CAD em Isolamento – As Pandemias na História -II

5 – Gripe Espanhola

segunda onda

wikimedia.org

   Também conhecida como a “Mãe das Pandemias” – a peste negra é o pai, o filho é o corona, o irmão é a quantidade de gripes que existem.

    Tudo começou nos EUA, no Estado do Kansas, quando o exército americano se preparava para instalar-se na Europa. O capitão Joe MacCarter disse: “ É apenas uma constipação” – pensava que dentro de umas semanas iria ficar bem, o que não foi o esperado e a doença provocou mais de 30 milhões de mortos.

    Os encarregados do lixo transportavam os cadáveres que eram deixados ao pé do lixo. Nos EUA, as casas construídas em madeira favorecem o contacto do vírus. Tudo piorou quando, no regresso dos soldados vindos da Guerra, os casos começam a disparar.

    Os Espanhóis é que avisaram o mundo de que havia um vírus desconhecido a provocar mortes. A guerra poderia ter-se prolongado por mais tempo, se a Espanha não tivesse avisado o mundo.

4 – Gripe de Hong Kong

h3n2easebay times.com

     Além de outras 2 Gripes que assolaram a Europa: gripe asiática, durou dois anos, fez 15 milhões de mortos, afetou principalmente China, índia, EUA.

    Causou um milhão de mortos, ainda hoje não se sabe ao certo quais são os sintomas: grande emagrecimento, febre, tosse seca.

3 – SARS

   sars

wikimedia.org

    Esta foi uma doença muito grave, mas nem mil mortos chegou a provocar – estou afalar da Síndrome Respiratória Aguda Grave.

   Causou apenas cerca de 813 mortes, o que significa que não foi uma pandemia grave.

2 – A Gripe das Aves

   gripe das aves

wikimedia commons Virus da gripe aviaria

     Descoberta em 14 de Agosto de 2009, no México,  causou muitas mortes, cerca de 300 mil mortes; embora muito mortífera, a taxa de contágio era muito menor que o coronavírus.

Improviso Oral do Aluno com base nas sua pesquisa pessoal – FM5C

CAD em Isolamento – A Peste Negra na Europa – II

O Aluno ditou de improviso, com base nas suas aprendizagens académicas e nas suas pesquisas pessoais:

A Peste no Século XIV

funeral de vítimas da peste

Wikipedia Commons Por Desconhecido

    Com a doença da Peste, nasciam certos tumores nas virilhas ou axilas – eram inchaços. Ao contrário do Coronavírus: a Peste Negra matou mais pessoas, mas o Coronavírus, penso que não conseguirá.

  Existiram vários tipos de Peste Negra como a peste bubónica e a peste Septicémica – fazia furúnculos e bolhas grandes no corpo, que  podiam ser grandes inchaços: “Uns cresciam como maçãs outros como um ovo”.

      Ainda hoje existe a Peste, mas já há tratamento.

A Revolta Camponesa

     o rei medieval

    Wikipedia commonsA revolta dos camponeses” Froissart

     Os camponeses começaram a receber menos salários.

  Nos campos, os Senhores perderam os seus trabalhadores, aumentaram os impostos e diminuíram os salários.

   Várias cidades de Itália faziam quarentena, construíam muralhas para não deixar entrar pessoas estranhas sujeitas à Peste Negra.

    Em resultado, os salários dos artesãos foram congelados por completo, e o comércio foi afetado:

 “Surgiram revoltas populares por toda a Europa: camponeses e artesãos exigiam melhores condições de vida.”

    Com esta crise, a Nobreza e o Rei começaram a receber mais e a dar menos.

   Diminuição da População

     difusão da peste negra na europa

A Difusão da Peste Negra na Europa  Ancient History Encyclopedia

     A população Diminuiu devido à Grande Fome.Temos uma espécie de gordura no corpo, mas se não comermos durante vários dias, a pessoa fica muito fraca depois de usar essas reservas e aumenta a possibilidade de levar com ataques cardíacos.

    A população continuou a diminuir devido à Peste Negra. Como não havia notícias como hoje em dia há, as pessoas não se apercebiam do que era a Peste Negra.

    Só quando tinham os sintomas da febre máxima, os tumores nas virilhas. Vómitos, convulsões, diarreia com sangue, tosse com sangue e pus. O corpo sofria hemorragias e sangramentos.

    Há quem diga que o Papa também morreu na época da Peste Negra.

