Lidar com o Coronavírus

coronavirusImage by Gerd Altmann from Pixabay

    Perguntas Frequentes como:

      • O que é?
      • Que sintomas ocorrem nas pessoas?
      • Como podemos evitá-lo?

     Neste tipo de vírus, as pessoas mais afetadas normalmente são os idosos e as crianças, porque têm um sistema  imunitário mais fragilizado do que as outras pessoas, ou seja, o coronavírus atinge pessoas com um sistema mais fraco.

    Os coronavírus são uma larga família de vírus, identificadas em 1960, que vivem noutros animais (por exemplo, aves, morcegos, pequenos mamíferos) e que no ser humano podem causar doenças respiratórias, desde uma comum constipação até pneumonias. Podem transmitir-se entre animais e pessoas. A maior parte das estirpes de coronavírus circulam entre animais e não chegam sequer a infetar seres humanos.

   Pensa-se que o coronavírus é uma “gripe” que se gerou de uma cobra, na China.

   Foi no dia 31 de dezembro de 2019 que a Comissão Municipal de Saúde de Wuhan, na província de Hubei, reportou 27 casos de uma pneumonia de causa desconhecida.

  Passados uns dias, no dia 9 de janeiro de 2020, o Centro de Prevenção e Controlo das Doenças da China informa que um novo coronavírus, agora denominado cientificamente de Covid-19, foi detetado como agente causador de 15 dos 59 casos de pneumonia.

   Até à data, o surto continua em investigação. O vírus já se espalhou pelo mundo. Há já mais de mil vítimas mortais e dezenas milhares de infetados.

   Os sintomas reportados por doentes infetados com o 2019-nCoV são habitualmente febre, tosse e falta de ar. As complicações como pneumonia e bronquite têm surgido sobretudo em doentes idosos ou com outras doenças crónicas que diminuem o seu sistema imunitário. O Centro de Prevenção e Controlo das Doenças (CDC) considera que o tempo de incubação do vírus pode durar entre 2 a 14 dias ou até 24 dias.

   Não existe vacina, pelo que a prevenção passa por evitar a exposição a este vírus. De momento não existem limitações de viagens em muitos países. No entanto, as recomendações de prevenção são as habituais para os viajantes, de acordo com a Direção Geral de Saúde.

   Os viajantes que cheguem de Wuhan, província de Hubei, China, há menos de 14 dias, e que apresentem sinais e sintomas de infeção respiratória aguda, com febre, tosse e dispneia e nenhuma outra causa que explique a sintomatologia, devem:

    Ligar para o centro de contato SNS24 (808 24 24 24), antes de recorrer a serviços de saúde, e referir sempre o histórico de viagens, e/ou contato com animais e/ou pessoas doentes, seguindo as orientações que lhes forem dadas:

– Restrição social

– Lavar frequentemente as mãos com água e sabão

– Adotar medidas de etiqueta respiratória – tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir;

– Deitar o lenço de papel no lixo;

– Lavar as mãos logo de seguida;

– Utilizar máscara cirúrgica, se a sua condição clínica o permitir;

– Manter a qualidade do ar interior, como, por exemplo, as salas de aula bem arejadas.

Pesquisa realizada por Joana P 12º1A

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.