Balanço do Semestre – 5ºA – I

Image by Kidaha from Pixabay

      2 Pontos fortes que desenvolvi:

        • Em EV tirei 98%, tenho mais domínio sobre a mancha de cor; pinto muito bem dos vários lados do desenho; usei paint-ball para desenhar uma pessoa-monstro; gostei de todos os trabalhos, por exemplo: estamos a criar uma pessoa feita de papel. 

1 Objetivo para o semestre de Primavera: 

        • Estratégia para subir a HGP:
            1. Estudar sozinha;
            2. Ler um parágrafo; 
            3. Copiar o que é mais importante para o caderno;
            4. Ler o que escreveu;
            5. Fazer 1 exercício sobre esse assunto. 

Reflexão sobre a Aprendizagem – MCA5A23-24 

Balanço do Semestre – 5ºA II

 

Image by Kidaha from Pixabay

      2 Pontos fortes que desenvolvi:

        • Em Matemática construo melhor os triângulos: uso bem o transferidor, o compasso, a régua e o lápis.
        • Em ET melhorei na mancha da cor; misturo as tintas de cor para criar cores novas; com um guardanapo tiro um bocadinho para não ficar muito molhado. E estou a gostar muito da matéria.
        • Em Et estou a construir uma Rainha Maga em cartão.

   1 Objetivo para o semestre de Primavera:

        • Melhorar a Estratégia de estudo a Ciências:    
        • 1 – Na Aula: sublinhar as palavras novas que vou passando do quadro.
        • 2 – Em casa: 
        • 2.1. Estudo com uma Senhora. Ela explica outra vez, oralmente;  
        • 2.2. Depois dá exercícios para eu fazer;
        • 2.3. Vou pedir o significado das palavras sublinhadas;
        • 2.4. Vou fazer então os meus apontamentos.

Reflexões sobre a Aprendizagem – AP5A23-24

O Que Me Inspira

   

Image par Brigitte Werner de Pixabay

    Gosto da Primavera porque há flores nas árvores, o tempo começa a aquecer, podemos ir ás vezes á praia. No frio, quando era inverno, estava muito gelado, mas agora, na Primavera, está melhor. Também há um problema: quando está muito calor, temos que ficar na sombra. Estes dias gosto de ficar em casa, com a minha irmã, a jogar no tablet. 

     Gosto de desenhar, mas só desenho às vezes; aos 6 anos desenhava muito, mas agora com as aulas, tenho de estudar… Todos os sábados vou desenhando; faço pintura com aguarelas; tenho um quadro no meu quarto, são cavalos a correr. 

    Há dois anos, eu tinha andado a cavalo, em Nespereira, perto de Ceia. Daqui até Ceia podemos levar três horas e meia de viagem, se se juntar o trânsito de manhã.

     Devia haver mais moral: uma vez, na escola, estava uma fila grande, eu ia passar à frente, mas percebi que passar à frente era mau; o auxiliar viu-os e pô-los no fim da fila. É melhor ficares parado do que passares à frente.

   Gosto de música, vou aprender a tocar Kulele, a Mãe vai-me inscrever ao fim de semana, por duas horas. Quando me sinto bem, gosto de cantar.

Conversas na Oficina – PL5A23-24

Balanço do Semestre: 6B I

     Image par maarij aulakh de Pixabay

      Uma estratégia de estudo que eu utilizo: 

      • O meu Pai lê-me o livro e pára para explicar algumas palavras que eu não conheça;
      • Depois faz exercícios;
      • Eu escrevo o que sei;
      • Depois releio.

    Dois pontos fortes que desenvolvi:   

      • Compreendo melhor a matéria de Matemática: de todos os exercícios que faço, gosto mais de frações.
      • Compreendo melhor as Ciências, faço melhores trabalhos de Grupo.

     Projetos para a Primavera: 

      • Na primavera, queria viajar mais;
      • E jogar melhor Voley. 

Reflexão sobre a Aprendizagem – MV6A23-24

A Descoberta de Boby e Jeremy

Image by Art-x A.I artxai from Pixabay and Image par Oberholster Venita de Pixabay

     Numa primavera, um cão, chamado Boby, vivia num parque cheio de árvores, flores e relva muito verde.  O Boby era um corgi e dormia sempre na árvore ao lado do baloiço.