    Só muito poucas pessoas sobreviviam, era muito raro, a medicina era muito primitiva. Os médicos tiveram de inventar tratamentos, mas foram inúteis, mesmo com o fato de proteção vestido, eles podiam infetar-se.

    As ervas aromáticas disfarçavam o mau cheiro e evitavam que as partículas de infeção que saíam pelo ar fossem contagiar outros.

   As principais queixas eram bubões que as pessoas tinham nas axilas e nas virilhas.

    Um famoso pintor que vivia em França, ao fazer a sua arte dentro de casa, via pessoas pobres dizimadas e familiares a puxar doentes em carrinhos de mão. Queimavam as pessoas que morriam.

Os “Culpados” da Peste

     

Clemente VI – o Papa que protegeu os Judeus

     Este “castigo divino” teve os seus “Culpados”: os muçulmanos foram acusados em Espanha e em Portugal foram acusados os Judeus.

       Agora há pessoas que culpam os Chineses.

     Em 1988,  houve a grande depressão na China;  muitas pessoas  – os agricultores de pequena dimensão – começaram a comer tartaruga e cobra; com a China à beira do colapso,  autorizaram o consumo de animais selvagens e até de alguns em extinção. Hoje em dia comem pangolins, ratos,  minhocas, alguns insetos.

     Muitas pessoas entre os cristãos pensavam que a praga tinha sido lançada pelos judeus, acusados de envenenar as águas das fontes. Alguns foram queimados vivos em fogueiras.

      Viveram-se tempos de perseguição e intolerância

   Durante a crise da Peste Negra, na Europa, um terço da população morreu – 400 milhões de pessoas ficaram infetadas, só 200 milhões de pessoas é que não adoeceram, mas  viviam no dia a dia com medo da morte e com intolerância contra o povo Judeu, perseguindo os judeus e matando-os.

Improviso Oral sobre História do Século XIV – FM5C

Festa das Mães 2020 – SER MÃE

     ser mãe

   Photo by Elly Johnson on Unsplash

     Ser mãe é ter o maior amor do mundo e receber o melhor carinho que existe!

      É amar sem pedir nada em troca.

    Ser mãe é descobrir a imensa capacidade do nosso coração de amar.

ser mãePhoto by Elly Johnson on Unsplash

       Um dia da mãe diferente de todos os outros, mas ainda mais unidas com o que de melhor temos: o nosso AMOR.

Ana Isabel, Mãe de CM6C

70 anos CAD – A Família Mais Unida – (2011)

   Família

         Photo by Kevin Delvecchio on Unspla

     Somos a Família Bispo, famíla essa constituída por 4 pessoas: eu, a minha irmã, a minha Mãe e o meu Pai.

    Depois, tenho os meus Avós paternos , os Tios, os meus Bisavós e o meu querido Primo Miguel. Adoro a mina Família tal como é, muito unida.

     Gostava de ter mais uma irmã, mas os meus pais dizem que por agora, é complicado.

    Gostaria de ser bióloga, assim faria o que gostava, sentia-me realizada e conseguia a minha independência financeira.

     Diariamente, tenho o privilégio de ter os meus dois Pais, Irmã e Avós junto a mim.

     Gostaria de casar e ter filhos, confesso que uma Filha faria as minhas delícias…

      A Família é tudo para mim, sem ela jamais conseguia viver.

     A minha Família é a mais unida do Mundo!

Desejo Felicidades para o 5º C.

70 Anos de CAD – MB5C nº 22 do 5ºC – 2011

70 Anos CAD – 40 Anos da Vida de uma Escola III- (1990)

cad Imagem: Colégio Amor de Deus

     Era bem manifesto o desejo, quer dos pais, quer dos alunos, que abríssemos o Curso Complementar.

   A comunidade de Cascais estava em profunda expansão e nós tínhamos que atender às necesidades desta sociedade tão carente de valores.

     A ideia começou a tomar forma na mente da Irmã Margarida. Pensou-a, amadureceu-a e lançou-se na Aventura, com o estímulo de toda a Comunidade Educativa e o apoio da Congregação do Amor de Deus.

      Em 1989, começaram já a funcionar as novas instalações e o Colégio do Amor de Deus passou a ministrar também o Curso Complementar.

     O sonho tornara-se realidade: fruto de muito esforço, muito trabalho, de muito dinamismo e de um espírito de empreendimento, atrever-me-ia mesmo a dizer, de ousadia, que são dignos de louvar, pois arcar com a responsabilidade de uma obra de tamanha envergadura não era tarefa fácil.

