Natureza no Outono

   

Gentilmente oferecido por IA Co-Pilot

     Numa bela manhã de Outono, levantei-me da cama e fui vestir-me para ir brincar com os meus Amigos. Lá fora, eles já estavam à minha espera; fomos subir uma montanha até ao topo.

     A paisagem era tão linda, havia árvores com folhas levezinhas, de cores de Outono,  e também com flores brancas  como neve, a caírem da árvore para o chão.

     Quando olhei para a minha direita, vi um lago com uma cor clara, verde-água; na margem, crescia uma árvore, com um bando de passarinhos a cantarem com uma bela voz fininha.

   – “Bora” ir para o lago!  – exclamou um dos Amigos.

   – Sim, “bora” ir!  – respondemos todos ao mesmo tempo.

    Quando chegamos ao lago, um dos passarinhos subiu para o meu braço; depois todos os outros passarinhos vieram para mim, e eu até caí ao chão!

Escrita Livre – Olhar+: Descobrir – AP5A23-24

As Folhas de Outono

     Gentilmente Oferecido por IA Co-Pilot

     Numa manhã de Outono, uma folhinha de Outono apareceu; logo a seguir apareceu um monte de folhas de Outono a voar, parecia um cardume de peixes.

     – Tão bonito! – Dizia a Menina que olhava para as folhas.

    A Menina olhava para as folhas como se fosse a vida dela a passar a cada momento. A Menina adorava olhar para as folhas de Outono; ela olhava com um rosto milagroso.

      E foi assim que a Menina nunca se esqueceu daquele momento.

Escrita livre – Olhar+: Descobrir MCA5A23-24

Voando com o Tempo

Image par Alem Coksa de Pixabay

      Como andar de mota foi a melhor coisa que descobri e que nunca esquecerei. Via tudo à minha volta a ir muito rápido, ouvia só o som da mota. 

    Parece que voas com o tempo quando estás em cima da máquina e sentes uma liberdade que achas que estás no topo do mundo e que ninguém te conseguirá parar.

     Ficas livre de tudo, leve como uma pena e tão feliz quanto a própria Felicidade.

    Porém, infelizmente, tudo tem um fim e, quando sais da moto, só pensas em acelerar outra vez!

Escrita Livre – escrita autobiográfica – MC8C23-24

Eu Hoje e Amanhã

   

Image par Vilius Kukanauskas de Pixabay

       Olá, sou a LR, uma menina alegre e divertida.

     Gosto de fazer novas amizades e de escrever textos – como agora – comer coisas novas e cozinhar.

     Mas é óbvio que também há coisas de que não gosto, como por exemplo: de legumes, de estudar, de ficar de castigo e de…

     No futuro, estou a pensar em ser veterinária, ainda tenho medo que os animais me façam mal, mas confio que tudo vai correr bem.

     Posso ter dois ou 3 filhos e um marido simpático e divertido com quem os meus filhos gostem de estudar.

Escrita Livre – Memórias e Projetos – LR6C23-24

O Poder das Artes

Image par Nanne Tiggelman et AI de Pixabay

Dança

     Quando estou a dançar sinto-me livre, a dança cria passos consoante os sentimentos.

Pintura

     Quando estou a pintar, inspiro-me nas mentiras do mundo, reparo nos desenhos de paisagens, até da nossa mente.

Cinema

     Quando vejo um filme, entro nas personagens e até finjo que estou lá a fazer o meu papel; nos filmes, pode-se pôr o que se entende, pode-se fazer de tudo.

Escrita Livre – O que me faz voar –  FV6C23-24

O Mistério da Pessoa – 4

Image par Merlin Lightpainting de Pixabay

     O ser humano  relaciona-se com os sentimentos; precisa da Família em qualquer momento; precisa de desenvolver o seu corpo para poder dar vida a outros seres; o  ser humano é agradecido a tudo isto. 

   Temos uma dimensão biológica: Sem os nossos antepassados, não estaríamos aqui a fazer os nossos trabalhos e a relacionar-nos.