    Num certo dia, um gato, chamado Jeremy, começou a morar no parque também. O Jeremy era um gato laranja às riscas brancas e era muito divertido.

    Boby e Jeremy começaram a ser amigos. A maneira de ser do Boby facilitou a amizade, pois era muito simpático e investigador!

     Boby perguntou ao Jeremy:

   – Vamos para dentro do escorrega para vermos que tem lá dentro?

    Jeremy respondeu: 

     – Sim, ele é enorme, o que será que tem lá dentro?

    Pois encontraram um baú de Tesouro e levaram o baú com eles para um esconderijo secreto.

(Continua) Conto de Fantasia – MM6C23-24

Rituais de Verão

tur4all – Praia da Torreira

    No verão vamos a casa dos avós, onde também estão os tios e primos, e podemos ir à praia duas vezes por dia, que fica em Torreira, a 700 metros da nossa casa; vou sempre a pé, vamos por um atalho, demora poucos minutos.

     A casa deles é perto da praia; os avós paternos têm uma casa no verão que é na Torreira e outra em Estarreja para o resto do ano; os primos vivem em Mafra.

    O avô materno vive em Ceia; a avó morreu há 42 anos. No verão, ouvimos as abelhas; há frutos nas árvores: o avô materno tem um terreno com jardim e acorda de madrugada para ir até lá; fica a 2km de casa, vai buscar água a um poço, mas o balde já caiu.

   Tem figueiras, oliveiras, laranjeiras e um limoeiro; uma vez a minha irmã tinha ido estudar a casa de um amigo a mãe deu-lhe um saco de limões e o saco rasgou-se: foram “os limões em fuga”.

Escrita Autobiográfica – PL5A23-24

O Mistério da Pessoa – 2

Image par Yolanda Díaz Tarragó de Pixabay

   Cada ser humano nasce numa certa comunidade e desenvolve-se na Família e no seu grupo de Amigos.

   Nós, seres humanos, temos emoções nossas; com a linguagem conseguimos comunicar com os outros. 

   O ser humano é muito criativo, é capaz de inventar o que não existe, como nas artes da música, literatura, dança, pintura, teatro e cinema, por exemplo.

Reflexão para o Teste de Moral – MV6B23-24

Adolescentes e Telemóveis

Image par Thomas Grau de Pixabay

      Os telemóveis constituem vícios maus e bons ao mesmo tempo; no entanto, há mais mal no telemóvel do que bem.

      Toda a gente usa o telemóvel, tirando crianças e bebés. Há pessoas com mais vício do que outras; há pessoas que são totalmente vidradas no telemóvel, não conseguem estar sem ele durante um minuto e não os deixam ficar sem bateria. Pelo lado mau, os telemóveis dão acesso a muitas redes sociais, como o tik-tok, o instagram, o youtube, que fazem com que os adolescentes se vidrem no telemóvel, se esqueçam de fazer coisas que são precisas, como, por exemplo, dar comida aos cães, gatos, pássaros, basicamente aos animais; esquecem-se também de algo que tenham combinado ou de fazer atividades para o bem da nossa saúde.

    O que capta a nossa atenção é, por exemplo, o Tik-tok, em que os vídeos têm parte 1 e parte 2, faz com que queiramos ver mais; afinal é como um livro, mas que faz mal aos olhos e à cabeça. Quando digo isto, falo de saúde mental, pois os telemóveis fazem mal à imaginação, às vezes porque participam “haters”, que levam as pessoas a desistir dos seus sonhos; também se espalham mentiras, como, por exemplo, que o mundo vai acabar em 2026, ou que vai haver um Tsunami; ora, há pessoas que não podem ouvir isso, porque acreditam logo.

    Depois ainda há aplicações de filmes como Disney +, Netflix, HBO prime video, Apple TV, que fazem com que as pessoas queiram ver mais filmes, o que pode tornar-se muito prejudicial para a saúde, porque chegam a não querer fazer mais nada, senão ver um filme.

     Pelo lado bom, não tenho muito a dizer, pois os telemóveis não trazem muitas vantagens, uma vez que, mesmo a realizar atividades importantes, faz-nos mal à vista; enfim, os telemóveis são bons para fazer chamadas, enviar mails e mensagens no Whattsup.