       Todos os professores desta Escola estão conscientes de que tudo isso representa um acréscimo de trabalho e responsabilidade, mas é com muita alegria que vêem os seus alunos, após dez, onze ou doze anos de permanência no Colégio, optarem por aqui continuar no Curso Complementar.

     Isto é compensador, realiza-nos enquanto educadores e faz-nossentir que, pesar da tarefa ser árdua, vale a pena continuar.

    Estes quarenta anos do Colégio Amor do Deus são uma herança viva, carregada de potencialidades em ordem ao nosso presente e ao nosso futuro, pois que constituem para nós desafios a uma maior solidariedade e participação, a uma competência pedagógica sempre renovada, em que o diálogo franco e aberto surja como modo de comunicação entre todos. 

     Já não somos, é certo, uma pequena Família como éramos no início, mas podemos e queremos ser uma ComunidadeEducativa “Amor de Deus”, fiel ao espírito e ao lema do Padre Usera “Educar em, por e para o Amor.”

Professora Maria Helena Pinheiro – 1990

In “Boletim Informativo Do Colégio Amor de Deus”

Celebração dos 40 Anos do CAD

70 ANOS – CAD – “O Meu Quarto Acolhedor” – 1992

   

 Photo by Vidar Nordli-Mathisen on Unsplash

     Quando se entra, o nosso olhar é logo atingido pelos pequenos ramos de flores estampados no branco limpo do papel que forra as paredes, tornando o meu quarto confortável e acolhedor.

     Logo depois, a nossa atenção é chamada pelo leve tic-tac que vem da mesa de cabeceira, onde um pequeno e antigo despertador verde dá um ar misterioso ao quarto, fazendo-nos pensar que este está a meditar.

    Também nesta mesinha está um pequeno naperon que, com suas cores claras condiz perfeitamente com um pequeno candeeiro de pé de madeira que à noite ilumina uma imagem de Nossa Senhora, que, tão simples, mas tão bela, parece incendiar-se com a luz.

     No meio do quarto, uma mesa de madeira muito lisa e brilhante, faz-nos convencer que pertence a um grande armário, onde, do lado direito, bonecos diferentes parecem representar uma peça de teatro.

     Em cima da cómoda estão vários livros, uns em cima dos outros, prontos para serem lidos e cujos títulos variados despertam curiosidade.

    A grande janela, que dá para uma pequena varanda, alegra muito o quarto, principalmente quando os cortinados estão fechados e a luz passa através do amarelo vivo destes.

    Tudo isto serve para sonhar e talvez, em toda as gavetas e até atrás dos ponteiros do antigo despertador, estejam pequenos sonhos à espera de serem realizados.

C R 6º, 1992

70 ANOS do CAD

(Texto escolhido para a Prova Global de 1992)

Elogio do Natal – II

bola vermelha na neve

Imagem de PublicDomainPictures por Pixabay 

Fazer o amigo secreto com a Família… o que será que vou dar?

Recebemos presentes porque relembramos o nascimento de Jesus Cristo. Por isso sabemos que é especial o dia de Natal.

Todos os povos do mundo têm encontro marcado no Presépio.

Presentes inesquecíveis esperam junto à lareira como sorrisos escondidos.

Cada Natal, algo de diferente pode acontecer, pois somos uns dos outros, com Jesus. O nosso cabaz de Natal para uma Família é como os alimentos que os pastores levaram ao Presépio.

Na mesa, deliciosas sobremesas para todos.

A Família toda reunida faz parte do mistério da Alegria.

E na turma, o cabaz solidário para uma Família Querida, Montar o presépio e a árvore com a Família, que diversão!

Adoro o Natal, pois transmite boas Memórias e abre novas Esperanças!

Texto a 4 mãos – FM5C, LF5B, MF5B, OE

A Roda da Vida

roda da vidaImage par OpenClipart-Vectors de Pixabay 

     “A Roda da Vida” é uma ferramenta  de Coaching ou de  Desenvolvimento Pessoal que pode ser adaptada para as diferentes idades dos nossos alunos. Ela também pode ser transformada em “Roda Educativa”, “Roda de Estudo” ou de outro tema que vá ao encontro dos interesses vitais dos mais jovens.

      Uma circunferência é dividida em 4, 6, ou 8 partes iguais. A cada divisão triangular faz-se corresponder um tópico relevante para a nossa vida pessoal. Estes tópicos podem variar, conforme a nossa vivência e prioridades em diferentes momentos.

