comecei a andar foi com os patins dela que têm quatro rodas. Não me dava jeito, comecei a andar com patins em linha, ela experimentou e conseguiu também. Continuamos a partilhar estes passeios de patins.

    Acho que a Rita daria uma ótima cuidadora de crianças, Baby sitter, Educadora de Infância, porque ela faz muitas asneiras, adora bebés, e tem fantasia.

     mar

Image par Denis Azarenko de Pixabay 

CAD em Isolamento – Criação Oral de Texto – CM6C

CAD em Isolamento – O Que Vejo da Janela do Meu Quarto (2020)

janela

Imagem de Jill Wellington por Pixabay 

   Quando eu olho pela janela, o meu Tio mora em frente, um muro divide as nossas casas; a casa dele é creme clarinha e a minha casa, branca. A maior parte da nossa Família vive ao pé de nós, é só caminhar… É como se fosse “a rua da Família”.

    Também moram outras pessoas: o vizinho da minha Tia que tem uma laranjeira que, neste momento, está cheia de laranjas.

       Um pouco mais longe, avisto um moinho, outras casas e copas de árvores que têm sempre folhas verdinhas todo o ano.

     Na linha do horizonte, a maravilhosa Serra de Sintra com o palácio da Pena.    

    Consigo apreciar o pôr-do-sol ao fim da tarde, quando o Sol vai baixando e o céu, por vezes, fica em tons de roxo, azul, laranja, e dourado.

    Por cima de nós, para lá de uma espessa camada de nuvens, um avião corta o Céu azul, num Universo glorioso.

CAD em Isolamento  – Criação Oral de TextoCM6C

70 Anos CAD – O Que Vejo da Janela Do Meu Quarto (200)

paisagem pinturaFlickr.com Wonderlaine

     Há algum tempo que vivo aqui e só hoje é que reparei na vista que tinha da minha janela. Não é muita, mas é alguma. De repente, veio-me à cabeça a quantidade de vida que existe neste local.

    À minha frente vejo plantas floridas e abelhas a fazer comércio. Vejo também moscas a fazer corridas de um lado para o outro, a ver quem é a mais rápida.

     À minha esquerda, vejo o limoeiro da vizinha e, finalmente, à minha direita, vejo as minhas tartarugas a apanhar banhos de sol.

    Do céu, os raios de Sol entram pelo meu quintal fora e fazem concurso a ver quem consegue iluminar mais coisas.

    Vejo pardalecos a brincar à apanhada. O meu papagaio passa as tardes a ladrar e a miar, a assobiar, a cantar os parabéns e até a chamar-me.  Os meus periquitos estão sempre a namorar, como duas pessoas e a entrar dentro dos seus ninhos e a cuidarem dos seus ovos.

    Quando o meu cão vai ao quintal e as moscas se põem de volta dele, ele tenta trincá-las.

    Nos dias de Sol, o quinta cheira a harmonia e sente-se que os seres vivos falam uns com os outros.

     Quando anoitece, toda esta magia que está no meu quintal desaparece e fica tudo calmo e silencioso.

    Quando o dia nasce, repete-se tudo. E todos os dias isso acontece.

70 Anos CAD – PA6B – 2000

Publicado in “Boletim Informativo Colégio Amor de Deus” – 2000

70 Anos CAD – O que Vejo da Janela do meu Quarto (2010)

   janela sobre o ponete

     Photo by Tarik Haiga on Unsplash

     Observo, adiante da janela do meu quarto, a beleza do que está lá fora.

     À minha esquerda, observo a piscina do condomínio,  tapada, porque ainda não estamos na época balnear; á volta da piscina, pássaros que não param de piar e as folhas das árvores que não param de cair para dentro da piscina.

    À minha direita observo as flores lindíssimas que a minha Mãe plantou; o ar cheira a um perfume maravilhoso de flores, e as flores têm umas cores muito exóticas.

    Ambos os lados são muito engraçados: distinguem-se mais de dia, mas, de noite, observo-os como se fossem um paraíso.

     De frente, admiro o belíssimo jardim, com flores e algumas árvores. Avançando um pouco mais, encontram-se umas espantosas orquídeas que fazem com que o jardim fique perfeito. 

     Aprecio, um pouco mais longe, uma rua a estender-se, com um passeio muito estreito e umas casas bastante grandes, que se estendem por cerca de cem metros.

    Vejo carros a passar por mim, muito rápidos. À minha esquerda, reparo que existe um largo redondo, grande, com uma estátua no meio e várias pessoas à volta da estátua.

