A Família Inumerável…

Image par Lustoza de Pixabay 

     Nas férias deste ano fui a vários sítios, mas vou começar a contar a companhia que tivemos nas férias em Lagos.

     Nessas férias foram

    • A minha tia Graça, que é irmã da minha Avó;
    • A minha tia Marta, que tem dois filhos bebés: o Francisco e a Assunção, mas eu trato-os por Quico e Tatão;
    • Foi o pai deles que é o tio João;
    • Também foi a minha tia Madalena que tem três filhos: a Pilar, o Salvador e a bebé Vitória que estava na barriga e o pai deles, o Tio Manuel;
    • Também foi a minha tia Mariana, que também tem dois filhos: A Alice e o Vasco – mas trato-os por Cici e Mano;
    • Também foi a minha tia…

Verão 2021 – Pessoas Únicas – CF5D

As Quatro Casas

Image par Prawny de Pixabay 

    Temos quatro casas: uma é o Planeta, onde vivemos, a segunda é a nossa própria casa, com a nossa Família,  a terceira é a nossa Escola e a última é a casa Dentro de Nós.

     Na casa  da Família, nós nascemos, comemos; aprendemos a receber e a agradecer; também aprendemos a amar a Família que nos ajuda nas dificuldades.

      A Casa da Escola é importante, porque aprendemos muitas coisas, e onde também não aprendemos só os estudos: aprendemos sobre a Vida. Para mim é mais importante sabermos como é a Vida do que os estudos.

        A Casa da Família é um lugar que nos mantém seguros; também aprendemos as coisas básicas, como falar corretamente, ser bem educado, isto para mim é muito importante, porque estamos a aprender sempre mais.

(Continua) Texto a Duas Mãos – SR6A e JS6A

Tema inspirado em Ecologia Emocional para Crianças de Jaume Soler y Mercé Conangla

Caminhos de Encontro – 5º Ano – 3

Image par moerschy de Pixabay 

     Estou neste Colégio desde o 3º ano. As minhas professoras foram a S.O e a R.N. que foi ter um bebé.

    Agora no 5º ano estou a conseguir organizar-me: hoje consegui alcançar um cacifo. E com a minha chave também consigo abrir o cacifo debaixo!

    As disciplinas de que gosto mais são HGP, EM, CN, Inglês e EF. Sobre a Turma, acho-a muito MÁ. Estou a brincar: Eu ADORO!

    Na sala, fico com o M., o meu melhor amigo desde o 4º ano. O J. foi o 2º amigo que eu fiz das pessoas novas. O G. foi o primeiro.

   As minhas atividades favoritas são ir à minha piscina em casa dos meus Pais! Gosto de video jogos: Fortnite e Minecraft. Jogo online com um Amigo que não é da Turma. E também, de repente, do nada, jogo à bola: apetece-me. Na Piscina, o que gosto mais é mergulhar.

    Em casa da minha Mãe, a água da piscina é meio doce e meio salgada; quando mergulho, os óculos começam a apertar, por causa da pressão.

Conversas na Oficina VS5D

Fraternidade é Ajudar Alguém que Precise

     

Image par Thanks for your Like • donations welcome de Pixabay          

     Esconderijos da Felicidade:

        • Brincar com o Scone, a Quica e a Juju;
        • Ir passear com a Mãe;
        • Dançar Hip hop com a minha prima;

    Nestes momentos sentimos mais Alegria e Esperança.

     O que gostei mais de fazer estas férias: estive a pintar desenhos de paisagens; A Quica fez dois anos no dia 1 de Agosto, eu estava no estoril, em casa da Avó; tive uma aula de Equitação: montei o Baccarat, um cavalo castanho claro, de crinas escuras.

     Em casa da minha Avó, gosto muito da horta, de ver os tomates e a salsa; também há uma laranjeira em que as laranjas estão todas verdes, mas , lá no alto, onde nem sequer se chega de escadote, há uma laranja madura, sozinha!

    Quem me influenciou mais na vida foi a minha Mãe: transmitiu-me Amor e Carinho. Aos meus filhos gostava de transmitir aos meus filhos, Coragem, Confiança e Alegria, Se o mundo fosse perfeito, não haveria zangas entre adultos, nem entre crianças, nem entre amigos.