Texto de opinião – Olhar +:Descobrir –  MCC7D23-24

Um Dia de Viagem e Muito Mais

Image par jacqueline macou de Pixabay

      Quando vou viajar, costumo ir para Bragança; vou sempre por volta das sete da manhã, no verão, com os meus Avós; fazemos algumas paragens na viagem e dormimos enquanto vamos. 

    Quando chegamos, arrumamos as nossas coisas e logo a seguir vamos ver os nossos primos, que vivem na casa atrás da nossa, passando por um corredor estreitinho.

    Lá, costumo andar de bicicleta, vou às festinhas de Verão, umas vezes na nossa aldeia, outras no Outeiro que é outra aldeia. Também costumo brincar numa árvore que, em frente, tem uma estrada, ladeada de outras árvores onde cresce uma pinha em forma de  flor.

     Todos os dias, passa ali uma manada de vacas, à hora de almoço, com o seu passo calmo e o seu pelo macio; dali parte ainda um caminho que vai dar a um sítio onde eu apanho amoras com  a minha Avó.

    Depois de acabarmos de jantar, passeamos por esse campo de amoras, à luz das estrelas, pisando um chão onde há pedras grandes e pequenas, de feitios diferentes.

  Escrita Autobiográfica – Férias de Verão – MMJ7A23-24  

Image par IA et Gerd Altmann de Pixabay

     O ano que se estreou traz surpresas escondidas, tanto para a nossa esperança como para a nossa preocupação; e tudo isso que não adivinhamos, só podemos pressentir, se estivermos confiantes, com atenção. 

    O que está por descobrir é que se calhar posso vir a ter, na minha sala de aula, um novo colega e que nós talvez possamos tornar-nos amigos.

     Gostaríamos de perceber como se fazem amizades depressa, também como somos inteligentes e meigos. Gostamos de brincar e conviver entre Amigos e  Família.

      Na passagem dos dias, damos mais valor à Vida, porque aprendemos mais coisas com o passar do tempo, tanto em casa como na escola, temos mais felicidade e mais noção do que é preciso para nos desenvolvermos e evoluirmos, por ser tão importante para a Vida!

Exercício de Escrita Criativa – Texto a 4 Mãos –

LR6C23-24, LS6C23-24, BR6C23-24 e OE

 

Image par IA et Gerd Altmann de Pixabay

       O ano que se estreou, por agora, está a ser incrível, estou a ter mais amizades, estou a conviver melhor!

    Gosto muito de brincar com as minhas amizades e adoro as aulas de Matemática, tenho muita criatividade e convivência com a minha Família!

    O que gostaríamos de perceber é se podermos aprender novas coisas, e fazer o que queremos, testar as nossas capacidades de descobrir e aprender o que queremos para nós sermos felizes e termos amor à Vida!

    Na passagem dos dias, damos mais valor ao sol pequenino que pinta o inverno de cores vivas, ao riso dos amigos no recreio, às férias que vêm chegando com pézinhos de lã, ao sonho de Verão que se aproxima, com a promessa da liberdade e o mar ao fundo, horizonte infinito.

Exercício de Escrita Criativa – Texto a 4 Mãos –

LR6C23-24, LS6C23-24, BR6C23-24 e OE

O Ouriço-Cacheiro, o Porco Espinho e a Raposa

Image par Free Fun Art de Pixabay

    Era uma vez um Ouriço e um Porco-Espinho que eram dois bons amigos; eles encontraram-se numa floresta enorme e escura. O Ouriço perguntou:

     – Queres tentar sair da Floresta para conhecer um lugar novo?

     O Porco-Espinho respondeu:

     – Sim. Vamos tentar ir à montanha gigante?

     Quando eles chegaram lá, o Porco-Espinho decidiu subir a uma árvore altíssima. Criaram ali uma casa, roendo o tronco da árvore, mas descobriram que, na árvore ao lado, vivia uma raposa matreira. A raposa saltava pelos ramos da árvore em busca de caça. Encontrou a casa dos dois Amigos e farejou o Porco-Espinho: assustou-o e ATACOU-o!

     O Ouriço veio a correr, deu uma dentada na pata dela que a fez fugir para um ramo alto. Então o Ouriço começou a roer o ramo até ela cair aos trambolhões. Os dois Amigos nunca mais foram incomodados.

Os bons Amigos nunca se abandonam nos momentos de perigo.

