A Cidade da Savana – III

      Commons Wikimedia.org Creative Commons 4.0Share Alik

     O fotógrafo encontrou as 10 moedas de ouro e o tigre deixou-o passar. Quando ele chegou ao outro lado do rio, encontrou um castelo feito de pedras cinzentas escuras, que tinha mudas a crescer por todo o lado.

     Ele atravessou a ponte levadiça e, quando entrou no castelo, encontrou um tigre que lhe disse: 

    – Eu sou o mago deste castelo. Para ir ver o rei, tu vais ter de passar por mim e pelos meus truques mágicos!

     E ele fez um feitiço com o seu cajado e fez o fotógrafo voar acima do chão, e depois cair outra vez. 

    – Tu nunca irás conseguir passar por mim! – exclamou o mago e começou a lançar feitiços para parar o fotógrafo.

     Então, o mago lançou um feitiço em si mesmo, que o fez ficar muito grande! 

    – Desiste, fotógrafo! Nunca irás conseguir passar por mim!

     Mas, para a salvação do fotógrafo, apareceu do nada, no castelo, o macaco que lhe tinha dado indicações inicialmente! 

    – Toma isto. – Disse o macaco. E deu-lhe uns sapatos com molas. – Eu sou sapateiro, e estes sapatos são a minha especialidade!

    O fotógrafo deu um salto por cima do mago e foi até à sala do trono falar com o Rei Simba. O Rei foi até ele e disse-lhe: 

    – Parabéns, fotógrafo! A maioria das pessoas que passa por aqui não consegue passar pelo mago! Como foste corajoso, posso fazer-te um favor. 

    – Então, rei Simba, eu gostava de voltar para o meu mundo! – Pediu o fotógrafo. – Tudo bem, se é isso que desejas, esse desejo será concedido! – respondeu o Rei Simba.

    Quando o fotógrafo deu por si, estava outra vez  na savana, ao pé da fonte! Ele resolveu colocar uma placa ao pé da fonte, a dizer:

Image par 8982496 de Pixabay 

 Depois disso, ele voltou para sua casa e ficou em segurança.

LR5B

A Cidade da Savana – II

                             Commons Wikimedia.org Creative Commons 4.0Share Alik

    No caminho, encontrou uma girafa e uma zebra, que lhe disseram que ele tinha de atravessar um rio.

    – E qual é o nome desse rio? – Perguntou o fotógrafo.

    – É o rio das Patas Encantadas. – Disse a girafa. – Tudo bem.  – Respondeu o fotógrafo.

    E continuou o seu caminho, até que encontrou um tigre que estava de guarda ao pé de um barco de madeira branca, cheio de flores a enfeitá-lo, e que tinha uma placa a dizer: 

Image par Sandy Frew de Pixabay 

     O fotógrafo pensou: “- Acho que cheguei ao local que queria.”

    Ele chegou perto do tigre e disse-lhe:

    – Desculpe, senhor Tigre, eu precisava de usar esse barco para atravessar o Rio das Patas Encantadas e ir falar com o Rei Simba para poder sair deste mundo.

    – Desculpe, mas só vai poder passar se resolver um quebra-cabeças. Espalhadas por aqui estão 10 moedas de ouro; se as encontrar a todas, pode passar e pode atravessar o rio.

(Continua)

LR5B

A Cidade da Savana – I

   Commons Wikimedia.org Creative Commons 4.0Share Alike

       Era uma vez uma Savana com muitos tipos de animais. Havia leões, girafas, macacos, zebras…

     Um dia, chegou um fotógrafo de vida selvagem para tirar fotos aos animais e colocar as fotos num livro.

     Ele parou numa fonte de água para encher a sua garrafa, mas quando bebeu a água foi mandado para um mundo em que todos os animais que existiam naquela Savana vestiam roupas, estavam de pé e falavam!

     O chapéu do fotógrafo até caiu da sua cabeça, de tão espantado que ele ficou!

           Ele chegou perto de um macaco e perguntou:

     – Desculpe, Senhor Macaco, o Senhor sabe onde estamos… como eu cheguei aqui… e…. mais importante, como é que eu saio daqui? 

    – Nós estamos na Cidade da Savana, e a única forma de sair daqui, é falando com o Siimba, o rei dos animais. – Respondeu o Macaco. 

     – E onde é que esse tal rei mora? – Perguntou o fotógrafo.

     – Ele mora na Floresta das Árvores Sagradas. – Respondeu o Macaco.

     O fotógrafo seguiu em frente, em direção à Montanha das Árvores Sagradas, como o Macaco lhe tinha dito.

      No caminho, encontrou uma girafa e uma zebra, que lhe disseram que ele tinha de atravessar um rio.

(Continua)

LR5B

Sondando o Futuro

     cartaz deanimais primitivos

     Wikimedia Commons Atribuição CCO Autor Adolphe Millot

     Gostei muito das Quartas Feiras: saíamos mais cedo e a mochila não é muito pesada; à 2ª feira é muito pesada.

     A minha disciplina favorita é Ciências, porque gosto de animais, da água… é mais divertido.

      Também gosto muito de HGP, porque fala da História, da pré-História, do Futuro… do Futuro nem tanto. 

     Cada vez mais os glaciares estão a derreter: então, algum dia, pode haver quase nada de terra e nós, no futuro, podemos ficar apertados.

      A África pode ficar inundada; pode haver cada vez mais animais aquáticos e cada vez menos animais terrestres.

      Sem as abelhas não vamos ter cenouras, laranjas, até maçãs – só teremos as frutas que não são polinizadas pelas abelhas.

      Vários outros animais estão em perigo, como os cupins, vão precisar muito de ervas, mas como vamos ficar muito apertados, vamos cortar a relva.

      No Futuro, também podemos ficar extintos: cada vez mais pessoas pode levar à superpopulação. E como é que as pessoas vão viver sem a terra? Depois, vão ser extintas.

      Se for assim, pode parar a poluição, as calotes polares podem recongelar de novo, pode haver mais terra e os peixes podem evoluir para animais terrestres.

     Antigamente havia uns peixes com as barbatanas fortes; houve uma extinção em massa e aqueles que sobreviveram foram para as partes mais rasas, mais perto das praias.

      Eles conseguiram evoluir para a terra. Os primeiros mais conhecidos foram uma espécie de lagartos; depois evoluíram para animais maiores.

      O primeiro maior era uma espécie de lagarto com escamas bem duras e a cauda bem grande.

Conversas na Oficina HZ5D