     Para mim, a Fraternidade é ajudar alguém que precise, ajudar o  próximo. O meu próximo é, por exemplo, a Mãe: eu ajudo-a a pôr a mesa; eu dou sempre de comer à Quica e à Juju.

Conversas na Oficina MC6C

Não a Quantidade, mas o Sentimento

      

overblog -Le Jardinier de Dieu

    Jesus estava sentado num banco a observar as pessoas que contribuem para as obras que iriam ser feitas na Instituição “o Século”. Viu que as pessoas mais ricas davam quantias mais altas. Estavam dois homens a dar as suas ofertas para as obras; esses homens eram os mais ricos da cidade, então estavam a dar quantias muito altas.

        Algum tempo se passou e entrou uma velhinha muito pobre. Ela começou a tirar do seu bolso um saco com duas moedas pretas. Colocou as moedas na caixa das ofertas. Jesus, ao ver tal coisa, chamou os discípulos e disse: 

        – Aquela velhinha deu mais que todos os outros homens!

        Os discípulos, supreendidos, questionaram:

        – Como?! É impossível!

     A quantia dada pelos homens era deveras maior que a da velhinha. Jesus explicou que o importante era o esforço que ela fez para juntar as moedas; foi um sacrifício; e que não se tratava de quantidade, mas sim de sentimento.

    Nós recontamos a Parábola e depois interpretamo-la para os dias de hoje: Jesus pede para a Igreja ser reconstruída, para se dar oportunidade aos mais pobres de trabalharem com os mais ricos. 

     Reconto e interpretação de uma Parábola por MA6A e SS6A                                                                     Conversas na Oficina

Levar os Amigos Connosco…

Image par Gordon Johnson de Pixabay

Pontos Fortes     

    Gosto de Matemática, mas não é só a Matemática em si, gosto das aulas: o Professor deixa-nos estudar, quando há testes; no dia da Criança, deixa jogar jogos de Matemática. Eu também gosto muito do Professor. Também gosto muito de Inglês e de Educação Física, são os meus dois pontos fortes; já utilizei o Inglês, quando fui aos Estados Unidos; na net, jogo em Inglês, e na netflix, vejo filmes em Inglês, com legendas, mas vou ouvindo em Inglês.

     Verão 2021

    A maior vantagem das férias é podermos passar uns dias em casa dos Amigos; podemos levar Amigos connosco para sítios diferentes; posso ficar mais tempo a dormir. 

Amizade

     As maiores qualidades num Amigo são ter confiança, ter autoestima nele, ser engraçado, saber brincar, mas ao mesmo tempo, saber ser sério e não ofender.

Sondando o  Futuro

      – Como vai ser a minha casa? Qual vai ser a minha profissão? Tenho em vista algumas profissões: ser futebolista, ser golfista, ser tenista… estou em todo o lado, não tenho a certeza se vai ser uma delas. Já fiz ténis no CAD durante 8 anos, mas saí e voltei a entrar para a Quinta da Marinha, onde às vezes vou com o meu Pai.

Transmitir Felicidade

      Transmitir Felicidade é fazer uma pessoa rir; dizer elogios à pessoa; brincar a uma coisa que a outra pessoa gosta de fazer.

Conversas na Oficina – MC5B

As Cores Verdes do Mundo

Image par squarefrog de Pixabay

Até agora, quem teve mais influência na tua vida?

    A minha Mãe e o meu Pai, desde que nasci. Se às vezes estou mal, ou se tive um dia horrível na Escola, os meus Pais ajudam-me imenso.

Quais os 3 Valores que escolhes para transmitir à próxima Geração?

    Escolho Coragem, Paciência e Otimismo.

Podes inventar uma “Regra de Vida” que te oriente?

    “Sê Saudável e que Nada te aconteça de mal.”

Se o mundo Fosse Perfeito…

   Não haveria doenças nem guerras e o Mundo estaria de Cores Verdes.

O que torna a Vida digna de ser vivida?

    Sermos felizes e combatermos as nossas dificuldades. As pessoas às vezes, pensam negativo, mas depois acontece uma coisa positiva e as pessoas sentem Alegria.

Um momento Único do 5º Ano

Acabaram os Testes!