    Temos uma dimensão social: Ao estarmos com as outras pessoas, sentimos que temos alguém com quem falar, brincar…

    Temos uma dimensão espiritual: Na parte interna de nós próprios, muitas vezes perguntamo-nos sobre o que fizemos,  e até falamos connosco próprios.

Reflexão para o Teste de MoralFV6C23-24

A Vida Interior

     Image par Guilherme Gomes de Pixabay

     A dimensão espiritual é a vida interior do ser humano, a sua capacidade de pensar, a sua vontade livre…

    O ser humano, para conseguir viver, desenvolve-se na Famìlia, com os Amigos, na Escola…

     Nós afirmamo-nos através dos nossos pensamentos e sentimentos que comunicamos aos outros através da linguagem.

     Se não tivéssemos corpo, não exprimíamos as mensagens do nosso espírito.

Reflexão escrita para o Teste de Moral – FV6C23-24

Balanço de Semestre – 6C II

Image par Harshal de Pixabay

      2 Pontos Fortes que desenvolvi:        

        • Este ano, comecei a prestar um bocado mais de atenção às aulas, e com isso tenho gostado muito das aulas de Ciências; temos feito muitas experiências e aprendemos muitas coisas sobre o Corpo Humano.
        • Tenho gostado muito da Banca de Jogos.

 2 Objetivos para o Semestre de Primavera:       

        • No segundo semestre gostava de começar a tirar melhores notas  e alcançar bem os meus estudos.
        • Gostava de conseguir melhorar os meus desenhos, para , quando for grande, poder espalhar a minha sabedoria nas Artes e demonstrar a Vida através delas.

Reflexão sobre a Aprendizagem – FV6C23-24

A Amiga L

Image par Brigitte Werner de Pixabay

    A minha amiga L é muito gira e eu adoro-a! É cheia de personalidade e é das minhas melhores amigas. Sempre que choro ela está lá e, quando rio, também; ela é muito divertida e adora inventar brincadeiras para nós nos divertirmos. 

    Ela é de tamanho médio, um pouco mais alta do que eu, um rosto suave salpicado de sardas, e cabelo preto e liso; gosta de ser um pouco competitiva, mas eu adoro. É muito empenhada, não consegue tirar uma nota abaixo de noventa, que começa logo a estudar até ter um cem.

    É muito simpática, sinto-me bem quando estou  com ela, e não conseguiria estar pouco tempo, porque a minha amiga L é atenta com todos e muito risonha. 

  Gosta muito de brincar com os amigos; é uma pessoa interessada por saber e estas são algumas razões para se gostar dela, mas ainda há muito mais para dizer, como, por exemplo, o modo como ela gosta de desenhar, conversar e brincar. Creio que a sua comida favorita é Suschi, adora Goldens e Border Collies, vai receber em breve um pássaro, pelo qual está muito ansiosa.

  Escrita AutobiográficaUm Amigo, um rosto único MCC7D23-24

A Pessoa Humana

Image par Merlin Lightpainting de Pixabay

     B: Onde a pessoa se sente em casa é onde costuma estar mais tempo, onde se sente segura; costuma ser em casa, na escola e com os amigos.

   LR:  Recebemos valores através das experiências que fazemos na vida; com os erros, aprendemos.

   Aprendemos também nas comunidades em que vivemos e com quem comunicamos, falando. Às vezes dizemos: “tenho um corpo”, mas talvez seja, antes: “sou um corpo”.

     L S: Nós, naturalmente, voltamo-nos para os outros, vamos até onde somos capazes na vida, temos de viver com Amor, o que permite nós crescermos como boas pessoas.

     Somos ricos de formas diferentes, pelas as nossas famílias que nos ajudam e pela nossa personalidade.

Conversas na Oficina – Partilha para o TS de Moral

 LS6C23-24, LR6C23-24, BR6C23-24

Sem Abrigo

Image par KANSA JIN de Pixabay

      Há pessoas que não têm que comer, não têm onde morar; há pessoas que não as ajudam, tratam-nas muito mal, não agradecem pelo que têm; há pessoas que não têm e agradecem por terem um cêntimo, mesmo que não dê para comer nada, ou não têm família para passar o Natal.

