Celebrando a Vida do 5º Ano

     

   cadescrita.org

     A Turma do 5C é muito simpática: ontem fiz anos e tive a turma toda a cantar os Parabéns! Gosto de todas as Disciplinas. Quando chego a casa costumo ver computador e fazer os TPC.

    A disciplina favorita é Educação Física!  O professor está a faltar por causa da vacina ou de uma ferida no pé. A disciplina mais difícil é compreender as notas musicais.

     Ando num Teatro Musical, na Quinta da Bicuda. Fazemos a música da história da Matilde, que é a menina principal que conta história; a Sofia é q personagem principal da história que a Matilde está a cantar. O espetáculo vai ser dançado e cantado.

cadescrita.org

       Recebi estas prendas ontem, na minha Festa de Anos! São Popets!

Conversas na Oficina – MC5A

Ser Feliz É Ter Gosto na VIDA

    Image par Thanks for your Like • donations welcome de Pixabay  

    VS –   O que me torna feliz é ver a minha Família feliz; que ninguém da Família se sinta mal; não me sinto feliz com isto que vou dizer, mas como gosto muito de video jogos, às vezes, no meio das aulas, penso nisso. Até ponho em post its e desenho o que estou a pensar.

JB – Estás a dar criatividade ao que estás a fazer. Não devemos fazer isso quando é preciso muita atenção na aula.

VS – Torno-me feliz estando com os Amigos todos. E almoçando com eles. E quanto às outras pessoas, toda a gente vai ficar feliz com o término do Covid-19.

JB – Há 3 séculos, Portugal era muito melhor que agora, antes de existir TV, telefones, Consolas, não havia tanta gente a roubar casas. Agora há muita ganância.

VS – A maior influência na minha vida foram os meus Pais. Eles transmitiram-me o ser amigo. Por exemplo, nos intervalos, quase não estou contigo, mas vejo-te como um amigo. Se te acontecer alguma coisa, eu vou logo, porque vejo-te como um amigo. 

JB – A maior influência na minha vida até hoje foram os meus Pais, a minha Família, os que me querem ver bem. Por exemplo, os meus Amigos. Os meus Pais ensinaram-me a ter educação, a falar bem coma as pessoas, a não dizer asneiras.

VS – Vou dizer a verdade, assim, de vez em quando, entre amigos, eu solto-me um bocado.

JB – Entre amigos não é importante.

VS – Transmitiram-me o ser educado. Por exemplo, dão-me um prato de comida, por mais que eu não goste, não digo, é falta de respeito.

JB – Faltar ao respeito é normal no ser humano. “O Perdão evita-se”. Diz-se isso, porque, por exemplo, a professora I está a falar numa coisa, mas eu não estou a gostar nada disso e posso dizer: ” – Não gosto que me fale assim, professora I. Entendo tudo o que está a dizer, vou passar a fazer assim, mas não estou a gostar do que a professora está a dizer”.  

VS – Temos de pensar antes de dizer e as desculpas…Percebemos que fizemos algo de mal e queremos desculpar-nos.

JB – Todos os dias tenho ajudado muitas pessoas e adoro ajudar os outros. Eu também ajudo os meus Pais a fazer a comida, a pôr  a mesa e a lavar a loiça Na minha escola chamam-me “Pessoa Querida” e adoro esse nome.

Conversas na Oficina (Em parte Escrito) VS5D e JB5D

A Aventura da Nova Escola

Image par Thanks for your Like • donations welcome de Pixabay

   Hoje temos connosco, na Oficina, o jovem JB, do 5D, que vem estrear-se no CAD e partilha algumas das suas primeiras impressões: 

    Ainda não conheci assim tão bem a minha Turma, mas parece-me que vão ser bons alunos e sinto que são muito simpáticos.

   A nossa DT vai respondendo às nossas perguntas e está a explicar tudo o que é preciso.

   Esta Escola é maior que a antiga, é o triplo! 

   Quanto ao ambiente geral da Escola, vejo que tem muitas coisas, o espaço é muito bom, podem colocar-se vários materiais neste espaço.

   As disciplinas que gosto mais são Inglês, Português – que é a minha preferida – e HGP. Sinto alguma dificuldade a Matemática.

  No 4º ano fiz uma sessão de Filosofia para Crianças; fiz um “quantos queres” com perguntas: “Quem sou” “Que tipo de pessoa sou?” etc, muito interessante.