2 Sugestões para a Escola ser um lugar de mais Liberdade e Vida

    Acho que a Escola está perfeita. O que é preciso é os Alunos mal comportados serem mais bem comportados.

Projetos Ousados para o Verão

     Os avós ajudam a fazer a viagem de sonho dos meus Pais. Fiz tudo para que isso acontecesse, como um agradecimento, por tudo o que têm feito até agora!

Outro “Obrigado”

     Obrigada aos Amigos que me ajudaram quando eu estava em sarilhos na Escola!

O Que é a Felicidade?

     É o que nos deixa fazer tudo o que nós gostamos: divertir-nos, deixar-nos VIVER!

Educação Positiva – Conversas na Oficina – SR5A

Desafios da Alegria

Image par 👀 Mabel Amber, who will one day de Pixabay

     Quando tenho uma aula ou lição de Equitação, sinto-me feliz. Sinto alegria, motivação, entusiasmo. Quando estamos felizes, até inventamos novos desafios.

   Admiro muito a L. D. Admiro esta pessoa porque ela salta um metro e sessenta a cavalo; tem cavalos muito bons e muito amor.

   Há pessoas que montam a cavalo sem Toc e um dia podem cair e aprendem a lição que se deve estar sempre com Toc.

   A minha Mãe transmitiu-me o amor pelos cavalos. Um dia, gostaria que os meus filhos montassem a cavalo, e, talvez, que jogassem futebol;  gostaria de transmitir-lhes a coragem, ter muitos amigos. É preciso ter amigos. Por isso, se calhar, é que somos diferentes.

     Os momentos únicos do meu 5º ano foram os furos entre as aulas! Só tive dois: a Inglês, que a Professora teve de ir ao médico, e a Cidadania.

    Este verão gostava de ir à praia “Verde”, no Algarve, para mergulhar nas ondas e ir jogar ténis em Vila Real de Sto António. Claro, também vou montar a cavalo, na Charneca, com o XS.

    Na Escola de Arte Equestre, os cavalos, nas boxes, têm tranças nas crinas, estão todos limpinhos a cheirar bem, tratam muito bem dos cavalos.

Conversas na Oficina – Verão 2021 – JM5A

Felicidade e Admiração

Image par Anne-marie Ridderhof de Pixabay 

      C.R. Estar com os Amigos e com a Família faz-me sentir feliz e viva. Quando estou feliz sinto Paz, Saúde…sinto-me forte. Fico com energia, força e isso faz-me ser uma boa pessoa.

    V.G. – O que me torna feliz é montar, estar com os amigos, estar com o meu cão. Quando estou feliz sinto nervos,  entusiasmo e energia. 

    C.R.  – Admiro muito a minha Mãe. Ela conseguiu ter 5 Filhos, com dor e muito mais. Só que ela não desistiu. Mesmo quando ela está zangada ainda faz comidas ótimas e tudo o que ela faz, ela faz no seu máximo!

    V.G. – Admiro a minha Irmã, porque ela é esperta, tem muitos amigos e, principalmente, ensina-me muito. É muito Amiga e uma ótima Irmã.

C. R. – Aos meus filhos, quero passar-lhes um bom futuro, uma Boa vida, Amor, Força e Paz.

Educação Positiva – VG5B e CR5B

A Família Mais Unida

   

Image par Michal Jarmoluk de Pixabay 

    Somos a Família B. família essa constituída por 4 pessoas, eu, a mminha irmã, a minha Mãe  e o meu Pai. 

     Depois, tenho os meus avós paternos e os meus avós maternos, os meus tios, os meus bisavós e o meu querido primo Miguel.

     Adoro a minha família tal como é, muito unida.

    Gostava de ter mais uma irmã, mas os meus Pais dizem que, por agora, é complicado.

    Gostaria de ser bióloga, assim faria o que gostava, sentia-me realizada e conseguia a minha independência financeira.

     Diariamente, tenho o privilégio de ter os meus dois pais, irmã e avós junto a mim.

   Gostaria de casar e ter filhos, confesso que uma filha faria as minhas delícias…

     A Família é tudo para mim, sem ela jamais conseguiria viver.

    A minha Família é a mais unida do mundo.

