Na Aldeia da Avó

Image parandrea candraja de Pixabay

      Ir à aldeia da minha Avó faz-me sentir livre: quando estou lá parece que todos os problemas desaparecem.

        Cá, nós, quando queremos, por exemplo, combinar alguma coisa com os nossos amigos, temos de falar com os pais para pedir autorização. 

      Na Aldeia, é tudo diferente: é só ir ter com as pessoas e passamos o dia juntos; podemos ficar na rua até tarde, pois é tudo muito calmo e seguro.

     Quando vou à Aldeia, até me esqueço da existência de telefones, porque nós passamos o dia todo a passear e a divertirmo-nos tanto que nem preciso de telefone.

     Às vezes penso como seria viver na Aldeia: se pudesse levar a minha casa, a minha escola  e alguns dos meus amigos, acho que seria muito giro, pois na Aldeia também já tenho um Grupo de Amigos que, quando venho embora, fico triste por deixá-los e cheia de saudades. 

      Assim, poderia também passar mais tempo com a minha Avó, o meu Tio e o meu Primo, pois eles vivem na Aldeia e quase nunca tenho a oportunidade de estar  com eles; quando estou, fico apenas uma semana.

     O verão é a minha altura preferida para ir à Aldeia, porque vamos todos em Grupo á piscina mais próxima e ficamos lá o dia inteiro.

MB8C

Eu, Famoso

     bola de futebol na relva coberta de orvalho

   Image parAndy03 de Pixabay License

     Se eu fosse famoso, eu queria ser jogador de Futebol.

    Se eu tivesse uma casa, eu queria tê-la no Hawai: seria grande, branca, moderna e toda tecnológica. Na garagem tinha um Bugati Veron. 

     Os prémios que eu mais desejava eram a bola de ouro, a bota de ouro e também queria ter muitos fãs.

    Se tivesse um hotel, ele chamava-se ED Master e tinha 5 estrelas, com piscina interior e exterior e camas de alta qualidade. Era o melhor hotel do mundo!

     Se eu fosse rico, ajudava o Colégio Amor de Deus e doava 2 milhões.

EM6C