     Podem ter perdido a Família num acidente de carro ou a Família já não os queria ou já não acreditam que há pessoas a morarem na rua; é muito mau, é péssimo haver pessoas que não ajudam ou não tratam bem; é horrível a história dos Sem Abrigo. 

     Há Associações  que servem para ajudar, por exemplo “Vida e Paz“: doa ou tenta participar; se vires alguém na rua, já sabes o que fazer: ajuda o próximo.

   O que dás, recebes; se tu deres o bem, recebes o bem, mas, pelo contrário, se dás o mal, recebes o mal; dá sempre o bem para não teres dúvidas que, se acontecer contigo, alguém vai-te ajudar: dá comida, dá dinheiro, dá roupa, dá o que quiseres, mas ajuda e contribui. 

     Eu tenho uma professora de História que ajuda quem precisa e é uma ótima professora; leva sandes de carne aos sem abrigo. Mas tens de ter cuidado, as pessoas podem ter um problema de vício com as drogoas ou uma demência, o cuidado nunca é demais.

Ajuda e cuida de ti e dos outros. 

Olhar +: Iluminar – Questões para Pensar – MC7D23-24

Balanço do Semestre – 8C

     

Image by Gerd Altmann from Pixabay

        2 Pontos fortes que desenvolvi: 

      • Cálculo mental: faço mais depressa contas mais difíceis.
      • Comportamento: tenho 2 amigos ao meu lado e consigo gerir quando e quanto falo.
      • Domino melhor a língua inglesa. 

    2 Objetivos para o semestre de Primavera: 

      • Desenvolver textos de opinião;
      • Falar Francês com mais fluência.
      • Treinar equações de 1º grau e raízes quadradas e cúbicas.
      • Criar apontamentos e esquemas sobre a União Ibérica.

      1 Estratégia de Estudo Eficaz: 

      • Desenhar diagramas e gráficos; 
      • Memorizar usando imagens mentais visuais.
      • Alguém explica, depois faz uma conta ou expressão numérica; então eu explico o que foi feito: assim compreendo melhor quais as regras.

Reflexão sobre a Aprendizagem – NS8C23-24 e GC8C23-24

O Que Me Inspira

   

Image par Brigitte Werner de Pixabay

    Gosto da Primavera porque há flores nas árvores, o tempo começa a aquecer, podemos ir ás vezes á praia. No frio, quando era inverno, estava muito gelado, mas agora, na Primavera, está melhor. Também há um problema: quando está muito calor, temos que ficar na sombra. Estes dias gosto de ficar em casa, com a minha irmã, a jogar no tablet. 

     Gosto de desenhar, mas só desenho às vezes; aos 6 anos desenhava muito, mas agora com as aulas, tenho de estudar… Todos os sábados vou desenhando; faço pintura com aguarelas; tenho um quadro no meu quarto, são cavalos a correr. 

    Há dois anos, eu tinha andado a cavalo, em Nespereira, perto de Ceia. Daqui até Ceia podemos levar três horas e meia de viagem, se se juntar o trânsito de manhã.

     Devia haver mais moral: uma vez, na escola, estava uma fila grande, eu ia passar à frente, mas percebi que passar à frente era mau; o auxiliar viu-os e pô-los no fim da fila. É melhor ficares parado do que passares à frente.

   Gosto de música, vou aprender a tocar Kulele, a Mãe vai-me inscrever ao fim de semana, por duas horas. Quando me sinto bem, gosto de cantar.

Conversas na Oficina – PL5A23-24

Rituais de Verão

tur4all – Praia da Torreira

    No verão vamos a casa dos avós, onde também estão os tios e primos, e podemos ir à praia duas vezes por dia, que fica em Torreira, a 700 metros da nossa casa; vou sempre a pé, vamos por um atalho, demora poucos minutos.

     A casa deles é perto da praia; os avós paternos têm uma casa no verão que é na Torreira e outra em Estarreja para o resto do ano; os primos vivem em Mafra.

    O avô materno vive em Ceia; a avó morreu há 42 anos. No verão, ouvimos as abelhas; há frutos nas árvores: o avô materno tem um terreno com jardim e acorda de madrugada para ir até lá; fica a 2km de casa, vai buscar água a um poço, mas o balde já caiu.