71 anos CAD – 2007 – MB5C

 

A Galope, Passamos pelas Flores…

Image par JuergenPM de Pixabay 

    A Natureza, para mim, é algo que me ajuda a refletir.

    Vivo intensamente a Natureza, quando vou à quinta do meu avô. Aí posso passear, andar de bicicleta.

  Passo por muitas árvores – ao sol é muito alegre – também pomares, campos, que aprecio na Primavera e no Verão.

    Com tempo nublado e com chuva, aquilo fica um bocadinho triste. Às vezes aparecem coelhos e gatos e ouvem-se cantar os pássaros.

     Para desenvolver a Natureza, não se pode deitar lixo, papéis, pois assim a Natureza fica limpa.

      Há flores que estão a ser ameaçadas.

   Quando vamos passear a galope nos campos, passamos pelas flores…

JM5A

SER DIFERENTE

Image par Gordon Johnson de Pixabay 

     Era uma vez uma menina chamada Cláudia. Ela tinha um problema de ser bastante pequena. Todos os dias gozavam com ela.

     Certo dia, Cláudia quis que todos parassem de gozar com ela. Então, ela pediu aos seus Pais para fazerem uma cirurgia para ela ficar maior. Só que os Pais disseram que não existia essa cirurgia.

    Cláudia ficou muito e muito espantada. Teve uma ideia: ser ela própria a criar uma cirurgia.

    Passaram anos e Cláudia, já médica, lá estava a tentar criar uma cirurgia para modificar o seu tamanho; ela estava a ter mais ou menos muitas dificuldades. Naquele dia, falou baixinho para si mesma: 

    – Concentra-te! Levanta as mangas da tua bata de cientista, abre bem esses olhos castanhos e começa a trabalhar!

     Um ano depois, Cláudia conseguiur fazer a cirurgia, que teve muito sucesso!

   Lembra-te: Só por seres DIFERENTE, isso é bom, isso faz-te seres quem ÉS!

E SER DIFERENTE é MAGNÍFICO!

CR5B

O Que Há num Nome

Image par OpenClipart-Vectors de Pixabay

     Num lindo dia de Sol, uma menina chamada Beringela, acordou e disse:

    – Hoje vai ser um lindo dia e vou fazer muitos amigos!

   Ela era simpática, divertida, tinha cabelo castanho, olhos roxos e usava uma bandelete laranja.

    Um dia, ela começou uma Escola nova.

   Quando chegou à Escola, o Professor começou a pedir aos Alunos para dizerem o seu nome, porque havia uma Aluna nova. Quando chegou a sua vez, disse: 

    – O meu nome é Beringela.

    Depois de dizer isto, um menino perguntou-lhe:

    – Por que é que o teu nome é Beringela?

  – Porque eu nasci na terra, mas depois fui amaldiçoada e transformaram-me numa menina.  – Explicou ela com vergonha.

   Quando foi a hora do intervalo, ela foi ter com uns colegas da Turma para pedir se podia brincar com eles, as quando eles a viram, foram logo brincar com outros. A Beringela começou a chorar.

    Mas, de repente, viu outra rapariga a chorar;  foi ter com ela e perguntou: 

    – Qual é o teu nome?

   – O meu nome é Sopa. E o teu?

   – Eu chamo-me Beringela.

   – Queres brincar comigo? – Convidou a Beringela com medo de ouvir um não.

    – Claro que sim!

  E nesse momento tornaram-se melhores amigas e criaram um grupo que se chamava “Sopa de Beringela”!!!

Valores em nossas Vidas

Image par Monsterkoi de Pixabay 

Qualidades Admiráveis

         D.S. –  Admiro o P.G. Ele tem muitas qualidades, como educação, amizade e saúde.

P.G. – Admiro o meu Pai. Como ele cuida dos filhos,  como ele tenta deixar felizes os outros e como ajuda os outros.

P.C. – Admiro os meus avós, pois eles procuram sempre arranjar tempo para estarem connosco e são muito amigáveis.