     Um pouco mais à frente existe um restaurante “snack Bar” onde se pode comer e beber vários alimentos;  mesmo ao lado, existe uma papelaria grande, com revistas e jornais expostas à volta; o senhor que está sempre lá a vender é de estatura média, magro e habitualmente com  óculos na ponta do nariz.

     Mais à frente, erguem-se uns pequenso prédios e alguns ainda a ser construídos.

     Ainda mais ao longe, consegue-se distinguir o “Cruzeiro”, o primeiro centro comercial do país, a esta hora fechado; olhando à esquerda, grandes casas, algumas abandonadas; se olharmos para a direita, distingiguimos logo o Hotel Palácio, um edifício imponente e luxuoso.

70 Anos  CAD FC6A nº2 – 2010

Lutar pela Justiça no Mundo

silhueta de menina e cavalo contra fundo de poentePixaBay PixaBay License

     Margarida era de estatura média, de gestos harmoniosos; os seus cabelos loiros e ondulados caíam pelas costas; os seus lábios eram sorridentes, o nariz fino e direito; os olhos azuis-esverdeados, com uma expressão viva e alegre.

    Ela era corajosa, amável e muito aventureira. A sua actividade favorita era andar de cavalo ao ar livre no prado verde, admirar as nuvens e o céu limpo. Enquanto galopava, sentia-se livre.

     Ela tinha milhares de amigos: uma fada e os seus amigos de escola. Mas os seus amigos não conseguiam ter essa visão. É preciso ter uma fortíssima imaginação para ver esse lado do Universo.

     E quando fosse grande, queria ser cavaleira: lutar pela Justiça no mundo!

MM5A

Natureza, que Palavra Linda!

nascente

     Photo by frank mckenna on Unsplash

     A Natureza é um novo mundo para nós, onde podemos escutar os pássaros, ver as árvores a mexer e, por vezes, meninos a brincar. 

     Temos de começar a criar e a desenvolver a Natureza.

     Na minha sala, estão dois sacos, um azul e um amarelo, para colocarmos , no saco azul, o papel e no saco amarelo, o plástico.

     Eu amo ver o sol a nascer, é tão bom… O céu começa a ficar clarinho e as nuvens rosadas e lilases.

     Natureza, que palavra linda!

CM5C

Guigo, um Grande Amigo

ursinho de peluche sentado num banquinho rodeado de relva

      PixaBay PixaBay License

     Eu tenho muitos peluches, mas o meu preferido e um peluche ao qual eu dei o nome de Guigo.  ele é de cor creme, com a barriga acastanhada.

    O Guigo tem as orelhas como dois meios círculos, os olhos redondinhos e o pelo muito macio.

     O peluche foi-me oferecido pelo meu Pai quando eu era bebé. Ele chama-se “Guigo” porque eu chamo ao meu Pai de “Pai-Guigo”; dei esse nome ao peluche para não me esquecer que foi ele que mo deu quando era pequena.

      Quando eu for adulta, eu vou dar o peluche aos meus filhos e espero que eles façam o mesmo.

     O Guigo é o meu melhor amigo, pois posso contar-lhe tudo e eu sei que ele não me vai trair.

BF6A

O Mundo dos Peluches

peluches lendo uma história ilustrada sobre brinquedos animados

   Peluches a Ler . Imagem da Oficina

      Os meus peluches preferidos são três:

  • Choubaka: é castanho, de olhos castanho e muito corajoso.
  • Riscas: é um gato branco com riscas pretas. Tem os olhos azuis.
  • Por fim, o Kikos: um cão muito peludo e fofo, branco, com os olhos verdes. 

      Eu gosto de tê-los no canto do meu beliche, porque me sinto mais confortável. Sem os meus peluches, não sei  o que seria de mim.

     Teria sempre, todos os dias, pesadelos atrás de pesadelos e não  conseguiria dormir, estaria todas as noites acordada e não descansava.

     Quando for adulta, vou dar os meus bebés aos meus filhos, ou, se não tivesse filhos, dava aos meus sobrinhos.  Eu iria ficar muito feliz, porque eu só ia fazer o bem.

     O sentido de haver Peluches é para aconchegar as crianças e para nos sentirmos sem medo durante a noite.

CT5A  

O Melhor Peluche do Mundo

      patinho de peluche amarelo espreitando e sorrindo

   Pixabay PixaBay License

     O meu peluche é o melhor do mundo.