   Tem figueiras, oliveiras, laranjeiras e um limoeiro; uma vez a minha irmã tinha ido estudar a casa de um amigo a mãe deu-lhe um saco de limões e o saco rasgou-se: foram “os limões em fuga”.

Escrita Autobiográfica – PL5A23-24

O Mistério da Pessoa – 2

Image par Yolanda Díaz Tarragó de Pixabay

   Cada ser humano nasce numa certa comunidade e desenvolve-se na Família e no seu grupo de Amigos.

   Nós, seres humanos, temos emoções nossas; com a linguagem conseguimos comunicar com os outros. 

   O ser humano é muito criativo, é capaz de inventar o que não existe, como nas artes da música, literatura, dança, pintura, teatro e cinema, por exemplo.

Reflexão para o Teste de Moral – MV6B23-24

Adolescentes e Telemóveis

Image par Thomas Grau de Pixabay

      Os telemóveis constituem vícios maus e bons ao mesmo tempo; no entanto, há mais mal no telemóvel do que bem.

      Toda a gente usa o telemóvel, tirando crianças e bebés. Há pessoas com mais vício do que outras; há pessoas que são totalmente vidradas no telemóvel, não conseguem estar sem ele durante um minuto e não os deixam ficar sem bateria. Pelo lado mau, os telemóveis dão acesso a muitas redes sociais, como o tik-tok, o instagram, o youtube, que fazem com que os adolescentes se vidrem no telemóvel, se esqueçam de fazer coisas que são precisas, como, por exemplo, dar comida aos cães, gatos, pássaros, basicamente aos animais; esquecem-se também de algo que tenham combinado ou de fazer atividades para o bem da nossa saúde.

    O que capta a nossa atenção é, por exemplo, o Tik-tok, em que os vídeos têm parte 1 e parte 2, faz com que queiramos ver mais; afinal é como um livro, mas que faz mal aos olhos e à cabeça. Quando digo isto, falo de saúde mental, pois os telemóveis fazem mal à imaginação, às vezes porque participam “haters”, que levam as pessoas a desistir dos seus sonhos; também se espalham mentiras, como, por exemplo, que o mundo vai acabar em 2026, ou que vai haver um Tsunami; ora, há pessoas que não podem ouvir isso, porque acreditam logo.

    Depois ainda há aplicações de filmes como Disney +, Netflix, HBO prime video, Apple TV, que fazem com que as pessoas queiram ver mais filmes, o que pode tornar-se muito prejudicial para a saúde, porque chegam a não querer fazer mais nada, senão ver um filme.

     Pelo lado bom, não tenho muito a dizer, pois os telemóveis não trazem muitas vantagens, uma vez que, mesmo a realizar atividades importantes, faz-nos mal à vista; enfim, os telemóveis são bons para fazer chamadas, enviar mails e mensagens no Whattsup.

Texto de opinião – Olhar +:Descobrir –  MCC7D23-24

Image par IA et Gerd Altmann de Pixabay

     O ano que se estreou traz surpresas escondidas, tanto para a nossa esperança como para a nossa preocupação; e tudo isso que não adivinhamos, só podemos pressentir, se estivermos confiantes, com atenção. 

    O que está por descobrir é que se calhar posso vir a ter, na minha sala de aula, um novo colega e que nós talvez possamos tornar-nos amigos.

     Gostaríamos de perceber como se fazem amizades depressa, também como somos inteligentes e meigos. Gostamos de brincar e conviver entre Amigos e  Família.

      Na passagem dos dias, damos mais valor à Vida, porque aprendemos mais coisas com o passar do tempo, tanto em casa como na escola, temos mais felicidade e mais noção do que é preciso para nos desenvolvermos e evoluirmos, por ser tão importante para a Vida!

Exercício de Escrita Criativa – Texto a 4 Mãos –

LR6C23-24, LS6C23-24, BR6C23-24 e OE

 

Image par IA et Gerd Altmann de Pixabay

       O ano que se estreou, por agora, está a ser incrível, estou a ter mais amizades, estou a conviver melhor!

    Gosto muito de brincar com as minhas amizades e adoro as aulas de Matemática, tenho muita criatividade e convivência com a minha Família!