Lições de Vida

D. S. –  Choquei contra o banco do carro e aprendi a usar o cinto aos 5 anos. 

P. G. –  Quando eu era pequeno, eu sujava todo o lugar; depois a minha mãe deu um banho de água fria e umas palmadas, até chorar…

P. C. –  Os pais são sempre rígidos com as regras, por isso cada regra que eles dizem, eu aprendo logo para não levar com um “estalo”: olhar para os dois lados da estrada, não pintar as paredes…

Image par mohamed Hassan de Pixabay

 Tornar-se uma pessoa melhor

D. S. – Estudar mais e estar menos à frente do computador e  brincar mais com os irmãos.

 P. G. –  Tornar-me mais inteligente, mas tenho que estudar mais.

P. C. –  Focar-me mais nos estudos para tirar boas notas e passar mais tempo com a minha família.

PG8B, DS8B, PC8B

Educação Positiva – Reflexão a três mãos, orientada por questões de Maurice Elias

Admirar, Aprender e Transformar-se

Image par Owantana de Pixabay 

SS – Eu admiro muito a C. porque ela é uma pessoa muito amorosa, fofa, simpática… sabe desabafar comigo e confia em mim para falar o que precisa. Saber ouvir é preciso e, principalmente, quando percebo que ela precisa de alguém, eu vou lá e tento ouvir o máximo que consigo; ela é uma pessoa calma, então eu consigo ser paciente.

CM – Eu admiro a S. porque ela está sempre lá para mim, dá as melhores dicas, uma pessoa pode sempre contar com ela para tudo e é uma pessoa que não muda por nada nem ninguém.

Image par Owantana de Pixabay 

S.S. – No início do covide, eu não estava muito habituada a usar máscara, então eu tirava algumas vezes, até porque no início eu não estava habituada, então não se respirava muito bem! Mas à medida que o tempo ia passando, eu ia-me apercebendo que havia pessoas que morriam por causa do covide, comecei a descobrir que pessoas por volta da minha idade ficavam doentes ou até faleciam… Então agora só tiro a máscara para coisas mesmo necessárias.

Image par Owantana de Pixabay 

S.S. –  Eu sou muito impulsiva! E eu não me portava nada se eu mudasse isso em mim, porque isso só me prejudica. Outra coisa as pessoas dizem que eu não mudo por ninguém ou que pelo menos parece mas na verdade eu mudo! E não é pouco.

 Eu mudo até conseguir agradar os outros, mas depois eu apercebo-me de algo muito importante que é: toda gente tem gostos diferentes; então eu devo aprender a ser eu mesma, mas é tão difícil, porque a opinião dos outros me afeta imenso e sempre foi importante para mim, infelizmente.

C.M. Eu rebaixo-me muito pelo que as pessoas dizem e eu importo-me muito com a opinião das outras pessoas e às vezes fico em baixo. 

Então tenho de pensar pelo lado positivo e ver pontos positivos em mim.

[ OE – Vamos investigar e partilhar exercícios da psicologia positiva próprios para aumentar a autoestima.]

S.S. Eu gosto de pessoas simpáticas, compreensivas e acolhedoras. Quando uma pessoa não sabe ser compreensiva comigo, eu fico irritada. A pessoa até pode continuar a achar que tem razão! Mas pelo menos, deve saber ouvir-me e tentar compreender o meu lado. Admiro muito pessoas assim.

Quando digo que gosto de pessoas acolhedoras, eu falo daquelas que metem sempre um sorriso na cara da outra independentemente de tudo, aquela pessoa que ajuda e nos acolhe de forma a nos sentir-mos bem.

Partilha final em Google Docs – SS7C e CM7C Texto a 2 mãos segundo um Questionário de Maurice Elias. Aprendizagem Sócio-Emocional.

Viver os Valores

Image par Gordon Johnson de Pixabay 

Apreciação dos Pais 

D. S. Dou valor ao Pai por fazer muitos bolos bons e à Mãe por deixar ir à praia e deixar fazer coisas que às vezes antes ela não deixava, como por exemplo, ficar até às 21:30 a jogar com amigos. 

P. G. –  No meu Pai, dou valor a  ele ser polícia e eu admiro-o muito; na minha mãe, o sempre estar preocupada  com os filhos.

P. C. –  Eu valorizo muito o meu pai, porque ele trabalha muito para manter a minha família em pé (a mãe também) e também faz comida muito boa para nós.