Conversas na Oficina – JB5D

Caminhos de Encontro no 7ºAno

Image par Thanks for your Like • donations welcome de Pixabay

     Sinto-me bem, porque as professoras dão muitas revisões do ano passado, tinha esquecido um pouco os assuntos, mas estou-me a relembrar: foram muito queridas!

    Também me estou a sentir ansiosa e um pouco “velha”: parece que há pouco estava no 5º ano, a jogar ao mata!

   Agora posso usar a roupa que quiser! Este Verão experimentei vários cortes de cabelo com a minha mãe. Experimentei coisas novas. Agora é melhor deixar crescer para fazer rabo de cavalo, sem cair o cabelo para a frente. 

  Melhorei muito nas técnicas do meu desnho, consegui mais realismo: é preciso olhar muito para imagens, observar o corpo humano, temos de conhecer os ossos, saber como se situam.

  Li o livro “O Gato que ensinou a Gaivota a voar”. Leio sempre, antes de dormir, histórias da bruxa Mimi. Tentei desenhá-la, mas ainda não estou habituada a desenhar “Cartoons”. 

  Das 3 disciplinas novas, estou  a adorar Físico-Química: era mesmo o que eu queria! Sinto muita curiosidade sobre o Universo. O ser humano tem sempre a ideia de que algo fica sempre dentro de outra coisa. Então, o Universo vai muito além. Temos a curiosidade sobre o Universo estar sempre a crescer. Fico com curisosidade também sobre o que fica para além da expansão do próprio Universo! Os cientistas não o seriam se não tivessem curiosidade. 

  Também gosto muito de Matemática, porque a Professora é superquerida, é a minha preferida, diz-nos: “- Não deixem passar nada, não tenham dúvidas, ponham todas, mesmo as que vos parecerem estranhas!” Ano passado tinha receio de pôr dúvidas. Como agora vi que todas as pessoas punham dúvidas estranhas, também pus. 

  Na Turma, fiquei com toda a gente que pedi, mas foi uma ilusáo imensa, porque tinha o T da pré, a I e a sombra da I e eu, sempre juntos na Escola antiga. Agora, um deles está nesta Escola, mas não ficou na minha Turma. As Turmas ainda não se comunicam entre si, os colegas convivem bem, mas dentro da mesma Turma.

Conversas na Oficina – SS7B

Caminhos de Encontro no 5º Ano

Image par Thanks for your Like • donations welcome de Pixabay

    Acho o 5º ano fixe, mas é “chato” com máscara. Nasci em S. Paulo, tenho um irmão que toca guitarra baixo e pensa ter numa banda, no futuro.

   A minha Turma é gira, gosto muito da DT, é muito simpática. Atrás de mim tenho uma amiga, a B. e mais alguns amigos que ficaram na turma:  G., M., Jo., que toca bateria de Jazz e Guitarra e Je. que toca bateria de Rock e são os melhores amigos entre si.

   Ajudo o meu irmão a cantar quando ele precisa de uma segunda voz. Canto em inglês, com uma voz mais fina. Ele está a ensinar-me a tocar Baixo.

    O meu sonho é ser policial, para ajudar e proteger pessoas;  hoje em dia é muito importante. No Algarve, este verão, estava tão quente, eu fiquei num lugar, parada, á espera dos meus pais; havia dois policiais a cavalo, perto da praia e eles falaram comigo.

   Desde os 4 anos que quero ser salva vidas, policial ou artista. A minha Mãe diz que eu desenho bem. Os desenhos do meu irmão e os meus, da primária, iam para o Cascais Shopping.

    O meu Bisavô era músico e o meu avô também. A família do meu Pai são todos da vida da música. O meu avô conheceu a minha avó numa discoteca! O meu avô ensina-me os nomes dos instrumentos. Gosto de tocar violino em virtual; se eu tirar boas notas, o meu Pai dá-me um.

    O Mano já tirou a carta de condução e na 2ª já sabe se entra na Faculdade!

Conversas na Oficina – CB5D

Caminhos de Encontro no 5ºAno – 2

Image par Thanks for your Like • donations welcome de Pixabay

    São muito boas as relações na Turma.

     Os meus Pontos fortes são HGP e Português; o ponto a desenvolver é a Matemática.

    A Janinha e a Ruby – que foi encontrada na Escola são as Gatinhas de casa.

    Objetivos para 40 dias:

      • Tornar-se o ser mais famoso da Galáxia;
      • Ter um maravilhoso aniversário a 7 de Outubro;
      • Tirar Excelentes a HGP e a Português;
      • Chegar a um 70% em Matemática.