    O que gostaríamos de perceber é se podermos aprender novas coisas, e fazer o que queremos, testar as nossas capacidades de descobrir e aprender o que queremos para nós sermos felizes e termos amor à Vida!

    Na passagem dos dias, damos mais valor ao sol pequenino que pinta o inverno de cores vivas, ao riso dos amigos no recreio, às férias que vêm chegando com pézinhos de lã, ao sonho de Verão que se aproxima, com a promessa da liberdade e o mar ao fundo, horizonte infinito.

Exercício de Escrita Criativa – Texto a 4 Mãos –

LR6C23-24, LS6C23-24, BR6C23-24 e OE

2024: o Livro em Branco

     Image par Gerd Altmann et AI de Pixabay

     Estreamos um ano, com novas ideias e diferentes formas de pensar e de raciocinar; mais tempo para nos conhecermos internamente.     

    Estreamos um ano, começamos de novo a escrever um livro em branco e nele esperamos escrever como alcançamos os nossos objetivos. 

    O que está por descobrir: temos coisas a aprender connosco próprios; devemos criar uma nova mentalidade, como também as nossas amizades devem ser renovadas ou aprimoradas.

      O que está por descobrir é o futuro próximo, o que devemos esperar; porém, agora, é uma prenda, e é por conta disso que se chama “presente”. 

      O que gostaríamos de perceber é o nosso corpo interior, que nos chama para querer ficar com alguém que nos ama profundamente. 

       O que gostaríamos de perceber é se realmente tudo é verdade e se realmente vale a pena viver, sendo que o ano só começou há nove dias e já 20 000 pessoas tentaram tirar a sua própria vida, achando que seria melhor morrer do que ser culpado.

      Damos mais valor, na passagem dos dias, aos nossos pais ou à vida virtual? É uma questão que faz pensar muita gente, pois a internet pode ser suicida, ao contrário da relação com os nossos pais que é revitalizadora.

       Na passagem dos dias, damos mais valor a pequenos detalhes novos, que nos complementam e que queremos espalhar, para fazermos do mundo um lugar melhor.

Ano Novo 2024 – Texto a 2 Mãos – MA8C23-24 e MC8C23-24

2024 – um Ano Novo e Vivo

Image par Nanne Tiggelman de Pixabay

     Estreamos um ano, somos agora mais ricos para inventar a nossa própria vida; é como se desenrolassem uma tela branca diante dos nossos olhos, a perder de vista.

    Estreamos um ano, mal posso esperar pelo verão, porque é a época em que estamos de férias, na praia; depois do verão começamos um novo ano de escolaridade e também esta é a primeira vez, em 2024, em que  estou a escrever neste caderno.

     Quem sabe o que está por descobrir? Nós saímos para o ano que chegou com o entusiasmo das grandes aventuras. Nem tudo é novo, certamente, mas tudo nos parece renovado, irradiando a frescura de um tempo recém-nascido.

      O que poderá ser descoberto em 2024, são os carros voadores e as pessoas robóticas; também pode surgir um novo país no continente Africano.

        O que gostaríamos de perceber ainda? Se os seres humanos já se sentem preparados para partilhar o mundo com as mentes digitais; se as profundas feridas entre nós, que atiraram com tantos guerreiros para a morte poderão ser curadas á luz de um outro mundo. 

    O que gostaríamos de perceber ainda é como os problemas matemáticos se resolvem, especialmente eu, porque tenho dificuldades a Matemática e gostaria de resolver esses problemas.     

      A que damos mais valor na passagem dos dias? Um sorriso inesperado pode encher o coração; alegrias pequeninas de se saber cuidado: ” – Estás quentinho?” “- O teste correu bem?”; e o mistério das horas sempre disponíveis que nos caem no colo como um pãozinho saído do forno.

       A que dou mais valor nesta vida é à oportunidade de acordar todos os dias e agradecer a Deus um novo dia; também agradeço a realidade de haver Natureza, pois se não houvesse Natureza, nós, certamente, não existiríamos.

Ano Novo 2024 – Texto a Duas Mãos – JB7C23-24 e OE