   Os meus amigos também são muito bons, porque, quando não tenho nada para fazer, eles chamam-me para ir jogar com eles e, quando eu estou triste, eles vêm ter comigo para ver o que se passa.

D.S. – O Pai e a Mãe foram a influência mais importante. O pai, para transmitir o valor de não desistir dos meus sonhos. A mãe, para transmitir o valor de nos portarmos bem e sermos educados.

P. G. – A minha família que sempre está aqui, para ajudar e me transmite amizade, o deixar-me feliz e a lealdade.

P. C. – Os nossos pais estão sempre em cima de nós para não falharmos na vida e estão sempre a dar-nos apoio, portanto acho que a família transmite amizade, cooperação e generosidade.

Image par Please Don’t sell My Artwork AS IS de Pixabay 

Transmitir o Tesouro aos próprios Filhos futuros

P. C. – Dar sempre valor ao que temos, porque pode haver pessoas que nem um pão para comer têm; aproveitar cada momento em que vivem com um bom amigo ou familiar; ser sempre educados e respeitar a opinião de cada um.

P. G. – Aprender a dar valor ao que têm, aprender o que é educação e gostar do que fazem.

D. S. –  Sê educado; nunca desistirás do teu sonho; tenta vir a ser o que tu querias quando eras pequeno.

12019 in Pixabay

Uma Regra de ouro a Orientar a Vida

P. C. –  Ser feliz e trabalhar sempre ao máximo para cumprir os nossos objetivos.

P.G. –  Quando levei um recado e mostrei à minha mãe  ela levou a bem, mas se levasse o segundo, vinha “a chinela”. Este acontecimento fez-me criar uma regra para orientar a vida: ser educado nas aulas.

D. S. – A regra é ser bem educado com as pessoas, e, se uma pessoa precisar de ajuda, eu vou ajudá-la.

 Num mundo perfeito…

P. C. – Acho que não haveria brigas, guerras ou bullying.

P. G. –  Não haveria racismo por se ser negro, de outro pais, por se ser pessoa com deficiências e etc… 

D.S. –  Não sei por que é que as pessoas fazem mal…

Se essas pessoas vivessem num mundo perfeito elas só faziam o bem. 

PG8B, DS8B, PC8B

Educação Positiva – Reflexão a três mãos, orientada por questões de Maurice Elias

Partilha em Tertúlia

Research Gate CC

 Momentos Preciosos do 8º ano

P.G. –  Quando os professores fazem coisas diferentes tipo pôr música, fazer um trabalho diferenciado,  e se também somos nós a escolher o grupo.

D. S. – Gostei das atividades no laboratório, da poeira que é iman.

Transformando a Escola

Image par serenaring de Pixabay 

P. G. –  No refeitório, os colegas que comem de casa poderem ir comer com os colegas que comem do refeitório.

D. S. – Darmos menos matéria e termos mais atividades escolares, com menos trabalhos e testes.  

  Projetos para um Verão Único

Image par Couleur de Pixabay 

P. G. – Quero ir para a praia, porque eu estou a descansar com a minha família e também quero estar com a minha família porque estou feliz a ver como estão.

D. S. – Trabalhar nos meus  Avós e receber ordenado. Os trabalhos que posso fazer são, em casa da tia, tratar do gado, ir à vinha, fazer a vindima, ir ao eucaliptal e ajudar a Prima nas tarefas de casa e a Avó também.

 Três “Obrigados”

Image par Gerhard G. de Pixabay

P. G.  – Obrigado “Stora”, as melhoras e tenha umas férias felizes.

D. S. Obrigado, “Stora” :).

“Stora”   Obrigado aos dois amigos, P. e D. pelo excelente espírito de companheirismo, persistência e boa-vontade para os trabalhos difíceis e sempre com uma inspiração de bom humor inconfundível. 

Quando há Felicidade? 

Image par Gerd Altmann de Pixabay 

P. G. –  A felicidade é quando nós sentimos quando temos ou vemos  uma “coisa” especial.

Sentimo-nos felizes também quando queremos dizer ou mostrar o que sentimos para uma pessoa especial.

D.S. – A Felicidade é o que está na nossa cara quando estamos muito felizes. Por exemplo:quando alguém dá uma coisa que nós queríamos e não estávamos à espera daquele presente.