  Uma Estratégia de Estudo eficaz:

      •  Leio um livro, mas não em silêncio;
      • Música baixinho a acompanhar;
      • Pauso para respirar;
      • Um desafio incrível: estudar com água na boca.

Conversas na Oficina – GS5D

Reinventando a Escola

Image par chenspec de Pixabay 

Sugestões para uma Escola Fantástica: 

      • Criar um elevador só para crianças.
      • Instalar câmaras nas salas e na bibilioteca para se saber o que está a acontecer. Por exemplo, se alguém empurrar alguém ou tentar roubar algo.
      • Arranjar um sítio no Parque dos Pequenos onde possam jogar Basket. 
      • Dois dias por semana ter um tempo limitado de telemóvel. 
      • Nos almoços, haver verdadeiramente distanciamento social.
      • Estamos a compor uma música sobre igualdade e inclusão. Há pessoas que não se sentem seguras cá na Escola, pois há pessoas que fazem troça delas, ou por gostarem de rapazes ou raparigas, ou por terem nomes que se podem associar a palavras desagradáveis.
      • Fizemos 6m e 40 segundos na Milha. Os Alunos que saem cansados da Milha deviam ter um local com bombas de asma virgens para quem precisasse. Estar uma pessoa que perceba de asma, sentada, disponível, no canto das raquettes, o mais pequeno.
      • Pode haver uma aula em que se façam jogos sobre os conteúdos de estudo.
      • Deviam intercalar-se aulas teóricas com aulas para a vida: Defesa, Culinária, Costura, Relações Humanas… Há pessoas que querem ser polícias (como eu) ou cozinheiros e, assim, começavam já as suas carreiras aqui na Escola.
      • Devia haver uma aula em que os Professores ensinassem o que se deveria fazer em situações de terramoto, tsunami, ou apocalipse zoombie.
      • Devia haver mais tempo de intervalo: 5m não dá para comer, para brincar, para ir à casa de banho. “Tortura Para Crianças” não devia haver, até para os Professores pouparem o trabalho de os corrigir. Assim teríamos tempo de ver as nossas séries na Netflix como “Walking Deads”, Tic Toc, Youtube, “A Saga” de Filipe Neto, ou simplesmente Desenhar…

Conversas na Oficina – MF6B e LS6B

Desafios da Alegria

Image par 👀 Mabel Amber, who will one day de Pixabay

     Quando tenho uma aula ou lição de Equitação, sinto-me feliz. Sinto alegria, motivação, entusiasmo. Quando estamos felizes, até inventamos novos desafios.

   Admiro muito a L. D. Admiro esta pessoa porque ela salta um metro e sessenta a cavalo; tem cavalos muito bons e muito amor.

   Há pessoas que montam a cavalo sem Toc e um dia podem cair e aprendem a lição que se deve estar sempre com Toc.

   A minha Mãe transmitiu-me o amor pelos cavalos. Um dia, gostaria que os meus filhos montassem a cavalo, e, talvez, que jogassem futebol;  gostaria de transmitir-lhes a coragem, ter muitos amigos. É preciso ter amigos. Por isso, se calhar, é que somos diferentes.

     Os momentos únicos do meu 5º ano foram os furos entre as aulas! Só tive dois: a Inglês, que a Professora teve de ir ao médico, e a Cidadania.

    Este verão gostava de ir à praia “Verde”, no Algarve, para mergulhar nas ondas e ir jogar ténis em Vila Real de Sto António. Claro, também vou montar a cavalo, na Charneca, com o XS.

    Na Escola de Arte Equestre, os cavalos, nas boxes, têm tranças nas crinas, estão todos limpinhos a cheirar bem, tratam muito bem dos cavalos.

Conversas na Oficina – Verão 2021 – JM5A

Ensinar a VIDA

Image par 愚木混株 Cdd20 de Pixabay 

Dois “Obrigadas” a pessoas que contribuíram para o encanto e a força desta Ano Letivo.

MB – No fundo, eu diria “Obrigada” a todas as pessoas que me rodeiam, quer dizer… quase todas, mas acho que até mesmo todas, porque  eu aprendo todos os dias um bocadinho com elas.

    Os professores ensinam mais coisas para a vida, ensinam-nas mais do que matérias. Por exemplo, contam alguns acontecimentos da vida deles, em que, para mim, são os momentos em que estou mais concentrada; contam-nos acontecimentos que viveram, como reagiram…

  O Prof A. está sempre a relacionar as matérias com  coisas da vida, ensinou-me a pensar de uma maneira mais filosófica.