     Este exercício de reflexão, que pode e deve ser repetido com regularidade, apoia-se na seguinte operação: preencher os 4, 6, ou 8  triângulos que dividem a área da circunferência, com diferentes cores, ou com um simples traço a indicar o nível de preenchimento de cada divisão; no final, uma linha única unirá todos os pontos.

         O linha que une os traços apostos a cada raio do círculo –  ou os níveis de preenchimento colorido dos triângulos – expressa uma autoreflexão sobre a nossa vida pessoal no Presente: a nossa situação interior global, o equilíbrio entre diferentes instâncias essenciais da vida e o modo como gostaríamos de o modular.

    Neste sentido, o amadurecimento progressivo pode vir a dispensar o que se tornaria num planeamento rígido; este poderia cercear o nosso acolhimento do inesperado que, na vida real, sempre nos ultrapassa.

      Mais importante do que um planeamento é a realidade de que ele é função: a nossa “Visão”, o sentido último que damos ao nosso caminhar.

     Ela funciona como uma bússola que nos retira da tendência  para andar à deriva.

     Assim, o exercício “a Roda da Vida” visa ajudar-nos a:

      •  reequilibrar as dimensões da nosso “pensar, sentir e agir”;
      •  planear estratégias para desenvolver instâncias mais abandonadas.
      • reconduzir o fluxo do nosso viver para o seu rumo desconhecido mas seguro.

     As declinações básicas da vida: “Paz”, “Amor”, “Alegria” são a seiva nas ramificações do viver, mesmo sem nos darmos conta.

    O ímpeto de ser brota do centro e irriga de sentido as veias da existência.

OE

Como Contribuir para que os Outros Sejam Mais?  – Rumo à Páscoa 2019

 

Photo by Tom Grimbert (@tomgrimbert) on Unsplash

     Estamos a percorrer um tempo que recebeu a sua marca singular ao longo de dois milénios:

        •    É um tempo que flui como algo de incompleto;
        •    Que sobe, como para uma meta;
        •    Que pretende atingir um fim:

A Misteriosa Vida da Páscoa Sempre Nova

Como podemos ajudar os outros  a serem mais eles próprios?

Como participamos na Campanha que a comunidade da Escola inventou para ser mais solidária?

Qual é a Escola-Irmã, que à distância nos acena, e como voltamos para ela o nosso cuidado, este ano?

Como gostaríamos nós de trabalhar a nossa relação com os outros em particular durante esta travessia em caravana, pelo Deserto?

E, finalmente, como nos podemos apoiar a nós próprios, portadores secretos de uma missão desconhecida, nós, Jovens, filhos do Futuro que vamos recriando?

Quaresma 19 – OE

Definir Uma Rota

barco sobre mapa

Pixabay Atribution Pixabay License

O Mundo

2030 – Metas Globais

Nós

O Mapa da Vida

  • Pontos de referência que oferecem à vida uma forma singular.

Como escolhemos?

  • Critérios de escolha: valores que guiam o quotidiano;
  • Aplicação na escola, em casa, com os amigos, projecto de futuro.

O que nos impede…

  • De transformar o mundo à nossa volta?
  • De sermos nós próprios em liberdade?

O que nos apoia?

  • Pessoas;
  • Entidades Coletivas;
  • Recursos Secretos…

OE

Agendar os Momentos de Estudo

gestão do tempoImagem: Oficina de Escrita

     Os alunos que frequentam a Oficina partilham e aperfeiçoam o  seu modo de organizar o estudo e  de gerir o seu tempo de trabalho.

     Estes relatos de rotinas escolares ocorrem especialmente em momentos de viragem do ano, como no início e no final dos trimestres, e alguns ficam incluídos na rubrica “Conversas na Oficina” –  que recolhe uma variada miscelânea de temas.

       Alguns estudantes do 2º Ciclo, com o apoio preciosos dos Pais, conseguem elaborar um horário de estudo adequado às semanas letivas.

      Alternando o imprescindível convívio familiar com atividades livres, sessões de trabalho e intervalos breves, os estudantes conseguem cartografar, com alguma precisão, a ocupação das suas tardes, serões e fins de semana.

          Estes guias de estudo vão orientando o quotidiano dos mais jovens: favorecem a criação de hábitos de estudo e,  ao mesmo tempo,  libertam mais tempo vivo para os “hobbies” favoritos dos mais extrovertidos ou permitem aos mais introvertidos  recuperar energia, estando simplesmente consigo próprios.