Conto de Fantasia – Fábula – FR5B23-24

2024: o Livro em Branco

     Image par Gerd Altmann et AI de Pixabay

     Estreamos um ano, com novas ideias e diferentes formas de pensar e de raciocinar; mais tempo para nos conhecermos internamente.     

    Estreamos um ano, começamos de novo a escrever um livro em branco e nele esperamos escrever como alcançamos os nossos objetivos. 

    O que está por descobrir: temos coisas a aprender connosco próprios; devemos criar uma nova mentalidade, como também as nossas amizades devem ser renovadas ou aprimoradas.

      O que está por descobrir é o futuro próximo, o que devemos esperar; porém, agora, é uma prenda, e é por conta disso que se chama “presente”. 

      O que gostaríamos de perceber é o nosso corpo interior, que nos chama para querer ficar com alguém que nos ama profundamente. 

       O que gostaríamos de perceber é se realmente tudo é verdade e se realmente vale a pena viver, sendo que o ano só começou há nove dias e já 20 000 pessoas tentaram tirar a sua própria vida, achando que seria melhor morrer do que ser culpado.

      Damos mais valor, na passagem dos dias, aos nossos pais ou à vida virtual? É uma questão que faz pensar muita gente, pois a internet pode ser suicida, ao contrário da relação com os nossos pais que é revitalizadora.

       Na passagem dos dias, damos mais valor a pequenos detalhes novos, que nos complementam e que queremos espalhar, para fazermos do mundo um lugar melhor.

Ano Novo 2024 – Texto a 2 Mãos – MA8C23-24 e MC8C23-24

2024 – um Ano Novo e Vivo

Image par Nanne Tiggelman de Pixabay

     Estreamos um ano, somos agora mais ricos para inventar a nossa própria vida; é como se desenrolassem uma tela branca diante dos nossos olhos, a perder de vista.

    Estreamos um ano, mal posso esperar pelo verão, porque é a época em que estamos de férias, na praia; depois do verão começamos um novo ano de escolaridade e também esta é a primeira vez, em 2024, em que  estou a escrever neste caderno.

     Quem sabe o que está por descobrir? Nós saímos para o ano que chegou com o entusiasmo das grandes aventuras. Nem tudo é novo, certamente, mas tudo nos parece renovado, irradiando a frescura de um tempo recém-nascido.

      O que poderá ser descoberto em 2024, são os carros voadores e as pessoas robóticas; também pode surgir um novo país no continente Africano.

        O que gostaríamos de perceber ainda? Se os seres humanos já se sentem preparados para partilhar o mundo com as mentes digitais; se as profundas feridas entre nós, que atiraram com tantos guerreiros para a morte poderão ser curadas á luz de um outro mundo. 

    O que gostaríamos de perceber ainda é como os problemas matemáticos se resolvem, especialmente eu, porque tenho dificuldades a Matemática e gostaria de resolver esses problemas.     

      A que damos mais valor na passagem dos dias? Um sorriso inesperado pode encher o coração; alegrias pequeninas de se saber cuidado: ” – Estás quentinho?” “- O teste correu bem?”; e o mistério das horas sempre disponíveis que nos caem no colo como um pãozinho saído do forno.

       A que dou mais valor nesta vida é à oportunidade de acordar todos os dias e agradecer a Deus um novo dia; também agradeço a realidade de haver Natureza, pois se não houvesse Natureza, nós, certamente, não existiríamos.

Ano Novo 2024 – Texto a Duas Mãos – JB7C23-24 e OE

Viagem para o Infinito

Image par Joe de Pixabay

     Hoje, o sol abandonou todos os receios e voou, com os seus planetas, ao dobro da velocidade habitual, a fim de criar uma nova e diferente era que será completada por um desejo finalizado nesse dia, com a coragem invencível de conquistar uma liberdade total para o Universo.

     Iremos realizar os melhores sonhos que pareciam antes impossíveis e irreais; por isso, devemos acreditar sempre em nós próprios e avançar com amor e generosidade.

     O que devemos pensar diariamente não se compara com os sonhos que nos habitam e que só um horizonte infinito pode abrigar, pois o dia a dia é chato e sempre igual, com poucas novas coisas, enquanto que os sonhos que vivemos diariamente, nunca são repetidos, por isso aproveitemos a rotina humilde, em que nada parece fazer-nos sinal, para acumularmos a energia da aventura. Um dia partiremos para uma realidade inédita, cheia de novas possibilidades!