(Texto a Duas Mãos) PG e DS

Sobre a Essência da Felicidade

Um Ótimo Momento do 7º Ano 

Image par Denis Azarenko de Pixabay

B. F. – Ter amigos e professores simpáticos, pois os amigos são importantes e os professores são carinhosos e amigáveis.   

M. T.  –  Ter a experiência de cair de bicicleta, porque eu gosto de cair, pois assim não tenho medo.

Uma vez estava a andar de mota e em vez de desacelerar, acelerei: parti a mota! 

 A Escola como um lugar de Aventura

Image par asderknaster de Pixabay 

B. F. – Podemos ter uma piscina em vez do campo de cimento, porque já temos um campo exterior, pois a piscina interior é quente.

Podemos utilizar um tablet em vez de cadernos, pois é muito caro comprar cadernos novos, lápis e canetas, e não haver testes a partir da antepenúltima semana de aulas. 

PS: MATEMÁTICA.

M. T. – Podemos retirar o campo de ténis e construir uma pista de motas.

Podemos ter menos dias de aulas e mais dias de férias.

E ainda melhorar a comida; para ser melhor, o arroz, que às vezes parece uma pedra ou uma papa, deve ser mais solto e leve. 

 Projetos inventivos para o Verão

Image par renategranade0 de Pixabay

M.T. – Ir para a prainha e ir para o Alentejo andar de mota!

Dois “Obrigados”, como um Brinde

Image par OpenClipart-Vectors de Pixabay

M. T. – Ao meu Tio, por ter ajudado a estudar Matemática e à minha Mãe por ter me oferecido uma bicicleta de campo – azul e laranja fluorescente.

B. F. – Aos Professores e aos Amigos, pela simpatia, amizade, a sabedoria que me ensinaram e o carinho que me deram e a ajuda que me ofereceram.

Uma Felicidade Viva? 

Image par Jill Wellington de Pixabay 

M. T.  – A Felicidade é eu divertir-me; por exemplo, andar de mota, fazer surf, andar de bicicleta…

Também é estar com a família: pais, primos, tios, amigos, estar com a minha prima de 3 anos que está na Austrália e o meu primo de 5 meses que está também na Austrália.

B. F. – Uma pessoa age simpaticamente, alegremente, e demonstra a sua amizade, quando está feliz.  

A Felicidade é muito importante, pois não há vida sem Ela!!!

(Texto a duas mãos) B. F. e M. T. 7C

A Cor dos Sonhos

Image by jiao tang from Pixabay 

    Quando eu era pequena, eu dizia que a minha cor favorita era roxo, porque era a mistura de preto e rosa, uma mistura super estranha! Na fase dos ganchinhos, eu gostava mais de rosa; na fase mais gótica, gostava mais de preto e o roxo é a mistura dos dois: então, era o roxo, o meio termo.

   A minha mãe, quando eu era pequenina, deu-me uma saia violeta cheia de folhos,  linda; uma vez, eu tive um sonho com essa saia, na salinha da pré-escolar, no tapete dos pequeninos que parece água, ao pé do poste, que tem uma almofada para os pequeninos não baterem com a cabeça.

     Eu acho que só me lembro de certos sonhos ou de parte deles, quando eu começo ou continuo a sonhar, quando já estou meio consciente e o meu corpo já quer acordar, mas eu, como sou curiosa, faço aquela tentativa de apanhar o desfecho do sonho.

  Mas quem é que não quer ficar a dormir para acabar o sonho ou até um pesadelo, se gostares de filmes de terror?

  Eu tento ter um mecanismo de não ter sonhos interessantes nos dias de semana, porque eu fico sempre a meio e nunca consigo terminá-los.

  Ninguém quer ter um sonho cheio de ação, em que estás na Floresta a lutar contra vilões ou a galopar num cavalo e, de repente, teres de parar! Ou ter um sonho de uma história romântica, mas não ficas o tempo suficiente para descobrir se as personagens ficam juntas no final.

   Se calhar, todos os sonhos que eu tenho nos dias da semana têm o mesmo final, que é alguém a dizer:

     – Acordem, já são horas de ir para a escola !

CA6A