     É amarelo, grande, fofo e muito simpático. Há pessoas que dizem que os peluches são só um brinquedo, mas não, um peluche é um amigo a quem nós podemos  contar tudo e nunca nos vai trair.

      Quando recebi o meu peluche, não lhe liguei muito, mas quando tinha um pesadelo, agarrava-me sempre a ele.

recado ao seu amigo

       Imagem: Oficina de Escrita

O Amante do Oceano Esplendoroso

ondas em rebentaçãoPixaBay PixaBay License

(Dedicado a PC7B)

     À beira de um Oceano esplendoroso é que o sonho se distendia nele, abria-lhe o coração até ao infinito e e mergulhava-o na fonte da Alegria.

     Não lhe faltavam amigos, mesmo sendo pobre e vivendo ao acaso pelas praias.

     Tinham chegado a considerá-lo “o animal mais fofo do mundo” devido à sua aparência ternurenta e um pouco sonhadora, o longo pelo cinzento sempre limpo, pois mergulhava entre as ondas a  cada 5 minutos, na sua paixão impaciente por nadar.

      Colecionava sandes que os turistas partilhavam generosamente, cativados pelo seu jeito meigo de se aproximar. Alimentava-se assim, do acaso, ora de largas folhas de alface, rodelas de tomate entremeadas com bocadinhos de atum, ora deliciava-se com um cachinho de uvas e pão escuroo recheado de chouriço. 

     Durante o dia recolhia pedacinhos de plástico e papéis amarrotados que encontrava na areia e ia levá-los ao Nadador-Salvador que se tinha tornado um grande amigo.

    Ao anoitecer, aninhava-se entre as rochas, embrulhado numa mantinha de retalhos e ficava a trocar piscadelas com as estrelas cintilantes no infinito.

                Com BF6A, CR6A e LP6C – Inspirações para Escrever OE

Diário de uma Fotógrafa

cavalo selvagem cor  de caramelo elevado sobre as patas

Pixabay Pixabay License

22-01-2019

     Querido Diário,

    Ontem tirei fotografias de montanhas, vales, animais e muito mais maravilhas.

     Amanhã quero fotografar florestas e cavalos. Desta vez quero ir acompanhada de um amigo, o Daniel!

     Gosto muito dele, porque é o único rapaz da minha Turma que não faz “porcaria”; ele é muito bondoso, engraçado e respeita as Meninas.

 24-01-2019

     Querido Diário,

     Ontem foi um dia incrível: eu e o Daniel tiramos fotos fantásticas à manada de cavalos a correr, ouvimos o som dos pássaros a cantar…

     O Daniel conseguiu chamar a atenção do chefe da manada: os seus olhos eram brilhantes, a crina a esvoaçar, a sua cor parecia caramelo…

     Foi um dia genial e a minha melhor fotografia!

BL5C

Margarida, a Cavaleira

corpo de menina e cabeça de cavalo

     Photo by Kirsten LaChance on Unsplash

     Margarida é de estatura média, de gestos harmoniosos. Os seus cabelos loiros e ondulados caem pelas costas; os seus lábios são sorridentes, o nariz fino e direito, os olhos azuis esverdeados, com uma expressão viva e alegre.

     Margarida é corajosa, amável e é muito aventureira. A sua atividade favorita é andar a cavalo, ao ar livre, no prado verde, ver as nuvens e o céu limpo.

     Enquanto galopa sente-se livre.

      Ela tem milhares de amigos: uma fada e os seus amigos da Escola.

    Mas os seus amigos não conseguiam partilhar essa visão, pois é preciso uma fortíssima imaginação para ver esse lado do Universo.

    Quando for grande, quer ser cavaleira: lutar pela justiça no Mundo!

MM5A

Nem Sei o que Admiro mais Nela

3 cavalos a galope

     Photo by Florin-Alin Beudean on Unsplash

     Adoro a minha amiga: ela é muito especial: bonita, carinhosa e muito mais maravilhas .

    O seu cabelo é curto e fino como uma pena, de um lindo tom de castanho. 

    Os seus olhos são de uma castanho muito claro, com uma expressão engraçada. 

     Não sei o que aprecio mais na sua maneira de ser, porque aprecio toda a a sua personalidade tão querida.

     Nós as duas temos um grande defeito: somos muito gulosas: Comemos imenso chocolate, pastilhas e muito mais guloseimas.

     Ela é muito aventureira, engraçada, um pouco medrosa, mas também  corajosa …

     No futuro, ela quer muito montar um cavalo, e ser professora de equitação.

BL5C