       Um novo barco, que devemos descobrir em nós mesmos, enquanto navegamos no mar alto da vida, pois ainda não nos encontramos, por isso devemos fazer uma retrospetiva interna para soltar as amarras do sonho mais audaz, que tem potencial para transformar a vida, e ser fiel e amoroso com quem nos amou e nos deu a vida.

    Também é bom ser fiel e amoroso com quem nos amará um dia e a quem ainda não conhecemos: sabemos, com a certeza infalível de um coração vivo, que essa pessoa existe e a sua vinda vai inaugurar um mundo novo.

Exercício de Escrita Criativa – Improviso a 3 mãos –

MA8C23-24, MC8C 23-24 e OE

Olhar +: Inspirações

Image par Prabha_Creation388 de Pixabay

     “Olhar +” é absorver as mesmas “coisas” de formas diferentes, já que todos os dias vemos as mesmas “coisas”, como: a própria casa, a portaria da escola ou do trabalho, um amigo…

      Essas são “coisas” que vemos tão frequentemente que as desvalorizamos, mas são super-importantes.

    Uma situação inspiradora pode ser muito ou pouco, como, por exemplo, tirar uma garrafa de plástico do mar e até colocar o lixo no lugar certo; mas, se realmente se quiser inspirar “o Mundo”, então crie uma empresa de reciclagem ou vá numa missão em África.

   A Esperança que tenho para este ano é que ele traga várias respostas e melhoras para mim e para todos, mas especialmente para os mais necessitados. 

Olhar+ – Iluminar – MC8C23-24

A Vida do Recordar

Image par nini kvaratskhelia de Pixabay

   Recordar é lembrarmo-nos de coisas que aconteceram no passado, por exemplo, recordar aquelas pessoas que partiram, de quem nós gostávamos muito.

   Recordar também aquilo que nos ensinaram e tudo aquilo que fizeram por nós.

   Recordar também pode ser lembrar aquilo que nós fizemos de bem às pessoas de quem nunca nos esquecemos, também o nascimento de uma pessoa da nossa família, e até o nascimento de um filho nosso.

   Recordar é também  pensarmos naquilo de que tínhamos medo e depois conseguimos ultrapassar, momentos difíceis que as pessoas superaram juntas.

Escrita Reflexiva A Vida da Memória – JB7C23-24

Uma Rua de Paris

Wiki.Art.org

     Uma pintura de uma rua de Paris, que mais parece uma aldeia muito parada, com algumas lojas; ela tem árvores com folhas de outono, que seguem ao longo da rua, juntamente com as casas que vão subindo a “subidinha” até ao que parece ser um prédio baixinho.

    Várias pessoas andam na rua, uma parece apressada e outras não têm o que fazer, vão, mas calmas.

    O que me chama mais a atenção é o chão da rua, parece que está com poças de água muito azul.

   Nesta pintura, sinto-me num sonho que tive, em que estava numa rua muitíssimo parecida com esta. Será que estive lá?

     Olhar +:Contemplar – Descobrir a Pintura – MJ7A23-24

Japão: o Novo Mundo

Image par Kanenori de Pixabay

     O Japão é um mundo completamente diferente daquele que estamos habituados, por muitas razões; algumas delas são o facto de as pessoas serem mais responsáveis, respeitarem a sua própria cultura e ser um país evoluído.

   A cultura Japonesa é muito bonita e antiga, de modo a haver templos gigantes e lindos.

   A maior parte das pessoas pensa que as histórias e filmes sobre os Ninjas e Samurais são fictícios, mas, na verdade, é tudo verdade: antigamente, os Ninjas e Samurais eram pessoas que tinham a função de espiar.

    O povo do Japão é muito asseado com os sítios onde vivem; são respeitosos com as pessoas em volta deles; nas ruas não se vê um lixo no chão; à conta do que já referi, as pessoas japonesas são muito trabalhadoras, até as pessoas idosas trabalham.

    Em conclusão, o Japão deve ser um país muito visitado por pessoas respeitosas, que ajudem e tenham vontade de trabalhar.

Culturas de Todo o Mundo – Países por DescobrirMA8C23-24