   Por exemplo, ele diz: ” – Eu venho de comboio, de autocarro…” de mil e um transportes que possam existir ele vem; eu não começaria a andar de transportes, mas o professor mostrou indiretamente que eu poderia ter a liberdade dentro dos transportes.

   Ele  vai e consegue sempre sentir-se livre, então, eu  já não tenho mais esse preconceito; eu odiava andar de autocarro público, mas se calhar, agora  vejo que andar de autocarro pode mostrar uma maneira de ser mais autónoma e eu já andaria. 

    A Miss S. ajuda-me imenso, é a melhor professora que já tive; eu amo inglês, mas a Miss S não desiste de mim, não é aquela professora  que diz “tens dificuldades, ficas por aqui”, não,  posso sempre melhorar; a professora fala e eu percebo tudo o que a professora diz;  ela fala de tecnologia, da vida, da adolescência: eu comecei a aproveitar mais a vida! 

    O ano passado perdia mais tempo, do nono para o décimo passei uma parte do verão a ver net flix, mas eu percebi, graças a esse tema, que não aproveitei demasiadamente o Verão.

    Os professores ensinam mais a Vida do que matérias: com eles aprendi a organizar a minha vida e a aproveitar cada momento; e graças à Miss S. não vou passar já aquela quantidade de tempo em que eu podia ter combinado para estar com mais amigos.

Conversas na Oficina – MB10

Ao Sabor da Conversa…

Image par 愚木混株 Cdd20 de Pixabay 

LR – Vi na netflix um vírus que infetava as pessoas e, se tivessem filhos, eram metade animais, metade seres humanos.

FV – A propósito dos Habitats, isto são conhecimentos que o meu Pai me transmitiu. Como viverias se fosses outra pessoa?

LR – Não sabia quem era a pessoa. Depende das circunstâncias. Seria mais agressiva. Faria o que os rapazes fazem. Não gosto de bolas. 

FV – Se eu fosse outra pessoa, teria melhores condições de vida.

LR – Se pudesses ser um animal, qual serias?

FV – Seria um camaleão, se viessem os predadores, eu camuflava-me. Ou seria um pássaro migratório para ver as paisagens de todo o mundo.

LR – Adoro ver aquelas coisas na rua, tipo cartoons, nos grafitis, com muitas cores, um desenho abstrato, mas com muitas cores. Eu desenhava um grafiti, onde escondia uma mensagem, para as pessoas poderem encontrar um tesouro.

FV – Eu fazia um desenho com uma mensagem lá dentro; desenhava  o símbolo da Paz e escrevia uma frase: 

“Paz no mundo inteiro” 

FV – Se fosses um animal, que animal serias?

LR – Uma coruja…mas há muitos animais que gostaria de ser. Posso voar, acordo à noite e durmo de dia, algo de diferente… As pessoas que vêem o mundo de outra forma, são assim;  as corujas têm ar de mistério, de sabedoria, têm olhos grandes, parece que são muito sábias.

OE – A coruja é precisamente o animal que simboliza o curso de Filosofia. Ela abre os olhos à noite, isto é, tem a sua reflexão garantida para depois da ação.

LR – Eu fazia Filosofia muito bem. Penso assim quando está muito tranquilo: algo de mal está para a contecer, tens que estar sempre alerta.

FV – O meu Pai tirou um curso “Liberta a tua Mente”. O Pai, nesse curso, ensinou-me coisas que só ele e o professor dele é que sabiam, para ver o mundo de outra forma. Depois fez outro curso em que põe as mãos num ponto dorido do corpo, o calor vai descendo e tira as dores.

LR – É uma Meditação. O meu Pai diz para eu fazer respiração devagar, mas eu não gosto de ficar quieta, gosto de ter ideias. Não consigo fazer o “Bip” muito bem. Isto foi quando eu estava estressada, para a minha idade.

FV – Quando vou para casa dos meus Avós, fico até tarde com eles; tomo um medicamento “metinib” para um problema que tenho: “fibromatose”.

LR – Tenho ascendência indígena. O meu Pai viveu em França.

FV – Eu tenho costelas canadianas, o meu Pai deu-se muito bem com o Inglês.

LR – O meu Pai é bom a Inglês e a Tic.

FV – Ver o mundo de outra forma: o meu Pai ensina coisas boas, às vezes, em casa, faz coisas malucas.

Conversas na Oficina – LR5B e FV5B