         Alunos há que anda não conseguiram usufruir desta maestria sobre o fluxo do tempo que um bom agendamento de deveres e recreios lhes permitiria.

    Demasiado cansados depois de um dia bem carregado de aulas, evitam aproximar-se novamente dos livros e, antes ou depois de terminar os seus deveres apressadamente, dispersam-se numa agitação sem repouso.

     Outros experimentam a profunda segurança que o cumprimento  regular de um horário equilibrado proporciona a longo prazo: orientados no fluxo das horas, habituados a alternar o exercício físico com as práticas de estudo, os estudantes robustecem as suas  competências e ganham confiança e auto-estima.

Horário Semanal de Estudo em Casa

 (download)

OE

 

 

Diário de um Gamer Voador

 avião pequenino e muito antigo sobre as nuvens e as montanhas ao poente

 PixaBay PixaBay License

 Diário – 7 de Janeiro de 2019

     CS:GO – Comprei o cartão da Steam na sexta-feira, quando fui com a minha Mãe ao Shopping.

     Também ganhei uma caixa de “Skins” de CS:GO.

     Quando fui jogar, encontrei uns Hackers que me matavam pelas paredes e eu, com a raiva, parti o rato do computador e tive de colar com fita “Pintor”.

8 de Janeiro de 2019

     No Natal passado, recebi um boneco incrível: uma POP Figura, de Fortnite, com uma picareta de Unicórnio, roupa e ténis.

     O meu Pai, se calhar, para o ano, vai para Bragança de avião e eu vou-lhe pedir se posso ir com ele.

     Já ganhei um bocado de coragem para me arriscar a voar.

LJ6A

O Melhor Peluche do Mundo

      patinho de peluche amarelo espreitando e sorrindo

   Pixabay PixaBay License

     O meu peluche é o melhor do mundo.

     É amarelo, grande, fofo e muito simpático. Há pessoas que dizem que os peluches são só um brinquedo, mas não, um peluche é um amigo a quem nós podemos  contar tudo e nunca nos vai trair.

      Quando recebi o meu peluche, não lhe liguei muito, mas quando tinha um pesadelo, agarrava-me sempre a ele.

recado ao seu amigo

       Imagem: Oficina de Escrita

O Muro Vermelho – II

muro de tiojolos vermelhos rodeados de linha verde

       Public Domain Pictures . Net

     O Ratinho não parava de pensar no Muro Vermelho, e não conseguia só ficar pelas palavras dos seus amigos animais!

      O Ratinho tomou uma decisão, depois de pensar muito.

     – Eu vou ultrapassar o Muro! – Exclamou o Ratinho.

     Então, foi para a sua casa, reuniu algumas coisas como uma lanterna e mantimentos e seguiu em frente! Não olhou para trás nem para os seus vizinhos!

    Então, começou a escalar, com um frio na barriga, e nervosíssimo, mas com a Adrenalina e o entusiasmo dos pés à cabeça!

      Até que chegou! Mas  com os olhos fechados não tinha coragem de ver o que estava para lá do Muro Vermelho.

     Olhou para trás e viu, talvez pela última vez, a sua cidade cinzenta e sem alegria. Decidiu então olhar  para a frente: abriu os olhos e ficou espantado!

    Era uma… uma cidade muito colorida e alegre, cheia de pessoas a sorrir e que já tinham encontrado a Felicidade!

     O Ratinho pôs os pés no relvado e sentiu uma Alegria que nunca havia sentido antes!

    Foi ter com um pássaro que lá vivia e disse que vinha do outro lado do Muro Vermelho e que era a primeira vez que visitava a “Cidade Colorida”.

     O Passarinho, com a testa franzida, perguntou de que muro é que o Ratinho estava a falar. O Ratinho olhou para trás e o Muro Vermelho já não estava lá.

      Então, o Ratinho percebeu que o Muro Vermelho nunca existira, mas ele é que não estava preparado nem seguro para ver o que está para lá do Muro!

    Era só seguir em frente e enfrentar os problemas, isso é o que representa o Muro Vermelho.

     Quando ultrapassamos os problemas ou as realidades de que não gostamos, nunca chegamos à Felicidade!

      Então, o Ratinho foi chamar os amigos, que só precisavam de um amigo ou de uma força para passar o Muro!

       Eles descobriram a Felicidade, mas o Leão não foi, porque não estava preparado mentalmente!

     Temos de enfrentar os nossos problemas para destruir o Muro e encontrar a Liberdade!

Reconto da História “Little Mouse and the Red Wall

by Britta Teckentrup

CC8B